MEMÓRIAS AQUI VOCADAS. MEMÓRIAS EQUIVOCADAS? / Marinice da Silva Fortunato

Esta obra contém textos em versos e em prosa que foram escritos, em sua maioria, há muito tempo, pela autora. Contém também textos de autores diversos que marcaram sua formação desde a infância. Do "baú" saem as memórias, buscando respostas às questões colocadas pela sua vida, pela vida dos outros e de seus ancestrais. As memórias contam com a colaboração da Luz, seja do Sol, seja da Lua e a de todos os seres que habitam nosso Planeta. Abrir o"baú" pode ser: busca do autoconhecimento, busca na compreensão do presente, e busca para melhor se projetar o futuro, desde que essa busca seja realizada sempre de forma coletiva.

Os alicerces do mundo solidário, justo e amoroso podem estar na memória universal. Sonhos são estrelas, mas só podemos vê-los à noite. Estamos sempre na gênese de nós mesmos, trabalhando, sofrendo, nos alegrando, nos frustrando, estabelecendo relações, amando... Nunca acabamos de nascer.

Marinice da Silva Fortunato, desde tenra idade e até o momento, com 77 anos, continua fazendo perguntas e, das respostas, novas perguntas. Declamava poemas na escola (tinha entre 11 e 14 anos). Quando um professor veio cumprimentá-la, pensou que o motivo seria por ela declamar bem, mas este professor lhe disse: “Estou elogiando a letra do poema”. Foi então que começou apreciar as mensagens dos poemas, das canções, dos textos literários... e questões foram surgindo... Fez Mestrado e Doutorado na Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Sua tese de mestrado (Uma Experiência Educacional de Autogestão. A Escola Moderna Número 1 na sua Gênese – 1992) e a de doutorado (A Categoria Solidariedade Humana no Pensamento de Kropotkin – 1998), ambas realizadas na Pontifícia Universidade Católica, buscavam respostas para questões tais como: Como a autogestão, a auto-organização, no campo pedagógico podem colaborar para que o povo se liberte da exploração, da opressão? Qual o papel da solidariedade na construção de um mundo justo e amoroso? Que significa “pedagogismo ingênuo”, “desobediência civil”? Lecionou por 50 anos (1962-2012) nos diferentes graus de ensino: alfabetização de crianças, jovens (EDUCAFRO), adultos (MOBRAL), atuando também como professora universitária, coordenadora pedagógica, supervisora de ensino, coordenadora de curso de Pedagogia, coordenadora de pós-graduação. Na Igreja, trabalhou com Círculos Bíblicos (hoje Comunidades Eclesiais de Base), Equipes Docentes e Fraternidade Charles de Foucauld. A militância político-partidária não a satisfez; via essa ação muito longe dos grupos/pessoas dos bairros de periferia. Em todas as instituições a rebeldia não lhe rendeu prêmios, mas desenvolveu a resiliência da autora na luta por um mundo justo e amoroso. Quando achamos que temos todas as respostas, vem a VIDA e muda as perguntas.

Serviço:

Memórias Aqui Vocadas
Memórias Equivocadas?
Marinice da Silva Fortunato

Scortecci Editora
Contos
ISBN 978-65-5529-537-5
Formato 14 x 21 cm
92 páginas
1ª edição - 2021
Preço: R$ 30,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home