O GOLPE DE 1964 / Gastão Rúbio de Sá Weyne

O livro historia os fatos passados nos meses de abril e maio de 1964, após o golpe militar, sofridos pelo autor, em seu encarceramento durante 36 longos dias no navio Princesa Leopoldina, fundeado na Baia de Guanabara, Rio de Janeiro-RJ.

Considerando o espírito repressor e vingativo dos chamados ?gorilas?, mostrado nas tentativas de golpe anteriores, os ?comunistas? presos no navio Princesa Leopoldina admitiam que tudo poderia acontecer com cada um deles, inclusive o afundamento do navio ou, pura e simplesmente, sua eliminação física.
 
Não se pode dizer que, no navio Princesa Leopoldina, ocorreram torturas durante o aprisionamento vivido pelo autor por 36 dias, mas aconteceram alguns episódios que acusaram a existência de indícios do que poderia vir a seguir: 1. Alguns dos prisioneiros eram acordados de madrugada para serem ouvidos em sindicâncias determinadas pelo ?Comando Supremo da Revolução?; 2. A prisão foi realizada com total incomunicabilidade dos presos, impedindo-lhes o acesso a jornais, revistas ou meios radiofônicos; 3. Ocorreram alguns atos isolados de violência, como o experimentado pelo autor deste livro quando, subindo de cueca na escada que conduzia ao navio, teve seu instrumento de desenho, um compasso Kern, retirado de sua pasta e jogado ao mar (?comunista não pode usar compasso?); 4. O excesso de aparato militar que ocorria quando os presos saíam para as refeições ou banhos de sol, situação em que os corredores, nos dois lados, ficavam com soldados armados com fuzis engatilhados; 5. O tempo muito curto dado aos prisioneiros para os banhos de sol, parecendo ser explicado pelo receio de que os encarcerados se articulassem ou reagissem contra o aprisionamento; 6. Os longos interrogatórios.

Com este livro busca-se historiar os fatos ocorridos no navio-prisão Princesa Leopoldina, fundeado na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro ? RJ, onde, entre abril e maio de 1964, o autor foi encarcerado por 36 longos dias. Minha prisão e a de todos os meus companheiros encarcerados no aludido navio ocorreu em razão de nossa posição comum contra o golpe militar de 1º de abril de 1964, quando ilegalmente foi deposto o Presidente João Goulart (Jango). Naquela época, os membros das três Forças Armadas ? Exército, Marinha e Aeronáutica ? dividiam-se claramente em dois grupos ideológicos: os "gorilas", apoiadores dos conspiradores que visavam derrubar o governo legalmente constituído, e os "comunistas", que se opunham ao golpe militar e defendiam a manutenção do estado democrático de direito. O assunto abordado nesta obra pode parecer de relevância discutível por referir-se a fatos pretéritos, ponto de vista do qual o autor discorda de forma veemente. Somente estudando o passado é possível compreender o presente, e só assim é possível evitar que os mesmos erros sejam cometidos no futuro.

GASTÃO RÚBIO DE SÁ WEYNE, de formação multi-disciplinar, vem dedicando a maior parte de sua vida ao ensino e à pesquisa em três áreas:
1) ENGENHARIA QUÍMICA ? É Engenheiro Químico pelo Instituto Militar de Engenharia (IME-RJ); Mestre, Doutor e Livre-Docente em Engenharia Química (Escola Politécnica-USP); Pós-Doutorado em Design Projects pelo University College  de Londres; 2) DIREITO ? É Advogado e Bacharel em Direito (Faculdade de Direito da USP-FDUSP) e Doutor em Direito  (FDUSP); 3) MATEMÁTICA ? É Bacharel e Licenciado em Matemática (Instituto de Matemática e Estatística ? USP) e Doutor em Educação Matemática pela PUC-SP. É Professor Associado, aposentado, do Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica da USP. Foi Professor Titular das seguintes instituições de São Paulo: PUC-SP, Universidade Mackenzie-SP (onde foi Diretor da Escola de Engenharia), Fundação Armando Álvares Penteado ? FAAP-SP (Titular Pleno), Faculdades Oswaldo Cruz-SP e Faculdade de Medicina do ABC-SP, onde concluiu Livre-Docência em Operações Unitárias na Indústria de Medicamentos e Alimentos. Foi um dos fundadores e Coordenador do Curso de Direito da Unipalmares-SP, preferencialmente para negros, além de Professor Titular nesta instituição por cerca de 5 anos. É Advogado e Perito da Justiça Federal de Campinas-SP há mais de 20 anos. É Tenente-Coronel Reformado do Exército e sofreu repressão durante a ditadura militar. Publicou mais de 20 livros, escreveu mais de 100 artigos em revistas e participou de mais de 50 congressos. Formou mais de 10 pesquisadores (Mestres e Doutores) na Escola Politécnica da USP. É violonista, lançando diversos CDs e um álbum com 19 músicas de sua autoria, publicado pela Editora Irmãos Vitale, de São Paulo. É Membro Efetivo da Academia Luso-Brasileira de Letras.

Serviço:

O Golpe de 1964:
Memórias de um Prisioneiro do Princesa Leopoldina
Gastão Rúbio de Sá Weyne

Scortecci Editora
História
ISBN 978-85-366-3862-1
Formato 16 x 23 cm 
124 páginas
1ª edição - 2014
Preço: R$ 50,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home