A CONDIÇÃO FEMININA EM MARIA LACERDA DE MOURA / Tatiana Ranzani Maurano


A proposta deste estudo é trazer as contribuições dos escritos da educadora, feminista e anarquista do início do século XX, Maria Lacerda de Moura (1887-1945) sobre a condição feminina, fazendo aproximações possíveis dentro da discussão das categorias de gênero, patriarcado e educação e tomando como objeto de estudo seu segundo livro, Renovação, escrito em 1919. O objetivo foi fazer uma análise de configuração textual da obra Renovação e, assim, trazer à tona seus argumentos sobre a condição feminina e a educação em seu tempo, bem como os desdobramentos para os desafios da atualidade. Assim, como instrumento para o desenvolvimento de tal proposta, buscamos nos apropriar dos estudos de Maria do Rosário Longo Mortatti sobre a Análise de Configuração Textual, considerando as categorias gênero, patriarcado e educação como focos da análise. A compreensão da história da sociedade e, dentro dela, a de um determinado grupo social oprimido, bem como as elaborações do pensamento para a superação dessa condição, é crucial para captar a dimensão da dominação masculina dentro dela e, assim, buscar a transformação dessa realidade. Nas leituras feitas sobre os escritos de Maria Lacerda de Moura, destaca-se seu diferencial em relação aos pensamentos e escritos das mulheres brasileiras de sua época. Historicamente falando, Lacerda é de uma época em que as mulheres estavam lutando por seus direitos a melhores condições de trabalho e ao sufrágio. Destaca-se o que já falava a autora sobre a mulher poder escolher com quem vai se envolver, sobre a importância de ela estudar, de instruir-se, sobre amor livre, sobre a escolha de ter ou não ter filhos, sobre sua condição de subjugada, tutelada, não apenas nas questões dos direitos, mas também nas questões do cotidiano, em um nível mais simbólico e particular, algo que começou a ser mais discutido e pontuado a partir da segunda metade do século XX (1960-1970). Nesse sentido, é notório o quanto Maria Lacerda de Moura ainda pode contribuir para as questões relacionadas à condição e subjugação feminina e para a reflexão sobre os conceitos de gênero, patriarcado e educação. Revisitar seus escritos, ou seja, olhar para a história, é ter cada vez mais a percepção do quanto a opressão da mulher está enraizada na construção histórica em nossa sociedade e do quanto ainda se mantém nos dias de hoje, seja pela não garantia dos direitos que conquistados, seja pela opressão simbólica e histórica que ela sofre cotidianamente. Revisitar sua obra foi a descoberta de caminhos para a renovação social. 

A condição feminina em Maria Lacerda de Moura: análise de configuração textual do livro Renovação (1919) trata da condição da mulher e dos excluídos numa sociedade de classes. Tendo em vista a situação política do nosso país, este estudo não poderia vir em melhor hora, quando os preconceitos em relação à mulher vêm à tona cada vez mais explícitos. Profundamente afetada pela constatação da opressão social e cultural da mulher e sua invisibilidade na história oficial e na construção da trajetória humana, Tatiana Ranzani Maurano investigou escritos sobre a história da mulher para compreender sua exclusão da narrativa oficial brasileira. Deparou, então, com as reflexões e escritos de Maria Lacerda de Moura, professora, escritora, anarquista e feminista. Na primeira parte desta obra, dedica-se a retratar a vida da autora, sua obra, suas reflexões e o contexto em que viveu, abordando conceitos como patriarcado, gênero e educação. Na segunda parte, aborda diretamente o livro Renovação, de Maria Lacerda de Moura, caracterizando minuciosamente tanto a obra de 1919 como a edição de 2015. Pela voz de Lacerda e de outras mulheres citadas no livro, Tatiana busca desvelar as estruturas de poder que organizam posições sociais na sociedade e as questões ideológicas que normatizam e naturalizam desigualdades.
Cristina Paixão Lopes

Em tempos em que se vive a condição de opressão e de violência contra a mulher, a dignidade e a liberdade humanas, Tatiana Ranzani Maurano nos brinda com a análise da obra Renovação, escrita pela feminista Maria Lacerda de Moura – uma mulher que, nos anos de 1920, tem a coragem de escrever, sem rodeios, sobre a dominação patriarcal e a possibilidade de abrir brechas para a liberdade por meio da educação. Esse livro, escrito com paixão, nos convida à insurreição contra tudo que oprime a mulher na sociedade. Tatiana realiza fielmente a tarefa à qual se propõe: trazer as contribuições de Maria Lacerda de Moura para que os/as leitores/as se aproximem das discussões de gênero, patriarcado e anarquismo em direção à corajosa construção histórica de caminhos para a renovação social!
Anna Maria Lunardi Padilha

Tatiana Ranzani Maurano nasceu em 2 de abril de 1977 na cidade de Piracicaba, interior de São Paulo. Formou-se em Psicologia pela Unimep, sempre trabalhando na área social, com populações historicamente negligenciadas, principalmente mulheres, tanto em Piracicaba como em Recife, capital de Pernambuco. Em 2019 defendeu seu mestrado em Educação pela Unimep, estudando as questões de educação e gênero através dos escritos de Maria Lacerda de Moura. Atualmente é doutoranda em Educação pela Unesp – Marília, estudando o que Maria Lacerda de Moura falou sobre educação e fascismo no Brasil.

Serviço:

A Condição Feminina em Maria Lacerda de Moura
Tatiana Ranzani Maurano
Scortecci Editora 
Mulheres
ISBN 978-85-366-6122-3
Formato 16 x 23 cm
260 páginas
1ª edição - 2020
Preço: R$ 45,00
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home