FANTASMAS DO ARAGUAIA / Jorge Stamatopoulos

O mundo pós-Woodstock e o maio de 1968 em Paris, quando o movimento estudantil deflagrou um conflito que viria trazer profundos reflexos não apenas para a sociedade francesa, mas para todo o mundo, encontrava seu contraponto no Brasil. Aqui o Ato Institucional nº 5, fruto do acirramento da ditadura militar, eliminava de vez qualquer possibilidade de retorno à democracia. Nesse cenário, um jovem universitário, até certo ponto alienado do contexto político que o cercava, em busca de respostas às suas angústias pessoais, embarca numa aventura sem volta, que iria marcar sua vida para sempre. Tendo a densa floresta como pano de fundo, o personagem, numa atmosfera de pesadelo, combate aqueles que o governo considera como inimigos da nação, mas que no fundo são apenas pessoas que apresentam as mesmas dúvidas e inquietações suas. Fantasmas do Araguaia, obra de ficção, fruto de profunda pesquisa do autor, que inclusive esteve na região, pretende mostrar aos leitores o lado humano desse conflito, que lamentavelmente ainda não pode ser dado como encerrado, já que muitas vítimas continuam sem direito a uma sepultura digna.

Fica aqui a velha máxima: “Numa guerra, não existem vencedores, de alguma forma todos perdem”.

Contradizendo o senso comum de que seríamos um povo pacífico e cordial, a grande verdade é que, ao longo de nossa história, o Brasil tem se envolvido em graves conflitos militares. Sem maior esforço, em função de sua importância, poderíamos citar a Guerra do Paraguai e Canudos como exemplos, mas sem esquecer os vários outros movimentos ocorridos antes e depois de nossa independência. Obviamente nossa participação na Segunda Guerra Mundial não pode ser esquecida. É frequente também o convite ao Brasil para compor as Forças de Paz patrocinadas pela ONU. O episódio da Guerrilha do Araguaia se enquadra plenamente neste contexto. Impulsionados pela Guerra Fria, um grupo de jovens de vários estados do Brasil se instala na região do Araguaia (hoje estado de Tocantins), visando com isso iniciar um movimento armado, que na sua visão deveria se alastrar por todo o país. Percebendo os riscos envolvidos, o governo inicia então a repressão ao movimento. Jovens de ambos os lados, comandados por políticos, se envolvem em inúmeras escaramuças que depois se ampliariam para combates mais intensos, que vitimaram inclusive moradores da região. Aí encontramos nosso personagem. Boa formação cultural, mas tendo que cumprir ordens que lhe parecem cada vez mais insanas e sem sentido. Sem família ou mesmo amigos mais próximos, a única forma de manter sua sanidade é se refugiar em divagações nas lembranças de sua antiga vida.

Jorge Stamatopoulos nasceu em São Caetano do Sul (SP) e é advogado e mestre em Direito. Atuou profissionalmente como advogado em empresas de grande porte, nacionais e estrangeiras. Atuou também como professor universitário em renomadas instituições de ensino. Atualmente, além da advocacia, é palestrante e coordena o Núcleo de Estudos Filosóficos e Sociais (NEFS), que ministra cursos livres em vários ramos do conhecimento.

Serviço:

Fantasmas do Araguaia
Jorge Stamatopoulos
Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-65-5529-015-8
Formato 14 x 21 cm 
228 páginas
1ª edição - 2020
Preço: R$ 40,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home