NA BALA DA PALAVRA / Cândido Coelho Jr.

Certa noite, sem mais nem menos, o autor começou a escrever casos e lembranças que tinha guardadas na mente. Passou a remetê-los aos amigos. Os casos viraram crônicas. O título abstrato foi criado pelo autor pra somar nele sua índole crítica. Lubrificou tudo com explícita paixão pela vida e arrematou com sua memória dotada de refinada capacidade de observação. Na bala da palavra tem palavras com todos os sentidos das balas: de doce a rápida munição. De agradáveis provocadoras de sonhos a facas cortantes de sentidos belos. De histórias amargas a paixões perdidas, às vezes guiadas por vertigens de saudades.

É uma espécie de releitura do passado onde praticamente todas as histórias são verdadeiras, mesmo que às vezes sejam elas misturadas entre si, mescladas pelo autor com fantasias criadas por sua mente fértil, que sempre funcionou como poderosa usina de sonhos. Mas, não só de crônicas vive Na bala da palavra. O segundo capítulo é feito das letras de oito das canções do autor, duas delas feitas em parceria com seu amigo Francisco Carlos Lima, o Shicko Lima. Tudo regrado a boas lembranças, a viagens, a saudades, paixões, amores, sabores e dissabores.  É como o próprio autor diz: ?Escrevi pra dizer que sei do que gosto e gosto do que sei...?.

Que direi eu? Pedro, Enir & Ana Laura sempre me disseram palavras que são doces balas. Mas nem toda bala é doce. Na bala da palavra tem verdades, ilusões, fugas, compromissos e risos. Tem crônicas doces, loucas, apaixonantes, de cantos, encantos e desencantos. Palavras que agradam, mas que também cortam. Tanto golpeiam, quanto comovem e correm. Letrados sabores que se renovam aquecendo cada lembrança do passado e cada sonho conquistado. Viaje comigo nas minhas histórias...

Escrevi este livro por acaso. Certa noite, sem mais nem menos, comecei a escrever casos que viraram crônicas. Remetendo aos amigos, passaram a me sugerir que escrevesse um livro. Inicialmente, não levei muito a sério a sugestão, mas, com o tempo, acabei transformando a ideia num sonho de vida. Aliás, sonhos costumam nos impulsionar rumo a metas, mesmo que sejam elas ousadas. Continuei escrevendo por mais uma noite, e outra, e mais outra. Para ilustrar tantas noites, tive que ir ao recheio deste livro, onde fui buscar parágrafos, frases e palavras: ?[...] Dos momentos tristes e das noites sombrias, guardo somente a experiência que eles deixaram, pois não passam de curtos intervalos entre minhas alegrias e dias. Isso me faz consumir frustrações e mágoas...?
(Certa noite de solidão)

?Continuo sonhando com a lua, realmente solitária, calada, que me olha desde cedo enquanto canto e cantava a ela minhas paixões silenciosas, abafadas pelo receio de não ser querido.? (Clube da esquina)

?Senti que não perdi quase nada exceto a ilusão de que tudo podia ser meu pra sempre.?
(Coração dividido)

Cândido Coelho JR (Cândido Coelho de Santa Cruz Júnior), nascido em 1964 na cidade de Piumhi (MG), é filho de Cândido Coelho de Santa Cruz e de Nilzia da Silva Coelho. É cristão presbiteriano e casado com Enir Batista Costa Coelho, a mãe de seus dois filhos: Ana Laura e Pedro Henrique. Servidor do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, é bacharel em Direito, pós-graduado em Processo Civil, Direito Público, Direito Civil e do Trabalho. É também músico e compositor. As letras de algumas de suas canções fazem parte deste livro. É um grande sonhador...

Serviço:

Na Bala da Palavra
Crônicas e Letras
Cândido Coelho Jr.

Scortecci Editora
Crônicas
ISBN 978-85-366-4000-6
Formato 14 x 21 cm 
156 páginas
1ª edição - 2014
Preço: R$ 35,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home