O EU DE NÓS / Marilina Baccarat de Almeida Leão

Às vezes, a mente reescreve as memórias, numa tentativa de fazê-las mais próximas dos sentimentos, que carregamos, dentro do nosso "Eu". Logo, vemo-nos com lembrançcas imaginadas por nossa mente e as verdadeiras são relegadas a um espaço vazio, onde há só sombra. É desta forma que, muitas vezes, o nosso "Eu" sobrevive às saudades, aos medos e muitos outros sentimentos, que habitam entre nós. Todo o mecanismo do noso corpo diz isso. Somos feitos para fugir, para atacar, para amar. Para tentar sobreviver a qualquer custo. Somos criaturas, relativamente simples, conhecemos o mais profundo do nosso "Eu", seus possíveis riscos e, nesse fundo insondável, mudamos nossas relaçoes. O nosso "Eu" nos presenteia com a intuição daquilo que tem o poder de quebrar os grilhões de sentimentos torpes que moram em nosso "Eu". A inteligência não é para o eu de nós mesmos. Temos a nossa própria maneira de enxergar as coisas... Pensamos pela nossa própria cabeça...

Esse é o Eu de Nós mesmos, que a maioria das pessoas pensa ao contrário... Mas, ao olhar, à nossa volta, vemos pessoas, que não conseguem pensar com suas próprias cabeças, chegar a conclusões sobre os assuntos, precisando de um aval, de uma opinião de outro ou de outros, para, então, emitir a sua... Muitos, já desde bem cedo, nunca ninguém os obrigou a fazer o que não queriam. Sempre tiveram o seu querer próprio... Há pessoas, que chamam isso de egoísmo, mas, devemos chamar de gostar do Eu de Nós, em primeiro lugar... O Eu de Nós, não! Ele é mais forte do que nós mesmos... Muitas vezes, acabamos ficando com litros de amargor, acumulados em nossas veias, porque não falamos o que desejávamos ter falado... Desejamos, muitas vezes, ser de outro jeito. Pensar menos, ouvir mais, concordar mais e aceitar mais... Mas, aí, não seria o Eu de Nós. E nós não seríamos nós mesmos... Marilina.

Marilina Baccarat de Almeida Leão: Descendente de franceses, a escritora nasceu em São Paulo, Capital, onde viveu sua infância e juventude. Seu avô, José Baccarat, foi delegado e prefeito de Santos (SP), na década de 1940. É casada com José Almeida Leão, advogado do Banco do Brasil (aposentado) e professor no curso de Direito da Universidade Estadual de Londrina. Foi professora de música clássica e canto erudito, com especialização em órgão. É afiliada à REBRA ? Rede de Escritoras Brasileiras e membro da ALG ? Academia de Letras de Goiás. É acadêmica imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de Vitória (ES), tendo uma das cadeiras patronímicas em seu nome. É acadêmica na Academia de Letras, Música e Artes de Salvador (BA). Acadêmica fundadora da Academia Mineira de Belas Artes (MG), da qual recebeu uma cadeira patronímica em seu nome. É, também, acadêmica da ALAF ? Academia de Letras de Fortaleza. Em 2015, recebeu, no dia 17 de janeiro, o Prêmio Luso-Brasileiro, de poesias, na Ilha da Madeira, Portugal. No dia 28 de fevereiro, recebeu da Associação Internacional de Escritores o prêmio de Escritora Destaque de 2014.

Em 2016, recebeu no dia 23 de janeiro, da Associação Internacional de Escritores, a medalha Luiz Vaz de Camões, por sua contribuição à cultura. No dia 27 de fevereiro, recebeu o prêmio de melhor cronista de 2015/2016 da Prefeitura de Ouro Preto (MG). No dia 5 de março, recebeu, da Academia de Letras de Fortaleza, a Medalha Raquel de Queiroz, por sua contribuição à cultura. Recebeu, no dia 28 de março, na Maison Baccarat, em São Paulo, a comenda de acadêmica imortal da COMBLA ? Confederação Brasileira de Letras e Artes; da mesma confederação, recebeu a comenda de ?Comendadora?. Recebeu, no dia 28 de maio, em Goiânia (GO), o Troféu Cora Coralina da Academia de Letras de Goiás. No Memorial de Curitiba, em 6 de agosto, das mãos do secretário de Cultura, recebeu o Troféu Melhores do Ano, por sua ativa e valorosa contribuição à cultura lusófona. No dia 5 de agosto, recebeu a Medalha Fernando Pessoa, por sua dedicação e liberdade de expressão e de efetividade em benefício da sociedade lusófona. Em 2017, foi empossada no dia 21 de janeiro no Núcleo de Letras de Lisboa, Portugal. No dia 14 de maio, recebeu a comenda Conde de Cheverny, no Castelo de Cheverny, na França. No dia 23 do mesmo mês, ingressou no Núcleo Europeu de Literatura. No dia 14 de julho, em Florianópolis, recebeu o prêmio de melhor livro do ano de 2017. No mesmo dia e ano, recebeu a comenda por sua contribuição à cultura. No dia 25 de setembro, na ALAV ? Academia de Letras de Valparaiso (Chile), recebeu dessa academia a comenda de Embaixadora Cultural, da qual faz parte como acadêmica e, agora, como embaixadora. Reside em Londrina (PR), chamada de Pequena Londres.

Serviço:

O Eu de Nós
Marilina Baccarat de Almeida Leão
Scortecci Editora
Crônicas
ISBN 978-85-366-5266-5
Formato 14 x 21 cm 
200 páginas
1ª edição - 2017
Preço: R$ 40,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home