DOUTRINA ECONÔMICA DA COOPERAÇÃO / Rosalvi Monteagudo

A doutrina da cooperação precisa ser revista para organizar o socioeconômico, adequando-o aos modernos meios tecnológicos, e criar seu Mercado Econômico Cooperativo – MERCOOP, pois não existe velha nem nova economia, mas uma atualização a esta nova época, consequência da quarta revolução industrial e tecnológica. A incapacidade do neoliberalismo em resolver o problema social e a utilização do capital como forma de intervir na sociedade criam a necessidade de reconsiderá-lo, uma vez que o social deve ser integrado com o capital. O cooperativismo não está ameaçado; pelo contrário, fortalece cada país em particular por respeitar a geopolítica e organizar o social para um melhor aproveitamento econômico. O objetivo é examinar as regras dos princípios cooperativistas por meio da adaptação à época atual. A proposta conduz às necessidades de mudanças que buscam alternativas para torná-las viáveis para que seja possível interligar e unir uma organização técnica de uma extremidade a outra, ou melhor, de uma pertinência da necessidade de um indivíduo à relevância do globo. Dessa forma, propõe, discute e cria a Doutrina Econômica da Cooperação numa moderna revisão das regras dos princípios cooperativistas: adesão livre e voluntária; controle e gestão democrática; participação econômica dos sócios; autonomia e independência; educação, treinamento e informação; cooperação entre cooperativas e preocupação com a comunidade.

Em Doutrina econômica da cooperação – revisão das regras dos princípios cooperativistas, o objetivo é captar a época atual dentro de uma perspectiva histórica, de maneira que se crie uma nova doutrina econômica, que, sem deixar de ser progressiva, não se baseie na exploração humana, como até hoje. Para ela a tecnologia deve ser usada em benefício da coletividade, de baixo para cima, com o desenvolvimento social sendo alcançado pela cooperação econômica livre e organizada. Pela firmeza de seus fundamentos, surge como verdadeiro desafio para todos aqueles que buscam soluções para o futuro da humanidade, porque é obra ideal e real ao mesmo tempo.
Benedito Luz e Silva - Editor da Editora do Escritor

Rosalvi, incansável benemérita, é dessas pessoas estoicas, com avassaladora vontade para incutir na sociedade a ideia e as boas práticas do cooperativismo e autogestão. Nessa obra, por demais oportuna, mais uma vez demonstra com muita simplicidade, valendo-se de sua maestria e profundos conhecimentos, o quão vantajoso é a implantação de um forte e colaborativo sistema integrado entre pares, ou seja, o bom e traquejado cooperativismo. Rosalvi não tem a pretensão de esgotar o assunto, todavia dá-nos uma obra completa, sem desvios, indicando com total responsabilidade um caminho palmilhado para o pleno êxito, eliminando a pecha da utopia, dando-lhe um caráter prático. Criou o Coopsoft, que visa a redução de custos inerentes a cada atividade ou setor. Absolutamente recomendável para qualquer atividade social, com ou sem fins lucrativos. Factível!
Ralph Peter - Colunista do jornal Empresa & Negócios

A articulista Rosalvi Monteagudo nos oferece mais uma luz ao pós-pandemia e também uma esperança diante dos prognósticos caóticos dos economistas de plantão.
Aurici Silva Dias - Editor do Mococa 24 Horas

Rosalvi Monteagudo é contista, pesquisadora, professora, bibliotecária, assistente agropecuária, funcionária pública aposentada e articulista na internet. Especializada em Cooperativismo pelo CEDOPE/UNISINOS (São Leopoldo, RS) e autodidata, lê e estuda sobre Economia e o forte papel que exerce no social. Sensível às necessidades brasileiras, analisa, observa atentamente e passa a refletir o saber. Entende que é preciso um reexame das regras e princípios que envolvem o Terceiro Setor como meio de cooperar com os problemas socioeconômicos do país. Percebe sua importância para a época atual e começa a estudá-lo profundamente. Publica vários artigos. Cria o COOPSOFT, que são novas regras via software a fim de beneficiar-se da redução do custo on-line. Foi editora responsável do boletim informativo do ICA/ SAA, São Paulo, no qual criou o espaço “Comentários; repensando o cooperativismo”. Organiza cursos, conferências, estandes em feiras etc. Exerce várias atividades concomitantes, como voluntária na Pastoral da Criança, presidente-fundadora da Econsolidaria, além de constituir e participar de diversas associações. Empreendedora socioeconômica, participou ativamente de oficinas e palestras do Fórum Social Mundial, de 2002 a 2005.
Publicações:
Revisão das regras dos princípios cooperativistas, 2001
Economia solidária; novas regras, 2002
Autonomia na organização da iempresa; uma sugestão para o desemprego, 2004
Sustentabilidade socioeconômica, via web-service, 2006
Administração e a contabilização/ accountability para o terceiro setor, 2007/2018
Economia digital e sustentabilidade, 2008/2018
Autonomia financeira e a autogestão – uma ideia, 2019
Doutrina econômica da cooperação – revisão das regras dos princípios cooperativistas, 2021

YOUTUBER/ Rosalvi Monteagudo
www.econsolidaria.org

Serviço:

Doutrina Econômica da Cooperação
Revisão das Regras dos Princípios Cooperativistas
Rosalvi Monteagudo

Scortecci Editora
Economia
ISBN 978-85-366-6198-8
Formato 14 x 21 cm 
180 páginas
1ª edição - 2021
Preço: R$ 40,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home