& / Sebastião Ribeiro

'&' apresenta poemas que conversam com a incomunicabilidade, confusão, consumismo, tecnocracias e et coeteras que nos banham os ossos e corações no mundo atual. No viés individual de cada texto há todo um background de motivação moderna, que, além da forma, busca nos retratar como seres no caos e falta de padrões.

(DES)CASO COM A POESIA: INQUIETAÇÕES / Maurício Gomes

Na clareza dos mistérios, o poeta escreve sua própria vida sem deixar de farejar a vida que sopra no seio da humanidade; ele não deixa sem consolo ferida alguma, sem estrelados mágicos. Ora, a poesia de Maurício Gomes é pressão atmosférica, é esta senhora que vem no meio do sono, toma nossa mão e nos leva a passear em sinestesias  em latrinas. Sua poesia pretende arquiteturar o espiritual na arte.

(IN)TRANSPARÊNCIAS / Maria do Carmo Lacerda

(In)Transparências tem a luz como seu elemento criador. Pelos cinco módulos que compõem o livro perpassa a luz definindo contornos (Contraluz), iluminando (Cintilações), mostrando e ocultando (Claro-Escuro), criando espaços (Espaços de Luz) e revelando (Reflexos). Contra a luz surge a poesia (de vez em quando ela vem, a imprecisa), mas são mutáveis seus contornos (... se me olhar direito sou feia, se me olhar direito, sou bonita).

3º PRÊMIO LITERÁRIO DE POESIA PORTAL AMIGOS DO LIVRO / Vários Autores

O portal Amigos do Livro foi inaugurado no dia 06 de outubro de 2011 e pertence ao Grupo Editorial Scortecci. Um endereço para estudo, pesquisa, divulgação e promoção do livro e do hábito de leitura.

 

A AMBIÊNCIA AMAZÔNICA / Chaguinha do Biá

Do começo ao final desta laboriosa obra intitulada A ambiência amazônica, composta de pensamentos voltados ao mundo encantado da nossa Amazônia, dos nossos rios, lagos e pequenos vilarejos. Escritos com objetivo de seguir caminho com o leitor, pelo diverso e extraordinário mundo encantado das nossas belezas naturais; como se fosse uma verdadeira companheira nas horas mais interessantes e divertidas desses nossos amigos leitores.

A CAIXA-IMAGINAÇÃO / Severino Belló

Cada um de nós abre todo dia, ou a toda hora a sua caixa-imaginação, para extrair dela ilusões, sonhos e paixões. É a melhor bagagem nos caminhos do nosso viver. Severino Belló iniciou os seus estudos em Solagna, região de Veneza, terra natal dos seus genitores, continuou depois em Brúnico, e em Trento, onde, aluno interno meio contra vontade, estudou até o 4º ano ginasial.

A CARROÇA DAS SETE VIAGENS / Benedito José

Apreciar poesia é um ato de inteligência, pois exerce o gesto de respirar beleza através das sutilidades do pensamento. Apreciar poesia demonstra equilíbrio emocional e racional para se olhar por dentro com os olhos da palavra. Poesia é a companheira e amiga ideal para os momentos de solitude. Ela é uma força mágica já escrita na pele de quem ama. Ela nos preserva para novos encontros com o que houver de mais belo no planeta.

A CASA É O REFLEXO / Yara Regina Franco

A casa é o reflexo contém poemas elaborados e selecionados em casa, em momentos de reflexão e acolhimento, conforme observado pelo ilustre e renomado prefaciador deste livro, João Scortecci, e revela quem somos. Mostra gostos, alegria, tristeza, energia, leveza, sentimentos, amor, organização, beleza, entre paredes e espaços que momentaneamente ocupamos. A casa interage conosco. Amar a casa é cuidar dela para se sentir bem no lugar escolhido para morar.

A CIDADE DE FIGUEIREDO / Chaguinha do Biá

O quinquagésimo sétimo livro intitulado A cidade de Figueiredo, aqui apresentado aos amigos leitores, é uma obra que faz parte do poeta amazônida Chaguinha do Biá, que pretende não só contribuir para uma nova visão, como também criar leitores cada vez mais engajados com a causa do nosso meio ambiente amazônico.

A CIDADE EM NÓS / Rosane Zanini

“La ciudad en nosotros como prosa poética es un hecho develado en la lírica. Ciudades como Berlín, Vilnius, Zurich, Stuttgart, Paris y San Luis de Maranhão, adquieren una potente corporeidad y presencia desde los sentires, las emociones, las pasiones del sujeto que narra y es actor de su narración. La ciudad devela ideologías, es casa, lugar del amor, la acogida, es recuerdo, historia y es también experiencia que invisibiliza, la de los borders en el cambio social, la del nomadismo,

A CONVERSAÇÃO / Izacyl Guimarães Ferreira

Neste poema de título A Conversação Izacyl Guimarães Ferreira alcança o mais alto patamar de sua longa, discreta e paciente trajetória poética. É um desses poemas que os poetas só podem produzir no tempo final de um ofício em que os acréscimos contínuos de experiência artística se fundem com a experiência vital sedimentada e tornada uma reflexão do mundo. A Conversação é um longo poema íntegro e final, uma obra de madureza e plenitude.

A FADA MADRINHA / Chaguinha do Biá

Esta obra denominada de A FADA MADRINHA é um livro INFANTIL, voltado para as raízes da infância do poeta Chaguinha do Biá, que tem redobrado os seus pensamentos dia e noite, nas lembranças dos seus antepassados e trazidos de volta a nossa atualidade, através de seus pequenos textos infantis, poéticos, contos, fábulas e crônicas, para a felicidade dos nossos leitores amazonenses.

A FESTA DA ALEGRIA NO SÍTIO DA TIA MARIA / Chaguinha do Biá

É um livro INFANTIL, onde se destaca pela alegria da criançada nos finais de semana, conferindo-lhe de pertinho as preservações do nosso meio ambiente. Toda essa manifestação vem convivendo com o nosso entardecer Amazônico, por essa garotada feliz e sorridente com a Festa da Alegria no Sítio da Tia Maria.

 

A FLAUTA E O CAJADO DO PASTOR - 2ª PARTE / Amadeu Cirilo

Trata-se de um livro de poesias árcades, com um ensaio crítico sobre o poema Leia a Posteridade o Pátrio Rio", de Cláudio Manoel da Costa, com um comentário histórico sobre o ciclo do ouro em Minas Gerais, extraído da obra de André João Antonil, escrito em 1711, época da descoberta do ouro. São Epicédios, Epístolas, Cantatas, Caçonetas e Odes.

A FLAUTA E O CAJADO DO PASTOR II / Dionísio da Silva

Os livros didáticos de história têm sido publicados sem mais pesquisas, repetindo as mesmas coisas, algumas lendárias. Agripino Grieco tem esta opinião sobre a maioria dos nossos historiadores: "Eles têm o mesmo espírito de equipe que os alpinistas, que se amarram uns aos outros com uma corda. De livro em livro, eles vão repetindo, sem preocupar-se com pesquisas, que poderiam trazer à tona alguma novidade.

A GAVETA DO MEIO / Elba Vieira

As letras, durante toda a minha vida, foram escritas e abrigadas numa gaveta...a do meio! O sonho de reunir e publicar idéias, poesias e pensamentos sempre esteve presente em mim... agora chegou o momento de abrir a gaveta, e letras e pensamentos serem expostos ao mundo! Abrir “A Gaveta do Meio” é expandir o mundo que há em mim...quem sabe você não encontra também um pouco do mundo que há em você?

A HARPA EMUDECIDA / Gasparino José Romão

Já é tarde, eu preciso pôr um ponto final nas tergiversações a que me propus, no retrospecto em que fui buscar, numa viagem ao ontem, alguma lembrança para registrar do meu passado. Ao longe, o crepúsculo já encobertou a cadeia de montanhas que se diluiu nas sombras que descem e, pouco a pouco, vão amortalhando a terra, atropelando os derradeiros raios do sol e, à medida que a luzes da minha cidade vão acendendo, aquela monotonia silenciosa das tardes de outono vai invadindo a alma da gente, mesclando-se à solidão das próprias horas crepusculares.

A INSPIRAÇÃO É A ALMA DA POESIA / Rafael Luciano da Silva Nagai

Aqui nesse livro, faço a minha dedicatória à uma das minhas grandes paixões na vida, a arte de escrever poemas e poesias... Selecionando algumas, com todo meu romantismo e inspiração, como uma forma de fazer o mundo conhecer e, cada vez mais, apreciar essa tão maravilhosa arte... Assim passo algumas mensagens minhas, através de frases e versos com a suavidade e a beleza de uma poesia...

A INTERNET TOMOU CONTA DO PLANETA TERRA... / Manoel Ianzer

Aqui termina a “ação da poesia”. Agora começa a “reação” em busca do nosso EU, das nossas verdades interiores e exteriores, para completar as realizações individuais e sociais. Portanto, é o início de “atuações fortes e saudáveis”, para o objetivo principal ser alcançado, a fé de uma espiritualidade limpa e sem exageros, que leva realmente à direção da fertilidade da ALMA.

A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA OBRA DE MANUEL BANDEIRA / Neide Maia

Este livro tem como objetivo estudar a expressão poética de Manuel Bandeira, influenciado pela proposta das vanguardas européias.

A MAÇÃ QUE GUARDO NA BOCA / João Scortecci

A Maçã que Guardo na Boca é o 13º livro de João Scortecci, que nasceu no Ceará em 1956, e mora em São Paulo, Capital, desde 1972. Trata-se de um livro erótico e de poética sensual. Foi escrito no corpo de todas as mulheres (as que sangram e as que não sangram mais).

A MÁSCARA NO ESPELHO / Paulo Franco

Esta obra reúne uma seleção criteriosa dos 100 poemas mais significativos que foram publicados nos livros Notas das horas (1995), Pétalas de insônia (1999), Paisagens do olhar (2001), Do outro lado do outro (2007), A quarta parede (2010) e poemas inéditos que foram premiados em diversos concursos literários em nível nacional nos últimos anos.

A MINHA PRÓPRIA LEI / Carlos Vinícius

"A minha própria lei" é o primeiro livro de poemas de Carlos Vinicius, uma coletânea de toda sua produção poética não editada até 2012. Traz poemas de várias fases da vida do autor, dentro de uma gama variada de ritmos e estruturas. Traz, ainda, grande diversidade de ideias e conteúdos, em função do longo intervalo de tempo de produção que recobre. Boa pedida para os amantes da poesia comprometida com a emoção e as inquietudes do ser humano.

A MUHURAIDA / Sales Maciel de Góis

A obra, A Muhuraida: Uma página indelével na Literatura Brasileira, discute sobre a importância do poema épico/heróico A Muhuraida ou triunfo da fé (...), de Henrique João Wilkens, e propõe uma reflexão sobre os motivos que levaram à exclusão desse poema dos clássicos da literatura brasileira.

A MUHURAIDA / Sales Maciel de Goís (Reedição e Organização)

A Muhuraida: O primeiro poema épico escrito no Amazonas é uma reedição do poema A Muhuraida ou triunfo de fé, de Henrique João Wilkens, escrito em 1785, é o primeiro poema heróico escrito no Amazonas. Como um bom português Wilkens escreve o poema em oitava rima camoniana, a narrativa visa informar como ocorreu o processo de rendição, conversão e reconciliação da feroz nação Mura a João Pereira Caldas, Governador e Capitão General, que tinha sido do Pará e então nomeado para o Governo Geral das Capitanias de Mato Grosso.

A NAVE AZUL / Maria do Carmo Lacerda

Neste livro a autora traça a sua visão poética do planeta. As partes constitutivas da Terra são apresentadas e formam a estrutura da obra: os três reinos – mineral, vegetal e animal –, os quatro elementos – terra, água, fogo e ar – e, por fim, o grande passageiro desta nave, o homem, nos seus aspectos físico, mental, espiritual e emocional.

A NOSSA IGREJA MATRIZ / Chaguinha do Biá

O livro A nossa Igreja Matriz faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

A PARADA DA PASSARADA / Chaguinha do Biá

Chaguinha do Biá dedica grande parte de seu tempo às lembranças dos seus antepassados e, através de seus pequenos textos infantis, poéticos, fábulas e crônicas consegue trazê-los de volta à nossa atualidade. Este livro, recheado de contos, aborda a temática da nossa educação ambiental como um dos verdadeiros pilares do aprendizado para compreender e preservar o meio ambiente.

A PAZ DAS RAÇAS / Chaguinha do Biá

Esta obra denominada de A PAZ DAS RAÇAS é um livro de CONTOS, voltado para as raízes da infância do Poeta Labrense Chaguinha do Biá, que tem redobrado os seus pensamentos dia e noite, nas lembranças dos seus antepassados e trazidos de volta a nossa atualidade, através de seus pequenos textos infantis, poéticos, contos, fábulas e crônicas, para a felicidade dos nossos leitores amazonenses.

A PAZ DOEU / Clara Machado

O Livro fala da dificuldade que todas as pessoas têm de encontrar a Paz. Os homens têm uma tendência de depositar a felicidade no outro e no mundo externo e, por isso estão sempre se decepcionando. Eles ainda não descobriram o verdadeiro segredo da felicidade e de como ela está tão perto.

A PLANGÊNCIA AMAZÔNICA / Chaguinha do Biá

Este pequeno livro, que tem como título A plangência amazônica, tem celebrado, em versos, toda beleza da nossa Amazônia, dos lagos, restingas, costa de praias, igarapés, capoeiras, terras firmes, procurando mostrar ao público leitor que em cada um dos poemas descritos, a importância que a  floresta representa tanto na preservação, quando no equilíbrio do meio ambiente.

A POESIA QUE EMANA DA VIDA / Regilene Paulina da Cunha

Escrever é intertextualizar sobre a vida? Escrever é tecer diálogos com outros textos. Dependerá, claro, da visão de mundo do autor, de seu receptor e dos repertórios de leituras vigentes. Para a concepção bakhtiniana, “texto é uma unidade da manifestação do pensamento, da emoção, do sentido, do significado” e “linguagem é uma atividade humana”.

A PRINCESA SILENCIOSA / Maria Célia Flecha

O livro foi escrito em uma linguagem simbólica, onde é possível encontrar em alguns textos, flores que cantam, rios que choram, pássaros que falam coqueiros que se entristecem, e até contos de fadas. A ideia é fazer com que a criança viaje nas asas da imaginação e voe alto, recriando sua própria história. Pois em contato com sentimentos tais como: amor, a tristeza, a alegria, a dor e o sofrimento, consiga entender um pouquinho do mundo real.

A PRINCESINHA DO RIO PURUS / Chaguinha do Biá

O Livro de poesia intitulado A Princesinha do Rio Purus, conta com noventa textos poéticos, e baseia-se nos temas da nossa região de clima quente e úmido! Foi elaborado com simplicidade, mas procura mostrar os pequenos episódios da realidade amazonense, vivenciada a cada momento da minha infância e na viagem que fiz sobre as águas barrentas do Rio Purus.

A QUEM POSSA INTERESSAR / Omar Gazel Filho

Todo o cenário vivido pelo autor, o encorajou a fazer este livro e, sobretudo, expor com um pouco mais de verdade os seus sentimentos e pensamentos. Ontem o Surgimento, O Conhecimento, O Crescimento, O Envolvimento, O Firmamento. Hoje o Amadurecimento, O Ressurgimento, O Acompanhamento, O Esclarecimento, O Comprometimento. Amanhã o Reconhecimento, O Ensinamento, O Contentamento, O Exemplo, O Legado.

A TURMA DA ESCOLINHA DA TIA MARICOTA / Chaguinha do Biá

Neste pequeno e aconchegante Livro de LITERATURA INFANTIL, escrito em forma de versos, de autoria do professor, poeta, ornitófilo, ilustrador e fotógrafo Chaguinha do Biá, foram escritas oito narrativas divididas em pequenos textos baseados nos temas Amazônicos.

 

A VILA DO PURAQUEQUARA / Chaguinha do Biá

O livro A Vila do Puraquequara faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

ACALANTO / Francisco Moura Campos

A epifania que ilumina e colore os relacionamentos afetivos concentra-se no objeto de todo o carinho e ostensiva admiração: a filha Mariana. A identificação se mostra tão soberana e impulsiva que falar do pai-autor será também dizer da filha, o outro lado da fusão sentimental.
Fábio Lucas

AFÃ / Clélia Corveloni

A obra Afã, da autora Clélia Maria Corveloni Pardinho, reúne poemas de uma sensibilidade muito grande. A obra está dividida em cinco temas, sendo que o primeiro inspirou o próprio título do livro, pois o desejo ardente de tornar-se mãe motivou-a a escrever muitos de seus poemas; em seguida, há uma busca por si própria, na verdade os poemas são indagações para compreender sua própria natureza, sua razão de estar no mundo e de compreendê-lo.

AFASIA / Edenildo de Aquino

Este é o meu segundo livro. E para aqueles que não tomaram conhecimento do primeiro, saibam que este é o segundo. Se das palavras, as mais azuis agora vagueiam entre a afasia e a demasia é porque o homem ainda insiste em “apagar as estrelas”. Fisgado por tudo que a “cibercultura” pode oferecer e tirar de cada um de nós, também criei um “brog”; O “Imbróglio Com Zé de Aquino”.

ÁGUA-COM-AÇÚCAR / Jorge Arildo

Jorge Arildo de Oliveira Moraes é natural do Rio Grande do Sul. Com formação técnica, este engenheiro mecânico insiste em lidar com as letras... O exercício vira vício; rende menções honrosas. Participando de antologias poéticas; tendo trabalhos publicados em jornais e revistas nacionais,Pensa poesia... Em 2008 surge “apêndice da ousadia desarmada”.

ÁGUAS DE CLAUSURA / Edelson Nagues (Região Centro-Oeste)

Em Águas de Clausura, um navegar im/preciso pela precariedade da condição humana, com seus vieses e avessos. Na prisão do determinismo forjado por desvios e imposturas, o homem se debate, errante, contra as ondas da solidão e do medo, descobrindo-se algoz de si mesmo. Nas vagas da incompletude, ao se liquefazer, enfim – e entre tantos –, permeia os des/vãos das ideologias e vislumbra um trajeto possível entre o caos e o cais.

ainda / Vinícius Bovo de Albuquerque Cabral

Num completo domínio do material verbal, a arguta visão de Vinícius veio para ficar entre nós e nos fortalecer com a sua poesia de excelência. ainda, esse título ardido e mesclado de azul anil e amarelo ouro, resguarda e revela a esfera prismática da vida por meio do discurso poético.

ALÉM DO TEMPO / Maria José Laurito Adinolfi

Este livro foi escrito há muitos anos, mas não publicado, contrariando o conselho da Ilka. Estava guardado na gaveta de lembranças. Agora, quem sabe, poderá ajudar um pouco as pessoas que perdem seus filhos a descobrir o mundo novamente.

ALÉM DOS CINCO SENTIDOS / Maria do Carmo Lacerda

Trata-se de livro de poemas que aborda as muitas formas do amor, as sensações captadas pelos sentidos, que são alçadas, pelo sentir, às mais puras emoções possíveis ao ser humano. A obra se divide em quatro partes: PRESENÇA, AUSÊNCIA, ALÉM E MAIS ALÉM.

ALGUM ESCREVER POÉTICO / Marcelo Allgayer Canto

Em Algum escrever poético, o autor busca uma poesia que explore os mais variados sentimentos humanos como paz, amor, alegria, tristeza; a espontaneidade dos textos é notória, com uma rítmica, na maioria das vezes, de versos livres. Além disso, a poesia dita de protesto é enfocada com ímpeto, por exemplo, em “O amanhecer da globalização”, em que o poeta faz um alerta ao nosso planeta.

ALMA CIBERNÉTICA / Eduardo Frias

Há uma angústia que busca a redenção, há o inferno que procura o alento paradisíaco, a forma que busca a abstração. Uma elegia ao paradoxo humano em sua essência, uma cinestesia encontrada em cada verbo, qual acordes afinados de um violoncelo. As palavras ecoam em mim, como pequenas lições poéticas e livres, tempestades, carinhos.

ALMA E POESIA / Maria do Rosário Gomes Queiroz

São poemas que falam de amor, do cotidiano, das questões sociais, numa linguagem simples e de fácil entendimento.
Minha intenção é buscar
Lá no fundo da poesia
Um pouquinho de alegria
Para servir de inspiração

ALMA LIVRE / Yara Regina Franco

Alma Livre traz poemas premiados e prefácio de João Scortecci, editor. A sensibilidade e leveza poética da autora, Yara Regina Franco, surpreenderão você, leitor. Os poemas autônomos com temas variados deixam a leitura atrativa e formam um conjunto que “têm liga”, “uma doce sequência de movimentos”. A autora sabe falar de amor, de coração, de amizade, “no segredo de sua própria existência e no limite de muitas vidas”.

ALQUIMIA POÉTICA / Leila Souza

Alquimia Poética divide-se em quatro capítulos: três deles (Mythos & Ritos; Persona e Erotyka), referem-se à uma temática mais específica, onde a mitologia e toda sua ritualística, a personalidade e o erotismo são os pilares de cada um. No quarto capítulo denominado Alquymioteca, encontra-se uma pluralidade de ideias, de composições heterogêneas, onde o eu se dissolve por completo nas mais diversas emoções e contrastes culturais.

 

ALTER DO CHÃO - SANTARÉM - PARÁ / Chaguinha do Biá

O livro Alter do Chão – Santarém – Pará faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

AMANHECER NO HORIZONTE / Edemir Fernandes Bagon

Amanhecer no Horizonte é uma obra literária que apresenta textos poéticos e em prosa. O autor, Edemir Fernandes Bagon, aborda diferentes temáticas relacionadas à existência do ser no tempo e no espaço. Nesse sentido, o amor, a solidão, a saudade, a liberdade e a condição social do homem no mundo são revelados numa linguagem rica em expressividade e sensibilidade.  

AMOR DE MIM / Angelino Pereira

O amor enaltece a vida e dignifica a pessoa humana. Amor de mim, porque as pessoas são o melhor que há no mundo. É urgente AMAR! Angelino Pereira, mestre em Engenharia Humana e professor no ensino superior, desenvolve atividades de consultoria na área da prevenção de riscos profissionais e coordenação de segurança, com vários estudos publicados em revistas especializadas.

AMOR E CARNE / Heloisa Crosio / Dante Marcucci

Heloisa Crosio é poetisa e escritora amadora de Ribeirão Preto – SP. Encontrou na poesia mais uma forma de encantar... Fala de amor com paixão, como vive... Entrega-se à arte como à paixão, com amor... e intensamente! Reuniu neste livro uma parte de seu acervo. Unida ao seu parceiro poético, Dante, apresenta aqui seu talento em palavras que brotam do coração.

AMORES - Caminhos e Descaminhos / Ana Janete Pedri

A poeta Ana Janete escreve poemas, cujas canções correspondem ao desabrochar das flores em Jaraguá do Sul, que, ao lado das chaminés e parques industriais, necessita de jardins coloridos que enalteçam a vida. Alcides Buss Equilibrando suas poesias com sua alma, a escritora Ana Janete,resgata a lembrança, a espera, a tristeza e o momento na procura da felicidade existente dentro de si mesma. Arão Barbi

ANALFABETO FUNCIONAL / Genival Cirilo

Você que não nasceu há 10 mil anos atrás, Você que viveu momentos intensos geniais, Você que percebe claro a intenção, Você que não fabricou nenhuma invenção, Você que ri da desgraça alheia, Você que se consterna, empatia, leia, Você que na hora H deu um branco geral, Você que no branco do papel sente-se vegetal, Você que sozinho em sua individualidade, Você que está idealista em praticidade, Você que perdeu o rumo sem prumo, Você que não deixa a vida te levar contudo, Você que dosa a imperfeição,

ANARQUIA POÉTICA / Isabel C. S. Sousa

ANARQUIA POÉTICA é uma mistura de escritos poéticos, onde revela uma luta constante pela justiça, busca de perfeição, saudade, esperança! Retrato talvez de uma alma de imigrante que ama o lugar que lhe dá guarida; e, o que ficou para trás recorda também com amor e,com uma saudade saudável.

ANJO HÍBRIDO E OUTRAS / Andréia Franco

O poeta é um artesão que, como todo trabalhador, tem sua própria ferramenta de trabalho que, neste caso, são as palavras. Ah, as palavras, sempre carregadas de forte carga semântica, tanto para o bem quanto para o mal.

ANSEIOS DO CORAÇÃO / Filemon F. Martins

FILEMON FRANCISCO MARTINS, mais conhecido como Filemon Martins é hoje (2011), um dos mais ilustres nomes da poesia nacional. Baiano, de Ipupiara, foi registrado na Bíblia de seu pai (Adão Francisco Martins), uma bíblia antiga, de 1939, aquela aprovada em 1842, pela Rainha de Portugal, D. Maria II, com os seguintes dizeres: “Nasceu nosso filho Filemon, no dia 17 de janeiro, às 14 horas da tarde, em Ipupiara, Bahia, em 1950”.

ANSEIOS E CHAMAS / Sanio Aguiar Morgado

Anseios & Chamas, segundo livro de Sanio Aguiar Morgado, resume uma vida de sentimentos desde a juventude até a maturidade, tudo que o poeta por longos anos pode colher e perceber da vida, seus anseios e a constante presença do amor, a grande chama que nos acompanha até o fim nos mais íntimos momentos.

ANTES DO SOL SE PÔR / Cristina Fátima

Criei coragem e coloquei o que penso neste livreto, sem pretensão de tornar-se algo grandioso. Peguei umas folhas e parti numa viagem. Arrumei as malas do sentimento e escolhi o destino: um lugar para onde não se vai todo dia; esculpindo o normal para muito além do banal. Um diálogo interior: a viagem para dentro de mim mesma.

AO ALCANCE DA MÃO / Maria Lília Astori Zanuncio

O livro Ao alcance da mão é uma obra literária feita com muito carinho, indicado para todas as idades; literalmente "ao alcance da mão" de quem gosta de poesias. Ele traz em suas páginas poesias de conscientização, didáticas, religiosas, reflexivas, nostálgicas, entre outras, dando ênfase a Deus, ao amor, à natureza, à família, ao ser humano e aos seus valores éticos, morais e sociais.

AR PRIMAVERIL / Rute Raposeiro

A proposta da autora em Instante de Criação de Ar Primaveril é falar mais diretamente com o outro, mas ao analisar o livro percebe-se que poucas vezes isso acontece, apenas quando ela faz da natureza, o seu narratário. No livro Ar Primaveril a autora, praticamente, repete os mesmos temas dos livros anteriores: Fala sobre a Natureza: mar, dia, árvores; os sentimentos: Amor, tristeza, alegria, felicidade, solidão e principalmente a saudade e a Paz, que são constantes em seu eterno buscar.

ARABESCOS / Mário Massari

Do oculto traço que o sol dispara serge o arco refletindo gotículas seriam da chuva as cores filtradas ou das pueris lágrimas do pianista executando escalas sucessivas... O que seria da vida sem o poeta? Todo o poeta tem algo de divino, vê com os olhos de Deus. Consegue fazer da dor um poema, trata da angústia com transcendentalidade. Encontra a beleza onde simples mortais enxergam o nada, o vazio. É isso que senti lendo Arabescos de Mário Massari, que ora fala da dor, da angútia de viver, ora se encanta com as coisas simples da vida, ora recorda com saudade o que ja não volta mais ou ainda homenageia com delicadeza os que foram ou ainda são parte de sua vida.     

ARABESCOS EM VERSOS / Vera Lúcia

Maria Vera Lúcia da Silva Freitas nasceu aos 17 de junho de 1966 em Governador Dix-Sept Rosado, município do Rio Grande do Norte. Depois de percorrer rios, nadar sem norte desaguou no grande mar, lugar que encontrou sua inspiração, a cidade de Guajará-Mirim. Sendo amante da literatura, caiu nas teias das letras e, atualmente, é acadêmica do sétimo período do Curso de Letras da Universidade Federal de Rondônia Unir.

ARCO-ÍRIS / Iruda Cessah

O conjunto dos poemas deste livro são reflexos das minhas emoções momentâneas, e não o meu próprio ser. Gosto de brincar com as palavras e com elas manifestar o que me vai na alma, tal como um fotógrafo registra com sua câmera cenas que chamem a atenção, ou o pintor que usa a tela para expressar suas emoções e sentimentos; eu usei a poesia para registrar algumas situações que me tocaram.

ARROZ COM FEIJÃO / Francisco Moura Campos

Arroz com Feijão é uma maneira de ser,reiventada em cada poema do incessante fazer literáirio do Autor. É ele mesmo em sua oficina estrelada. Seu espelho mágico. Alguns dos carinhos cruzados em seu itinerário. A própria Poesia: como se faz e se sente.

AS ÁRVORES DE SÃO PAULO / Karin Massaro

Karin persiste em escrever poesias, como as “árvores de São Paulo” persistem em florescer na adversidade do concreto implacável. As palavras surgem de uma visão moderna e, por vezes, irônica de vários momentos da vida humana. Nesta obra, a autora mostra toda a sua sensibilidade e capacidade de análise do ser humano, não apenas na sua profundidade emocional, mas também na repercussão patológica do físico, objeto incessante de sua observação.

AS AVÍCULAS PURUENSES / Chaguinha do Biá

Você, meu caro amigo Leitor, vai encontrar nesta pequena obra: AVES DE ARRIBAÇÃO que visitam, a cada estação do ano, as paisagens do rio Purus, trazendo vida nova e esperança a um mundo castigado de maldade e violência.

AS CULPAS DO POEMA / Wladimir Saldanha (Região Nordeste)

Em “As culpas do poema” as indagações que acompanham a condição do poeta na contemporaneidade se tensionam ao extremo, tanto no plano formal quanto no temático. Desde os sonetos de abertura, a voz lírica se questiona sobre o seu “estar-no-mundo”, em tom autoirônico, reaproveitando os incidentes triviais da perda de uma carteira de identidade e da consequente requisição de sua segunda via.

AS EVIDÊNCIAS DO SILÊNCIO / Maygon André Molinari

Há o canto nacional e o canto solitário. o canto para os muitos, para os uivos. o meu é um canto à parte, um à margem, uma quietude. para os poucos deste mundo. para os vários. não prescindo do orgulho, da minha terra, dos meus sonhos. não prescindo das minhas lutas, devaneios, corolários. não prescindo dos milagres e da fé mais absoluta.

AS FAÇANHAS DA AMAZÔNIA / Chaguinha do Biá

Neste livro aqui apresentado que está recheado de poesias, se refere a nossa Educação Ambiental, como um dos verdadeiros aprendizados para compreender, apreciar, saber lidar e manter os Sistemas Ambientais na sua totalidade. Através de textos poéticos, inseridos nesta nova coletânea As Façanhas da Amazônia, retratam a nossa exuberante região conhecida no cenário mundial como o Tapete Verde o remédio do planeta terra. Neste livro foram escritos cinco títulos perfazendo um total de noventa textos poéticos.

AS HISTÓRIAS AMAZÔNICAS / Chaguinha do Biá

Chaguinha do Biá dedica grande tempo de seus pensamentos às lembranças dos seus antepassados e, através de seus pequenos textos – infantis, poéticos, fábulas e crônicas – consegue trazê-los de volta à nossa atualidade. Este pequeno livro, recheado de poesias, aborda a temática da nossa educação ambiental como um dos verdadeiros pilares do aprendizado para compreender e preservar o meio ambiente.

AS ILHAS / Izacyl Guimarães Ferreira

Paul Valéy observava que “escrevia a metade de um poema e a outra metade era o leitor que a escrevia”. Veio-me a propósito do novo livro de Izacyl Guimarães Ferreira, poeta, crítico e ex adido cultural de embaixadas brasileiras em países hispânicos, com o nome sugestivo e provocador de “As Ilhas”.

AS LÁGRIMAS DO PALHAÇO / Samuel Macário

O profissional palhaço deve comercializar o riso (pinga uma lágrima no piso). O funcionário palhaço como outros, faz hora extra, utiliza da esquerda se inútil a destra. O empresário do espaço do circo vendido e triste, Prostituído e com retocolite. O engraçado palhaço Hoje já não mais insiste Persiste com todos os risos do fracasso. Samuel Macário é um morador da Zona Leste de São Paulo que, desde cedo, se interessou pela leitura, escrita e política.

AS NEREIDAS DE PANDORA / André de Góes Cressoni

Talvez alguém se pergunte: “Como é possível em nosso século que alguém ainda escreva a partir de mitos greco-romanos? Isso não é mais que ultrapassado?”. A resposta para essa pergunta nunca será simples, pois somos todos, nós, ocidentais, filhos da Grécia e do misterioso Logos que tantos tentaram penetrar em suas peregrinações poéticas e filosóficas.

AS PALAVRAS / Rogerio Luz

A leitura da poesia mantém viva a imagem do que não é nem pode ser nomeado pela linguagem comum. Ao encontrar um leitor, a poesia reescreve o tempo da sociedade e da cultura. Passa a ser, desta maneira, alteridade e estranhamento, na busca por fazer soar os nomes, as palavras, com que se procura chamar o sentido, clamar pelo sentido. Em As Palavras, o autor se utiliza mais uma vez da chamada lira garcilasiana, para refletir, nos espelhos de cinco versos, sobre tal chamamento.

 

AS PERIPÉCIAS LABREENSES / Chaguinha do Biá

Esta pequena e nova obra intitulada As peripécias labreenses, conta diversas histórias do nosso imenso e arrojado território amazônico, que hoje coloca a região norte do nosso queridíssimo Brasil, no patamar de destaque em todo o cenário mundial, do grupo de animais que fizeram e fazem parte integrante do nosso maior e vulnerável pulmão verde da face do planeta Terra, do patriotismo, é em defesa desses pequenos animais que este livro vem ao encontro do leitor amazonense, pedindo uma reflexão quanto ao nosso meio ambiente.

 

AS PINTURAS MALDITAS / Bruno Borin Boccia

As pinturas malditas formaram-se da reunião do universo interior do autor, que, disposto em pinturas poéticas, retrata as dores, devaneios, amores e os demais sobressaltos de uma consciência que ondula sob os movimentos líricos de uma alma que constantemente procura por um lugar neste mundo.

 

AS QUATRO ESTAÇÕES / Stella Mello

"As Quatro Estações" -  Bodas de Ouro - Uma coletânea de poemas colhidos como flores semeadas em um jardim de sonhos. E, como as estações do ano, as estações da vida se sucedem... Primavera - beleza e frescor, como flores, iluminadas de amor; Verão - trabalho e ventura ao calor da mocidade; Outono - os frutos plantados são colheita farta; Inverno - momento de reconhecimento, os prazeres da tarde com o sol dourado ...São as Bodas de Ouro!

ATRÁS DAS LETRAS / Luciana Aquino Capello Coelho

Este livro surgiu de um sonho. Um sonho que nasceu comigo, como uma estrela no universo que um dia quis brilhar. Em Atrás das letras... encontram-se as palavras, os sentimentos, os versos e as rimas que nos embalam a cada dia, na poesia chamada vida. O livro que brilha neste momento em meu universo nasceu de mim, mas é da multidão... Falo da alma, da música, do bairrismo, dos deuses, do amor...

ATRAVESSANDO PONTES / Marilina Baccarat de Almeida Leão

A vida nos oferece inúmeras oportunidades e várias maneiras, que poderemos escolher, para seguir os nossos caminhos. Temos tendência de sempre achar que seríamos mais felizes, se tivéssemos feito isso e não aquilo. Que poderíamos ter sido mais plenos se não tivéssemos aberto mão daquilo e não disso. Nunca seremos, plenamente, felizes com o que temos.

AUTORES MATO-GROSSENSES / Dolores Flor da Cruz Leite (org.)

O livro conta com a participação de vários poetas Mato-grossense, nosso objetivo é divulgar nossos talentos e nossa cultura. O tema é livre. Embora as belezas de Mato Grosso sejam bem percebidas em suas paisagens, artes e pessoas, ainda assim há muito a se conhecer e a admirar. Esta coletânea tão corajosamente inspirada e organizada por Dolores Flor nos possibilita vivenciar um pouco mais dessa terra tão abençoada.

AUTORRETRATO E OUTROS "EUS" / Fabiano Campachi

Quem lê pela primeira vez a poesia de Fabiano Campachi se surpreende com o talento deste jovem. Para ele, a poesia não é apenas uma companheira, é a sua própria essência. Por ser poeta de nascença, ainda menino já brincava com as palavras e as trazia para perto.

AVIS RARA POÉTICA / Darclê

Avis Rara Poética é um livro de poemas, que se apresenta  em versos soltos, livres, falando com lirismos das emoções dos seres humanos. O uso de poucas rimas lhe dá uma conotação por vezes lúdica, em contraposição às reflexões advindas das experiências de vida. A autora passeia do bem-humorado aos temas sensuais; do abstrato dos sentimentos ao concreto do cotidiano, mostrando assim os aspectos contrastantes e inesperados da vida.

BAILADO / Celina Lucas

Celina Lucas nasceu em São Paulo, Capital. É mestra em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, ECA/USP, publicitária e professora universitária. Em suas pesquisas, vem servindo como grande incentivadora na difusão da cultura brasileira, em especial da canção popular.

BANZO BRANCO / Melissa Fernandes Mundim

Banzo Branco é a primeira obra da poetiza Melissa Mundim e traz o registro de sua trajetória poética, por 20 anos guardada em gavetas. Os poemas mais recentes inauguram o experienciar de sua interação com o cenário musical da capital mineira, mais especificamente, com as composições de artistas negros contemporâneos, carregadas de emoção e percussões, cuja energia acabou por dar tom à obra.

BATISMO DO APRENDIZADO / José Márcio Pereira

O olhar poético do autor, ao mesmo tempo em que registra as emoções percorridas ao longo da existência, é aprendiz do mundo. De tudo parece extrair lições e significados. Sua sensibilidade toca até os grandes dramas da época, mas é sobretudo das pequenas coisas que passam desapercebidas que o autor se ocupa.

BAÚ DE QUALQUER COISA / J. CORDEIROVICH

Baú de Qualquer Coisa, de J. Cordeirovich, reúne poemas de um poeta que textualmente se diz não poeta. E essa contradição é parte da sua busca pelo inusitado, pelo controverso que possa gerar situações, paisagens diversas. Nada lhe escapa de certo e um simples som no silencio podem sim render na sua imaginação, tantas quantas palavras forem necessárias pro devaneio solto e descompromissado.

BELA FLOR (EM VERSOS) II - 50 POEMAS COM AMOR DENTRO / Cláudia Rodrigues

Bela Flor (versos) II 50 poemas com amor dentro, nasceu da ideia da primeira obra ter sido trajada de palavras e cores que deram sentido aos versos na imensidão da composição de cada poema. Neste livro, Cláudia Rodrigues, deixa seu legado sobre o amor. Talvez o tema Amor não seja totalmente complexo, mas sim algo que sentimos e que devemos afirmar constantemente, pois ele está em todas as páginas das nossas vidas.

BEM-TE-SONHO / Lia Beraldo

Bem-que-logo-vi quando nos encontramos de súbito na estrada da vida: havia ali uma alma capaz de ouvir e alcançar estrelas. Lia Beraldo é uma dessas pessoas raras: de grande inteligência, imensa sensibilidade e olhos profundos capazes de enxergar a vida através da química da poesia.

BIOGRAFIA EM CORDEL / José Amorim

O livro conta a história de um menino nascido no interior do Estado do Ceará, na segunda metade do século XX, onde viveu desde o seu nascimento até a adolescência, mostrando o seu desenvolvimento, o relacionamento familiar, as alegrias e as dificuldades enfrentadas em consequência da dura realidade da região.

BLANCO EN EL BLANCO / Eliana Machado

Blanco en la poesía
por José Antonio Mazzotti
La aparición de todo poeta debe saludarse como el descubrimiento de una nueva estrella en el mapa estelar. Algunas serán más grandes y luminosas, sólo para desaparecer con la misma intensidad.

BOA VIAGEM / Rubens Bonatelli Moni

Em 'Boa Viagem' o autor realiza percursos de memória e de recriação. Ciência e artes, linguagens e arquétipos reconstroem Teoria Crítica da Cultura e literaturar desvendando através da transformação de prosa em poesia limites entre a vida e a morte. Do mote, incesto e acasos, são coincidências obrigatórias entre cafajestes e assassinos. Da práxis teórica fundante no valor trabalho a concepção de mundos são exegeses de santos e mártires.

BOCA AZUL / Cristina Magnaghi

Invocar a alma com versos? Sim e por que não? É tudo tão possível com os versos de Cristina Magnaghi... Neste seu terceiro livro, a autora mantém os pés no “ser pleno de ser” e o coração mergulhado em cósmico azul. A partir daí, faz da aparente fuga ao não tempo e a outras esferas o caminho natural para si mesma, para o outro e para o Outro. No trajeto, recria anversa escrita como um viver-navente quase preciso.

BRASIL / Sebastião Santos Silva

Sebastião Santos Silva nasceu no dia 10 de novembro de 1970 num casebre de pau-a-pique num sítio denominado Santa Cruz no município de Urandi - Bahia. Filho de pais camponeses e analfabetos, mas sempre gostou de estudar e dedicar-se aos estudos. Formou-se em Magistério e dedica-se à profissão desde 1991. Ingressou na faculdade dez anos depois de ter concluído o Ensino Médio e formou-se em Letras. Fez especialização em Gestão Escolar e Literatura.

BRASIL PÁTRIA AMADA / Heriberto Noppeney

Heriberto Noppeney, poeta e letrista paulista, mora dividido entre dois mundos: São Paulo, onde encontra o sentido supremo da vida, e Hamburgo, onde sempre desce até o inferno e encontra seus fantasmas, sua dor profunda e seus medos infinitos. Neste livro, Heriberto mistura o céu brasileiro com o inferno alemão, procurando uma terceira dimensão para poder encontrar seu lugar, sua paz e sua própria fórmula, sem precisar de modelos a seguir.

BRILHO DA ALMA / John Emílio Garcia Tatton

Brilho da alma é uma coletânea de poemas inspirados por sentimentos e pensamentos de ordem afetiva, filosófica e ecológica. No campo da afetividade, eles versam sobre simpatia, estima, admiração benquerença, felicidade, carinho e outras manifestações do amor em sua amplitude maior. O tema da filosofia permeia alguns dos poemas levantando questões sobre a existência, o conhecimento, a verdade, os valores morais e estéticos, a mente, a linguagem, a sabedoria e a liberdade de forma transcendental.

CABEÇA E CORAÇÃO EM CURTO-CIRCUITO / Francisco Sá Junior

O livro de poesias CABEÇA E CORAÇÃO EM CURTO-CIRCUITO tenta exprimir as incertezas de nosso tempo e nosso país com a angústia das palavras em exprimi-las, percorrendo dúvidas insuperáveis. As fotografias inclusas são uma expressão visual dessa contradição inerente à condição humana, agravada pela realizade que nos comprime, mastiga e engole.

CABEÇA VAZIA... / Ramon Correa

A obra Cabeça vazia... oficina de poesia apresenta produções de essências raras, oferecendo diferentes sentidos à plasticidade das palavras, e pensamentos filosóficos deste autor que transcende o momento do aqui e agora, levando o leitor ao voo do casamento da transição poética e liberdade de expressão através de emoções distintas, diversas, contagiando com avidez a leitura da palavra seguinte enobrecida pelo resultado da intencionalidade em cada disposição poética.

CACOS E RETALHOS / Daniel Mauricio

Inserções poéticas no cotidiano, mergulhos existenciais e pitadas de erotismo são constantes na obra de Daniel Mauricio, poeta que vai dos poemas mais longos ao instante fixado nos haicais. Seus versos são impregnados de lirismo e de sugestões sinestésicas, com ritmo próprio e agradável. Algumas vezes, sua tessitura beira a magia das palavras, como na luta metalinguística encetada por Carlos Drummond de Andrade.

CAIXA DE TINTAS / Ronaldo Desidério Castange

Nesta obra foram selecionados textos que tratam de convites. Convites à escrita, ao mundo das palavras, à vida. A esperança e o saudosismo podem ser notados entre as linhas e rimas de cada poesia. As inquietações e as críticas também se fazem presentes entre ironias e sorrisos. “Só descrevo a poesia que trago na alma. Bem interpreta quem tem na alma a poesia.” E são tantas as cores que podemos trazer em nossas caixas de tinta.

CAMINHO SERENO / Maria Aparecida de Brito Amaral

A coletânea de poesias Caminho Sereno vem com uma leitura simples, mas ao mesmo tempo fascinante. Esta obra enche o peito de emoções e a mente de lembranças, pois leva diretamente ao convívio com a Natureza.

CAMINHOS / Alberto de Castro

Caminhos – Poemas e Pensamentos é o primeiro livro publicado de Alberto de Castro. Seus poemas curtos, plenos de significado, nos convidam à reflexão sobre importantes temas que povoam o dia a dia de nossas vidas, e ainda têm a companhia de pensamentos de diversas personalidades de todos os tempos. Que as palavras desta obra lancem luz aos nossos caminhos, tornando-os mais agradáveis!

CAMINHOS DE SANTA ROSA / Danilo Franceschetti Santa Rosa

"Caminhos de Santa Rosa" é uma obra incomum, por permitir que novas reflexões surjam após a leitura de cada poema que a compõe, fomentando nos leitores, o desejo de repensarmos os mistérios da nossa existência.

CAMINHOS DIVERSOS / Bernardete de Lourdes Michelato

No remanso literário, imergem  e flutuam as vagas horas de toda uma existência para sorver a essência do belo e aspergi-la suave pelas letras da arte. Há quem se manifeste pela vertente objetiva da linguagem jornalística, ao informar e repassar mensagens singelas no ofício de apresentar os conhecimentos.

CAMINHOS DO COTIDIANO - 6ª EDIÇÃO / Manoelzinho Moreira

Narrar e poetizar valores do cotidiano é mais difícil. Dizem que os poetas e escritores devem buscar o que está escondido dos olhares comuns. Por isso, o esforço em encontrar o “novo” torna-se uma obrigação e, às vezes, um obstáculo ao encontro dos leitores e ouvintes com o mundo concreto que se deseja narrar e poetizar. No entanto, esse mundo concreto continua a ser o desafio. Nele nascemos, amamos, trabalhamos e morremos.

CANÇÃO / Francisco Moura Campos

Canção é um exercício da lira e aspiração individuais. Encontros literários. Ponteiode companheiros. Braço estendido para o aperto de mãos. É a vida verdadeira do Autor. O canto à mulher. Duas estoriazinhas de clã. E algumas dedicatórias, dos livros anteriores, a amigos queridos.

CANTANDO O ENCANTO DA POESIA / Mario do Couto

O vate canta em metáfora a beleza de suas rimas. “Cajilla” é um poeta de expressão romântica e de sublime e divina inspiração. Suas poesias afloram e relatam com rara beleza, os acontecimentos da vida, é como um conto, tem início, meio e fim.

CANTATA / Carlos Morais

CANTATA foi composto para uma mulher muito amada, para o que sentem problemas de abandono e para os que sonham uma vida diferente e melhor. É um livro que foi escrito porque estava abarrotado de lembranças alviçareiras e sentindo o passar do tempo, na espera de ver todos os problemas resolvidos. Tudo estava pronto e Agora, Senhor!

CANTEIRO / João Chrisóstomo de Medeiros Neto

Na primeira edição de sua poesia, o autor inclui uma série de poemas nos quais se revelam as influências e objetivos literários que marcam o apelo ao rigor métrico e à volta da temática lírica e idealista, remetentes da poesia romântica de Castro Alves e do verso clínico de Olavo Bilac. A poesia brasileira aqui encontra um refúgio ao concretismo estéril e à perda da função poética sob o materialismo intelectual das gerações pós 2ª Guerra.

CANTO EFÊMERO / Solange Berard Lages Chalita

Solange Berard Lages Chalita, escritora e artista plástica, é natural de Maceió (AL). Licenciou-se em Letras Clássicas pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santa Úrsula (RJ), e bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Alagoas.

CANTOS E DESENCANTOS DE UM GUERREIRO / Jefferson Santana

A história de uma vida e de um povo contada em versos. Cantos e desencantos de um Guerreiro é a representação da lírica de um povo que tem na própria sobrevivência a mais constante e intensa poesia. Escrito por um dos guerreiros do grande exército de guerreiros periféricos que estão na luta do dia a dia, o livro traz poemas que são frutos de toda essa resistência expressada dentro de um mundo de grandes desigualdades.

CARTAS DE UM POETA DESCONHECIDO / José Eduardo Simões

Depois de em seu livro Imitações homenagear poetas brasileiros e portugueses por meio de poemas por ele criados, José Eduardo Simões novamente surpreende ao criar agora “cartas poéticas” para vários deles. Além disso, propõe o nascimento do “Ubaldismo”, movimento literário que tem por objetivo divulgar, por meio de literatura diversa, o pensamento do filósofo italiano Pietro Ubaldi.

CASTELNAU / Vagner Braz

Castelnau é uma obra híbrida que procura, através da poesia, captar a atmosfera social, principalmente da coletividade de Pontes e Lacerda - Mato Grosso, do mundo contemporâneo, olhando para várias problemáticas, equacionando determinadas questões, interrogando a vida.

CELY, A MENINA POESIA / Aynin Mayuma

A poesia e o sonho não necessitam de uma idade. Cely, a menina-poesia, em nome da poesia que carrega no íntimo de sua alma, muda a história da sua vida e a história da vida dos que a envolvem em laços de família e de amor. Esta história ensina às crianças, aos jovens e aos adultos que o amor, a esperança e a alegria precisam ser maiores do que a dor e o sofrimento.

CERTAS MULHERES / Augusto Cruz / Mirian Canavarro

A obra tem como tema central a mulher. Criando uma série de contos através de personagens diferentes, com idades, histórias, crises e perspectivas próprias, mas que possuem a qualidade de compor um universo feminino amplo, desmitificando a mulher padronizada e retomando o conceito da diversidade de gênero.

CHANT DE SIRENE AU BORD DU FANTASTIQUE - CANTO DE SEREIA À BEIRA DO FANTÁSTICO / Lia-Rosa Reuse

J'entre dans la maison de mon Coucou En Bois,
depuis beaucoup d'années retraité, en repos.
Me voyant fatiguée, pour m'appuyer le dos
il m'offre ses ressorts où alors je m' assoie.

Entro na casa de meu Cuco De Madeira,
aposentado há anos, há tempo em repouso.
Vendo-me cansada, para apoiar-me as costas
oferece-me molas para que eu me sente.

CHEIRO DE MATO E CAPIM-LIMÃO / Ivone Lopes de Lana

São poesias profundas que falam da pureza e beleza das cidades do interior, do amor, do cotidiano corrido e de nossas tragédias particulares. Poemas que falam das lembranças de um tempo pueril e saudoso, quando o sol brilhava até tarde e o cheiro do café preto anunciava a broa de milho que iriam comer na fazenda.

CHUVA ARDENTE / Monica Conceição

Livro de poesias que fala dos amores perdidos e resgatados, sobre o planeta, mulheres, inquietudes, morte e vida. Tem quem diga que a poesia morreu. Não é verdade. Eu sei porque li este livro. Senti nos versos de Monica Conceição a chuva caindo. Senti a vida renascendo. O verso dando forma à vida. E a vida sendo o sentido do verso.

CIDADE DESAPARECIDA / Lalo Arias

Qual a conquista daquele que abandona sua cidade natal após transitar por suas ruas durante meia vida? Se os poemas deste livro não respondem a esta pergunta, pelo menos buscam, de maneira enviesada, inventariar suas perdas. Os amigos que partiram para o exílio, o enterro do pai, os amores que desapareceram em meio à fumaça dos bares, o final de uma noite embalada por canções de Leonard Cohen e pela leitura de uma peça de Jean Genet, o vislumbre da cena final de um filme ao cair da tarde, a vizinha castigada pelo Alzheimer sentada em seu banco na calçada.

CIDADE GRANDE SUPERNOVA / Flávio Ferretti

Cidade Grande Supernova é “um céu e mais adiante” “caminhando sobre incertos fractais”? Certamente é, mas também é mais. O trilheiro, amigo dos golfinhos, terapeuta e... punk Flavio Ferretti – por ter nascido no (in)san(t)o ano de 1977 – não pretende provocar a morte de uma estrela no espaço, mas anunciá-la... Supernova expõe as vísceras de sua poesia radical e afirma Ferretti como um iconoclasta que pariu uma constelação de anseios e contradições na última metade desta década.

CIDADE MULHER / Weverton Duarte Araújo

Coletânea de poemas, acrósticos, rimas elaboradas, trocadilhos e jogos de palavras. Uma homenagem à mulher, ao homem, à vida e à morte nos relacionamentos cotidianos da cidade.

CIDADEULÍRICAS / João Daniel Borges

Atravessamos a cidade com todas as suas belezas e intempéries. E assim como nossos passos ajudam a desenhar a paisagem, a cidade também nos transforma com a dureza arquitetônica dos seus prédios e o desarranjo das avenidas, onde desamparados se misturam pessoas e carros.

CINQUENTA EM UM / Gilmar Diolee

A obra contém poesias que tratam de temas diversos, como amor, felicidade, alegria, amor à vida, abandono, desencantos, sonhos, traição, angústia, desespero, dentre outros. Intercaladas às poesias, constam frases eternizadas de personalidades diversas.

 

COLETÂNEA POÉTICA POE'VERA / Antoniella Devanier (org.)

A Coletânea Poética Poe'Vera, organizada pela escritora e jornalista Antoniella Devanier, é a primeira produção do Movimento Poético Poe'Vera, que se iniciou em Salvador, em 2013. O movimento reúne pessoas em prol da arte, do amor, da espiritualidade, da leveza, da coragem e da poesia. O resultado é esta obra com a participação de 16 poetas: Ana Cordeiro, Antoniella Devanier, Chris Dinigre, Denise Dinigre, Dilton Jesus, Kátia Franco, Janaina Costa, Leu Pimenta, Marcia Barros, Marilvia Claudino, Milena Moreira, Rosa Marinho, Teresa Rodrigues, Uilma de Andrade, Valter Junior e Vaneide Luz. 

COMEÇOS - SEMPRE HÁ UM COMEÇO PARA QUEM ACREDITA / Margareth Reboledo

Não creia em tudo o que vê, mas acredite em tudo o que faz. Se realmente acreditar em seu sonho, você será capaz de alcançar o que deseja. Começos é a introspecção expressada em forma poética com as verdades e falsas verdades do modo de sentir da autora. Trata-se de um retrato interno, mostrado em diferentes fases de sua vida, pois é um conjunto de poemas que foram escritos e engavetados ainda na adolescência e de outros vários há pouco tempo criados.

CONFISSIONARIUM / Marisete Zanon

Confissionarium é um livro de poemas e poesias. Retrata liricamente o cotidiano da autora de forma confissionista. Este livro retrata o amadurecimento poético, a poesia livre de convenções e a liberdade de compor. O termo Confissionarium, título do livro, inexiste!

CONSEQUÊNCIAS DA INCOMPLETUDE / Bissol

Num mundo em constante transformação devido aos avanços tecnológicos e as preocupações ambientais, a poesia intitulada Consequências da Incompletude busca entender as limitações do ser humano, suas fragilidades e seus sonhos, pelo viés filosófico metafísico, aplicado metaforicamente à arte poética. Cedo partimos em busca dos sonhos perdidos, deparamos com o lobo dos homens, tentando converter o mundo em um sistema de códigos abstratos que determina mundos paralelos e realidades impostas, fazendo-nos acreditar coletivamente na sua eficácia.

CONSEQUÊNCIAS DA INCOMPLETUDE / Bissol

Num mundo em constante transformação  devido aos avanços tecnológicos e às preocupações ambientais, a poesia intitulada Consequências da incompletude busca entender as limitações do ser humano, suas fragilidades e seus sonhos, pelo viés filosófico metafísico, aplicado metaforicamente à arte poética.

CONSTELAÇÃO DE IDÉIAS / Daniel Péricles Arruda Vulgo Elemento

Daniel, Vulgo Elemento, inicia seu livro de poesias Constelação de Ideias com um convite: “feche os olhos…” E eu me deixo levar por suas palavras onde uma ironia límpida, doce/amarga, distila humanismo, formula questões e constrói verdades. Desdobra-me seu mundo, apresentando seu pai, sua mãe, seus amigos, os adolescentes com os quais trabalhou, seus sonhos e a doce companheira que povoa seu pensamento.

CONTEMPLAÇÕES DIVINAS / Derradeiro

Nesta passagem terrena e breve do ser humano é impossível contemplarmos as flores da primavera sem passarmos pelo gélido inverno da vida. Eu, particularmente, não sigo nenhuma denominação religiosa, mas não posso deixar de relatar o trabalhar tremendo de Deus na minha vida e o seu trabalhar na de pessoas com as quais convivi e convivo, mesmo não fazendo menção de nomes.

CORAÇÃO FLECHADO / Analice Feitoza de Lima

Analice Feitoza de Lima nasceu na Fazenda Cruz de São Miguel, município de Bom Conselho, estado de Pernambuco, no dia 18 de setembro de 1938. Filha de Pedro Feitoza de Lima e de D. Joanira Feitoza de Lima (falecidos). É escriturária aposentada. Fez o Curso Prático de Comércio, diplomada em acordeon pelo Conservatório Musical Mangione (SP). Fez o curso de Metodologia Intelectual e outros.

CORES DO OUTONO / Maria de Fátima de Barros Neves

Seus versos imprimem sugestividade, porque cores, sons, climas e imagens se superpõem, volumosos, transpondo os limites que o texto concreto revela; da contrapartida econômica das palavras, parte para um campo polissêmico que extrapola a dimensão puramente psicológica do signo linguístico, da palavra.
Jonatan Almeida

CORPOS MARCADOS / Carlos Fernandes

Composta por sonetos, quadras, trovas e outras formas poéticas, a obra centra-se nos temas de violência e de morte, utilizando-se de fatos da vida cotidiana em geral e da história do Brasil em particular. Além do público literário, dirige-se a professores de Literatura e de História.

CORROSIVO QUANDO ABERTO / Fernando Cezar Alves

Nevrálgico. Cirúrgico. Nervoso. "Corrosivo Quando Aberto" procura, com estas características, compreender e interpretar as contradições e discrepâncias do cotidiano. Sempre sob o ponto de vista de que se a vida não é uma eterna festa ou um pesado fardo é, ao mesmo tempo, as duas coisas. Ou não, à critério do leitor... Mas recomenda: "Cuidado ao manusear".

COSTUREIRA DOS MALDITOS / Vânia Coelho

Costureira dos Malditos é uma coletânea de 83 poemas livres de metrificação, carregados de críticas que alinhavam posturas sócio-políticas diante do quadro em que se estrutura o mundo hoje. Os temas apresentam-se através de polissíndetos, hipérboles, metáforas, antíteses etc. A hipérbole, por exemplo, designa uma espécie de caricatura do cenário social. Por meio de sussurros, murmúrios e gritos vociferadores, os poemas representam as inquietações, as angústias e os medos; as alegrias, os anseios e os prazeres do novo século, ou talvez, de todos os séculos, pois salientam o que é inerente ao ser.

CRISÁLIDA DO AMOR / Sandro Aparecido Nunes

Meigamente durante noites suaves uma borboleta azulada em meu coração pousava e me encantava sussurrando levemente em meus ouvidos as mais belas poesias de amor. Cativou minha alma e inspirou os mais belos versos e rimas de amor. Em agradecimento ao divino presente recebido do anjo em forma de borboleta, dedico o livro Crisálida do amor com a mais pura e doce paixão. A terna borboleta. Vamos ler as poesias?

DA JANELA / Eritânia Brunoro (Região Norte)

Ganhadora do X Prêmio Literário Livraria Asabeça 2011 pela região norte, promovido pela Editora Scortecci em comemoração ao seu aniversário de 30 anos, o livro Da Janela reúne uma seleção de  55 poesias, que tratam de aspectos observados pela autora, com um olhar crítico, sobre o cotidiano,  o comportamento das pessoas e sobre a própria vida, utilizando a janela como ambiente propício ao exercício dessa observação.

DA PROVÍNCIA E OUTROS CANTOS / Maristela Veloso Campos Bernardo

Este meu primeiro livro de contos divide-se em duas partes: (1) Contos da Província e (2) Outros Contos. Contei histórias, inventei casos, imaginei vidas. Os contos que compõem a primeira parte tratam de temas recorrentes da vida interiorana – do interior onde vivi –, pois demorei a conhecer o mar. Desde criança ouvi contar da Mula sem Cabeça que aparecia nas madrugadas; da brasa vermelha do Pito do Saci sobressaindo-se de noite na escuridão.

DAS COISAS, OUTRAS / André Arruda

Dedicado aos sem juízo, o advento desta nova obra de André Arruda (das coisas, outras) traz a bem-aventurança de suas recentes obras. Antes disso, é uma bula, um ensaio de neologia de sua poesia adotiva ou de sangue, um perfil de um poeta que trata de seu tempo, sem se furtar também às confabulações teológicas, tratando sobre a Criação (ou ainda sobre a criação) mas sempre ao encontro da solução eterna e sem a culpa Suprema, perguntar: e se Deus fosse bom?

DDI - DISCAGEM DIRETA DO INCONSCIENTE / Aglaé Torres

Discagem Direta do Inconsciente, DDIs são poemas que emergiram do Inconsciente e subiram jorrando da primeira à última palavra em momentos distintos. Dia, Noite, Madrugada...
Aglaé

 

DE AMOR, DESAMOR E UMA PITADA DE SAL / João Figuer

Poeta de alma inquieta, João Figuer estreia com voz própria neste livro. Suas paixões e pulsões extrapolam as ladeiras e mares da Cidade da Baía e alcançam outras paragens, algumas físicas, distantes, outras absurdas, absolutas, imaginárias.

DE AMOR, VIDA E ETERNIDADE / Yvone Gelape Bambirra

Este livro trata dos dilemas do amor, da vida material e da eternidade temas que intrigam o homem e sempre serão motivo de questionamento e meditação. Livro interessante com poesias profundas para reflexão de onde estamos e para onde iremos depois de nossa passagem por aqui.

DE CORES, DIVERSOS / Jorge Arildo

Criação ou geração espontânea, em tudo palpita cor... Bolas, bolinhas, caixinhas; confete e serpentina, papeizinhos. Versos colorindo as linhas... Da mais solene à impactante tinta, a cor não imbeciliza; sensibiliza dignificando o sentido. Tamanha generosidade...

DE DEUS PARA O MEU ESPÍRITO / Nilda Antunes Lanyi

Esta obra mostra a arte e a poesia integradas num só móvel, o de permitir a abstração do dia a dia, procurando adentrar camadas mais profundas da sensibilidade. As imagens interagem com os textos trazendo à tona os problemas sociais resultantes da opção da modernidade, pelo materialismo exagerado. As poesias, contos e pinturas, linguagem e imagens, trazem o sentimento da autora e espera receber de seus leitores a atenção e a reflexão sobre o assunto. Este é o objetivo maior desta obra.

 

DE PUNHOS ERGUIDOS GRITAREMOS A PLENOS PULMÕES / Pádua Lima

Pádua Lima surgiu como poeta nos anos finais da década de 60 no Colégio Estadual Liceu do Ceará, estabelecimento fundado em 1845 nos moldes do Colégio Dom Pedro II, uma escola-modelo instituída em 1837, no Rio de Janeiro. O Liceu do Ceará sempre foi, historicamente, o epicentro das manifestações dos estudantes secundaristas da capital cearense – e no período da ditadura militar não foi diferente.

DE VOLTA PARA O MUNDO / Matheus Jacob Barreto

Matheus Jacob Barreto (1992) nasceu na cidade de Cuiabá. Venceu o “III Prêmio Literário Canon de Poesia 2010” e teve seu poema vencedor publicado na Antologia Poética da Scortecci Editora lançada em meados de 2011. Já em outubro do mesmo ano lançou seu primeiro livro de poemas, o Cancioneiro dos ventos, e em 2012 lançou este De volta para o Mundo. Estuda na Universidade de São Paulo e mora na cidade de São Paulo.

DEMÔNIOS AZUIS / Maurício Loboda Fronzaglia

Demônios Azuis, ou Diabos Azuis no original de Vigny (les diables bleus), representam a angústia e a tristeza do personagem Stello em face à materialidade obscura da vida, tema caro aos escritores românticos do século XIX. As poesias que formam os Demônios Azuis na obra de Maurício Fronzaglia representam e desenham as perguntas formadas no século do romantismo, transfigurados para o cotidiano da era da globalização.

DESCOBERTAS DE NÓS MESMOS EM VISÃO POÉTICA / Terezinha Dias Rocha

Coleção de poesias que celebram a vida,o amor e a família. A autora retrata de forma honesta, emocionada e com muita delicadeza os temas cotidianos levando o leitor ao sabor de suas palavras.

DESCONCERTANTE OLHAR SOBRE A JANELA DO MUNDO / Ovidio Borazo

A experiência de ser poeta e a inquietante angústia de querer dar voz aos injustiçados e oprimidos, assim como os anseios do vulgar sobre o perfeito,de viajar do profano sobre o sagrado. O tesão pela Vida em confronto com a Morte. Do politicamente correto ao incorreto, do senso comum ao senso incomum...do masculino e feminino.

 

DESEJOS DA ALMA / Mei Santana

Desejos da Alma é uma coletânea de poesias e frases reflexivas, que proporcionam momentos alentadores, sonhos e lembranças. E está destinado às pessoas que admiram uma boa leitura romântica e poética. São poemas baseados no dia a dia de pessoas comuns que amam, sofrem, clamam e choram, e que apesar de tudo seguem em frente, de cabeça erguida, sem deixar que as mazelas da vida as desanimem.

DESORDENS DO OCASO / Wagner Andriote

Desordens do Ocaso retrata com peculiaridade o inconformismo e as inquietações diante das injustiças e mazelas sociais perpetradas pelo ser humano, ao mesmo tempo em que permite entrever no ser marginalizado o seu valor, a sua humanidade esquecida, sem perder-se do encantamento e da beleza captada pelas retinas sensíveis e implacáveis do poeta.

DETALHES DO CORAÇÃO / Edson Brasil

O livro de pensamentos e sonetos foi escrito de maneira que cada pensamento pertença exclusivamente a um soneto específico e vai ajudá-lo a entrar na intimidade do personagem de cada soneto. O pensamento também vai permitir que o leitor compartilhe o que ele está sentindo naquele momento, se é alegria, tristeza, indignação, manifesto, alerta, revolta, mágoa, piedade, dor e amor.

DEVANEIOS / Alecio Neto

Vencedor do I Concurso Literário Afeigraf – 2016 na Categoria Livro de Poesias, Devaneios foi o nome dado por Alecio Neto porque expressa como o autor se sente ao escrever seus poemas. A realidade dura e fria se transforma em cada linha. O cotidiano passa a ser o centro das atenções. Os pensamentos mais profundos ora são revelados com simplicidade, ora são escondidos nas entrelinhas.

DIÁLOGO / Rafael Tahan

O primeiro contato dos leitores com a poesia limpa e visceral de Rafael Tahan se dá através deste “Diálogo” – livro que apenas parece ser seu primeiro. “Apenas parece” porque “Diálogo” surgiu de uma depuração de certos poemas que faziam parte deste livro, depuração esta que durou anos, provavelmente 4. Os poemas que ainda estão aqui foram tão drasticamente modificados que já são outros poemas.

DIÁRIO DE LISA GREEN / Milla Rocha

Este livro é um diário comovente, escrito em forma de poemas pela personagem principal do livro Olhos de Fogo nos momentos mais importantes de sua vida. Através dele, Lisa Green consegue expor seus sentimentos mais profundos em poemas inéditos que, com certeza, comoverão todos os leitores e apaixonados por poesia romântica.

 

DIÁRIO DE UM PENSADOR / Vlad Salomão

Este livro trata de um diário de um jovem que na adolescência não dava tanto valor ao estudo e à Literatura. Ao chegar na juventude, viu o grande efeito e importância da dedicação à escola e à leitura, e vendo isso, se arrependeu pelo tempo perdido. Ao deparar com uma história de um rei chamado Salomão, algo mudou dentro desse jovem sonhador. Começou a estudar sem parar e a ouvir músicas com letras ricas, o que o levou a ter uma melhor visão das coisas ao seu redor. E começou a questionar: "quem sou eu?"...

DIAS DE SOMBRA DIAS DE LUZ / Renata dos Anjos

O livro “Dias de Sombra, Dias de Luz” e seus poemas seguiram a ideia de uma divisão complementar. Como uma árvore que recebe em si os luminosos raios solares e, esplêndida, exibe suas cores ao mundo sem deixar de projetar sobre o solo a forma de sua sombra, também nossas vidas são compostas por estes lados inseparáveis de sombras e luz. Sombras, aquele lado de formas indefinidas, caminhos etéreos, imagens vagas, onde buscamos entender a que, afinal, se refere e qual relação mantém conosco.

DIREITO DE RESPOSTA / Celso Testa Marques

Sem nenhuma pretensão, apenas trata-se de manifestação “literária”, muitas vezes expressada em rimas, as quais acabam sendo denominadas poesia. Quem dera pudesse ser POETA, esta condição, a meu ver, está reservada somente para alguns intelectuais verdadeiros.

DIREITO EM VERSOS TORTOS / Jociane Pirolli Barivieira

O Direito nada mais é que a descrição de práticas humanas. Estas, por sua vez, são impulsionadas pelos valores que, inevitavelmente, damos a tudo e a todos. E, por uma questão de ordem e progresso, codificamos em normas. Por fim, é um processo dinâmico, pois tem sua origem e evolução dependentes do agir humano, instável em si mesmo. E é nesta instabilidade que firmo meus versos, por isso em traçados tortos.

DISTRAÇÕES / Javier Rapp

Distrações é um livro despretensioso, no melhor sentido que essa palavra possa adquirir. Não se trata de uma obra displicente ou descomprometida. É um texto que se oferece sem empáfia e sem solenidade, que deseja dar prazer e questionar, mas sem teatralidades, sem afetações que queiram fazê-lo parecer o que não é.

DOSES HOMEOPÁTICAS DO DELÍRIO URBANO / VERSOS DE CARNE E OSSO / Érico Marin

Doses Homeopáticas do Delírio Urbano é um conjunto de flagrantes verbais da essência contraditória e muitas vezes inusitada da cidade e do ser humano. Versos de carne e osso são poemas oferecendo ao leitor uma viagem lírica pela realidade urbana e pela natureza humana.

DRAMA PÓS-PSÍQUICO / Heitor Baldo

Drama Pós-Psíquico convida o leitor a embarcar em extravagantes reflexões acerca das diversas facetas da condição do ente humano e da sua filosofia, tudo empacotado em insólitas poesias. Em última instância, o autor mostra que o rumo tomado pela poesia contemporânea nos conduzirá a um caminho sem volta para a tão esperada “poesia do futuro”, tão inovadora e revolucionária que irá esmagar impiedosamente, e não deixará pedra sobre pedra, tudo o que um dia foi chamado  de  “poesia” –  sempre  démodé!

 

É / Matheus Jacob Barreto

Aqui [no livro É], a existência da poesia se torna manifesta como broto novo de vida, um novo estado de ser emerge. A “deslembrança dos males” hesiódica é tomada para o “perdoar / a vida / por ser vida / assim”; e o “descanso das aflições” [é tomado] para a vida que “assovia no canto do tempo” e que “vai tocando as notas que vamos sendo”.

E ASSIM, VIVENDO... / Marcelo Ataíde Domingues

Neste livro você vai encontrar um pouco da experiência de vida de uma pessoa simples, que procurou relatar em poemas seus momentos vividos, sonhados e desejados. Momentos intensos, realizados e eternos.

É HOJE OU NUNCA / Aurélio Zara

Aurélio Zara reúne em seu livro “É Hoje ou Nunca” um acervo com mais de cem poemas divididos em quatro partes (fases) em uma metáfora sobre a existência humana: Nascimento, Desenvolvimento, Morte e Reencarnação. Em cada um dos momentos dessa obra poética, assim como na vida, confundem-se sentimentos inerentes à criança, ao jovem e ao velho.

E PERCEBERAM QUE ESTAVAM NUS / Patrícia Moreira

Sempre me causou sensações a descrição bíblica do início da humanidade. Talvez nenhum outro início seja tão incrível, mas talvez nenhum outro se encaixe de forma tão adequada ao nosso sentir diário. Parecemos sempre separados de algo – fora de nós e dentro de nós – sempre em busca de algo que se perdeu, sempre com saudade de algo ainda não vivenciado.

EFÊMERAS FLORES / Claudia Pastore

Claudia Pastore nasceu sob o signo de sagitário, na cidade de São Paulo. Cursou Letras na Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP), atuou na área educacional por aproximadamente quinze anos e, na mesma universidade, concluiu seu Mestrado em Comunicação e Semiótica, no ano de 1997, período em que obteve maior contato com a História da Arte e também com a Poesia Sonora, fazendo parte do grupo experimental das novas poéticas da voz.

EM ALGUMA PARTE INTEIRO / Ivan Vagner Marcon

Em alguma parte inteiro” é um livro intenso que em suas abordagens líricas, considera temas inerentes à essência dos seres. Um espanto em originalidade, criatividade e inspiração. De uma linguagem metafórica sucinta e ao mesmo tempo ampla e profunda. O autor fala de gente, de sentimentos, de natureza e vida. Passeia por temas como dor, medo, dúvida e fé, entre outros, com a naturalidade própria dos poetas.

EM PEDAÇOS / José Esteves Prado

O livro de poesia do cotidiano, como chamo, é um olhar sobre o dia a dia. Pode ser lido como um todo ou em pedaços, fragmentos, como sugere o título da obra. Afinal, o todo é a junção de nossos pequenos pedaços. Convido você, leitor, a refletir, sentir, olhar ao redor através da leitura, mas sempre atento aos sinais que nos acenam durante todo o trajeto desta caminhada. Boa leitura, caro leitor!

ENIGMA / Ró

A palavra perplexa - A poesia é endógena, nasce no indivíduo sem que ele peça ou queira. Surge do instante mágico da criação. O tempo é infinito. Somos apenas uma pequena fração, uma sucessão de anos, dias, horas. Somos o passado e o presente. O futuro é mistério. Dentro desta percepção lógica Roberval Paiva escreve. Conhece o processo e a arquitetura do registro singular da poética. Uma visitação ao intimismo, que se interpenetram por meio da linguagem.

ENIGMA DO MUNDO / João Paulo Insuela Marques

A essência da vida não é a água como pensava o filósofo Tales, é mais do que o ser imutável tão sonhado por Parmênides, e mais do que o fogo, o puro fluxo de contrários, como supunha Heráclito de Éfeso; a essência da vida é o inesgotável curso do mistério. Hoje, por exemplo, este dia límpido e lívido como uma úmida pena assegura em todo seu louvor seu digno mistério.

ENREDOS / Gonzaga de Freitas

Enredos de Gonzaga de Freitas é uma coletânea de poemas inspirados no cotidiano. Alguns, reais, porém, com pinceladas coloridas; outros, fictícios, imaginários, mas que podem refletir uma realidade presente ou uma realidade pretérita mergulhada no subconsciente e agora aflorada. De visão futurista, pode até haver algum.

ENTRE A MINHA PUBERDADE / Jairo de Camargo Cintra

Nunca desista de seus sonhos, pois cedo ou tarde ele se realiza. Meus caros leitores amantes, não podemos jamais esquecer de nossos próprios desejos, ir mais além do que nossa visão possa ver, experimentar, crescer, viver sem receio de amar. Somos livres para amar e não somos presos em um amor.

ENTRE O AMOR E A POESIA / Andressa Almeida

Este livro foi preparado para você sentir e saber o quanto é maravilhoso amar e ser amado. Nem sempre tudo é como num conto de fada, a realidade do cotidiano é diferente: podemos sentir saudade, traição, falsidade, mentira, mas também amor. Que a leitura deste livro mostre que nada deve abalar nossa força em buscar algo novo para nossa vida sentimental. Leia, você vai gostar e se apaixonar!
Andressa Almeida

ENTRE O LAÇO E OS NÓS / Márcia Etelli Coelho

Entre o laço e os nós é um livro composto por lindos poemas sensíveis, reflexivos e espiritualizados. Poemas que se encadeiam em envolvente sequência, retratando as inquietações, os erros e os acertos da trajetória de quem busca se encontrar. Esse livro revela, poeticamente, os sentimentos de uma mulher que busca um novo sentido para sua vida.

ESCRITA POÉTICA / Helena Maria de Souza

Nasci em Barra Mansa/RJ em 13 de agosto de 1949. Filha de pai baiano e mãe paulista. Até os nove anos vivi em Santo André/SP, onde minha mãe me ensinou a ler, escrever, contar, recitar, observar o mundo e fazer versos. De volta a Barra Mansa, filha órfã pai vivo, tornei-me professora normalista.

ESPELHOS D'ÁGUA / Raimundo Palmeira

"A veia poética, inteligência inquieta e a cultura privilegiada do autor Raimundo Palmeira, estão presentes nas águas claras dos versos cadenciados e plenos de emoção de "Espelhos D´Água", levando-nos ao encontro do que há de melhor na poesia contemporânea." Luiza Moreira

ESPÓLIO / Rubervam Du Nascimento

Espólio é uma poesia de sustentação criativa contemporânea, que busca o ritmo na construção de verbos substantivos, cujo substrato é a pesquisa histórica/estética humana de uma época. Acompanho a trajetória poética de Rubervam Du Nascimento desde que ele mesmo se autodenominava poeta de um livro só: A Profissão dos Peixes, livro que foi transformado por seu autor num recital performático, denominado Corpo-a-corpo, levado com muito sucesso por todo o Brasil.

ESTAÇÕES DA ALMA / Karina Soares

Os poemas de Estações da Alma, de Ana Karina Pereira, encontram o leitor, conduzindo-o a um admirar-se diante das suas palavras poéticas. No transcurso dos versos, aparecem a fascinação e o descontentamento. As paixões inadiáveis e  as que nunca se cumprirão. As separações, o amor interdito... aprisionado pela razão. A luta entre a vida e a morte, o desejo e a rejeição.

ESTAÇÕES DA VIDA / Norma Panicacci Balau

Estações da Vida, livro de Norma Panicacci Balau, apresenta uma coletânea de poemas que têm como elemento comum a reflexão sobre as diversas etapas da existência, levada a cabo por alguém sensível e que sempre buscou (e ainda busca) observar e aprender ao longo da vida.

ESTESIA / Roberto Ribeiro De Luca

Que saudades de ti! Fomos tão unidos, derramados juntos num único molde, instruídos em diversos assuntos místicos. Multiplicamos virtudes, dizimamos vaidades, para nossas ebúrneas intenções não havia obstáculos. A magia era tanta, que o estalo de meu riso compassado, frouxo, encantava, provocava arroubos nos tristes, o teu gosto intenso, ilimitado, pela vida, dissuadia todas as intenções de morte – chamavam-te de santa, isso corria unânime –, e a alegria exuberava, esplendorosa!

ESTÓRIAS DE UM TEMPO / Dudu Libre (Eduardo Alves da Silva)

Nós temos a facilidade de nos incluir entre os animais e desfrutar da inocência de não saber de onde viemos e para onde vamos. Devemos deixar a natureza nos mostrar por ela mesma. De um horizonte com início e fim, os fatos acompanham o porvir, o evoluir é necessário, das veredas que do homem um futuro ideal de satisfação e probabilidades de vida feliz sem polaridade de níveis.

ESTRELA CRIANÇA / Ana Maria Di Giacomo

A poesia de Ana Maria revela o espírito da mulher, vasto demais para os limites da vida. Nestas páginas vi esperança de criança, solidão, desejo de liberdade, bom humor, espiritualidade, encantamento diante da beleza. São poemas de sentimento. Absolutamente francos e declarados sem disfarces em pretensões literárias. Um manifesto do direito a ser romântico.

ESTRELA DA MANHÃ / Gladston Salles

De acordo com o autor, o poeta pode ser encarado como um  agente multiplicador de sentimentos nobres. E tem razão. A poesia revitaliza a vida e propaga o amor. Fortalece o sentimento de fraternidade e justiça social. O livro Estrela da manhã é digno de louvores. E o título não poderia ser mais apropriado, porque nos aponta o caminho da boa leitura poética.

EU ACREDITO NO AMOR! / Aldirene Máximo

Aldirene Máximo nasceu em São Paulo, graduou-se em Letras e é pós-graduanda em Psicopedagogia, ambas pela Uninove. Apaixonada por livros, pássaros, flores e canções de amor, escreve poesias desde os 12 anos. Este é o seu primeiro livro.

EU CONTO AS FÁBULAS DA AMAZÔNIA / Chaguinha do Biá

Neste pequeno e aconchegante livro intitulado Eu Conto as Fábulas da Amazônia, foi escrito doze textos em versos, que falam com exclusividade dos animais dessa grande e arrojada floresta equatorial chamada de Pulmão Verde.

EU MORRI FAZ TEMPO / Éber Sander

A magia de uma narrativa curta se dá em um belo conto, ainda que contenha os mesmos componentes de um romance. Neste livro você irá encontrar os atrativos necessários para se prender e entreter nos desfechos surpreendentes de cada um deles ou nas audaciosas, divertidas e realistas crônicas.

EU QUE NADA MAIS AMO / Sérgio Vieira

Poemas melancólicos sobre aspectos e problemas  proporcionados pelas metrópoles e que acabam gerando indignações. Sobre as condições das relações humanas e paixões tratadas de uma forma abrangente com a mesma melancolia, em curvas.

EU SEMPRE VOU TE AMAR / Benedito Paes

Norte do Paraná, cidade de Jaguapitã. Ali ocorre o encontro de almas afins, Sênio e Silvinha. Amor não compreendido e não aceito por um jogo de interesses. Porém, onde há afinidade e amor, o destino se aproxima. O amor vai muito além do alcance dos nossos olhos e nos acompanha independentemente das imposições humanas. Prepare-se para um desfecho impressionante.

EU, VOCÊ E OS NOSSOS ESCRITOS - A NOSSA ANTOLOGIA / Jorge Marques da Silva (org.)

Elocubrações, devaneios, pensamentos de um homem conectado a realidade fisica e espiritual. Procurando respostas em um emaranhado de textos que buscam expremir sensações e impressões sobre seu próprio eu.

EU, VOCÊ E OS NOSSOS ESCRITOS - Livro II / Vários Autores

Esta antologia consegue harmonizar vários estilos textuais. Cada autor é independente, sem nenhuma ligação com o outro, mas seus escritos conseguem se entrelaçar numa suave viagem entre o eu e a alma, não se consegue delinear os motivos e as inspirações, mas com certeza nos fazem pensar e refletir.

 

EXPRESSÃO EM POESIA / Luciane de Faria Botelho

Poesia nos dá o poder de imaginar, viajar em nossos pensamentos e sonhos, trazendo para o papel aquilo que as palavras podem transmitir. Desabafos mudos em letras. Nem tudo conseguimos dizer, mas tudo é possível escrever.

EXTRATO DO CORAÇÃO / Iza Engel

Extrato do coração é uma coletânea poética, onde sentimentos brotam, pensamentos voam, valores vivificam, a amizade chove, a saudade alimenta, a beleza encanta, o amor se expande, e a vida nada na correnteza do tempo. Uma poética simples e segura para todas as idades. Sua leitura faz refletir, criticar, educar, sonhar e sobretudo amar...

EXTREMOS DA ALMA HUMANA / Thadeo Galhardo

Depois de passar oito meses escrevendo poemas em um blog, que no centésimo bateu a casa dos treze mil visitantes, alguns amigos começaram a me perguntar: Por que você não publica um livro? Passei um longo tempo amadurecendo essa ideia, até me decidir, mas então esbarrei em um dilema.

FACE A FACE COM A POESIA / Amorim

Difícil resumir um trabalho onde o objeto a ser tratado é algo tão subjetivo e abrangente quanto o é a poesia. Por isto mesmo o presente livro “Face a face com a poesia” apresenta obviedades e entrelinhas que às vezes escapam à primeira leitura, outra característica da poesia, a necessidade de ser não apenas lida, mas também sentida e compreendida. Que cada qual se identifique da maneira única que a cada um é permitido experimentar suas emoções. Boa leitura e obrigado!

FACES E FASES / Maurílio Machi

Muitos estudiosos culpam, excomungam a Dialética pelas mudanças que ocorrem no universo. A crença na eternidade, a busca pela sua existência na Terra e pelas fontes da juventude, fizeram o homem acreditar que tudo isso seria possível. Mas as águas tranquilas, as superfícies polidas, os espelhos, nosso tato, nossa percepção de nós mesmos não permitem que sejamos enganados pelas pregações da Metafísica, prometedora da imutabilidade.

FANTASIAS REAIS - POESIA, PRESENTE NA VIDA DE QUEM AMA / Jorge Gonçalves Júnior

Faço da vida um trocadilho com palavras, para dispersar as adversidades e permitir que esta passagem fique mais amena. É como chorar e rir dos sentimentos usando uma folha branca de papel, onde as lágrimas e as alegrias formam palavras, frases, versos, estrofes, quadrinhas e poemas inteiros. Selecionar e organizar o conteúdo deste livro foi como escolher um ramalhete no meio de uma plantação de flores, onde muitas já prontas tiveram que ficar esperando para um futuro próximo e outras continuam a serem plantadas, pois, não consigo parar de escrever...

FAZ DE CONTA / Robson Miguez

O livro Faz de Conta retrata perfeitamente a contemporaneidade que a sociedade vive, um faz de conta em todos os segmentos, seja na educação, política, social ou cultural. Esses poemas mínimos e corriqueiros são um grito de liberdade com o qual o autor tenta chamar a atenção da ilha rebelde.

FEITO DE AMOR E SAUDADE / Alcindo Tenório Pereira

Alcindo Tenório Pereira é paulista e filho de pernambucanos. Nasceu na cidade de Bastos e foi criado em Rancharia, onde realizou os estudos de primeiro e segundo graus. Casado, reside na cidade de São Paulo. Bacharel em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo – USP e licenciado pela Faculdade de Ciências e Letras de Presidente Prudente – UNESP.

FELICIDADE: DÁDIVA DIVINA / Rute Raposeiro

Felicidade é o tema que dá nome ao livro. Através da solidão, a autora recorre à saudade para extravasar seus sentimentos; em suas poesias aparece sempre a esperança da felicidade. Percebe que há diversas formas de ser feliz, cita em diversas poesias as dádivas que já alcançara através de seu amor e de seus filhos, suas dádivas divinas. A autora fala de seu amado que se foi, deixando-a na solidão cuja dor está presente até mesmo nos poemas à Natureza.

FILHA DO SERTÃO / Meire Parce

Meire Parce, uma verdadeira “Filha do Sertão”, começou a escrever muito cedo. Aos nove anos compôs sua primeira música – Pipoca e Marmelada – e não mais parou. Muitas foram, desde então, as composições, dentre as quais São Paulo, 450 anos, em parceira com Mário Zan e André Dias; mas a mais especial e preferida é Oração Universal – feita em homenagem a Jesus (e disponível no Youtube).

FINITO / Adalberto F. N. Telles

Quando os seus lábios me beijarem num futuro que desejo distante, e você me olhar com saudade, espero que exista luz, que seja um dia de sol, um momento perfeito para um bela fotografia. Espero que ainda goste de momentos assim, que ainda goste de fotografar. Espero tanta coisa boba: um dia de sol, uma luz perfeita, um reclinar, um beijo na face. Isso me basta, nada mais. Adalberto Franco Netto Telles nasceu em 21 de maio de 1958  na cidade do Rio de Janeiro. Além do Rio, viveu em Salvador, Brasília, Petrópolis e, nos últimos vinte e seis anos, em São Paulo, cidade que ama e admira.

FLOR DE LU / Lucilaine de Fátima

“Sinto, logo escrevo”: esse é o título de um dos poemas de Flor de Lu que resume a essência poética deste novo livro de Lucilaine de Fátima, repleta da linguagem do sentir, invertendo a lógica cartesiana que priorizaria o pensar. Em Flor de Lu, a poetisa se escancara e mostra tudo o que se vive, sob o crivo poetizante do seu sentir.

FLORES DO ALÉM / Henrique Pompílio de Araújo

“Flores do além” é, na verdade, um convite que Jesus vem fazendo ao autor há muito tempo para ingressar nas fileiras dos compromissados da espiritualidade. Em todos os poemas há um convite de Jesus. Acontece que nós ficamos adiando o nosso ingresso. Entramos por caminhos errados e sofremos as consequências. Todos os poemas refletem paz, amor, chamamento. Deus quer que todos nós contribuamos com a sua obra de criação e todos nós temos que fazer a nossa parte.

FLORES DO CORAÇÃO / Vera Margutti

Flores do coração são versos inspirados nas trilhas de um caminho percorrido em uma vida simples e singela, mas plena de grandes emoções. No percurso cheio de retas, curvas e atalhos, sementes foram sendo deixadas e espalhadas: alegrias, tristezas, sonhos, desilusões, ilusões e muita paixão! Emoções que permeiam a terra de um canteiro onde as sementes trazidas foram semeadas por mãos ásperas e calejadas e ao mesmo tempo finas e delicadas.

FOLHAS, FOLHAS E GOTAS DE SOL / Fernando Kopaz

Aos 18 anos de idade, Fernando Kopaz publica seu primeiro livro, Folhas, folhas e gotas de sol (Editora Arte Paubrasil), que apresenta poesias sobre a natureza, os sentimentos e até mesmo sobre a própria poesia e o ser poeta, além de poemas mais críticos que discutem a postura social e o mundo moderno. Quem assina o texto das orelhas do livro é o professor de Literatura Leandro Veiga Dainesi. A obra é marcada pelo discurso reflexivo e pelas diversas interrogações que tornam os textos dinâmicos, levando o leitor a pensar sobre os temas poetizados.

FRAGMENTOS - EIS A VIDA / Dilson Campos Ribeiro

Fragmentos – Eis a Vida é um livro que retrata, em sua maior parte a juventude sonhada, sofrida, vivida e sentida pelo autor; desdobra-se em poemas e pensamentos diversos que, em sua maior parte, espelham momentos de otimismo, sabedoria, entusiasmo, fé, autoajuda, esperança e grandes promessas para com o futuro. Reflete circunstâncias marcadas de paixão, amor, decepções, encontros e desencontros – circunstâncias que no trato com a realidade nem sempre saímos vencedores.

FRAGMENTOS / Fernanda Missurino

Ler e escrever, em casa de pais professores, faz parte do cotidiano. Comigo foi assim. Muitos cadernos e diários escritos diligentemente da infância à adolescência. Tive muitas cidades para chamar de minha. Nasci no dia 14 de maio, por acidente ou coincidência, em Ribeirão Preto e cresci em Araraquara, interior do estado de São Paulo.

FRAGMENTOS DE AMOR / Valdice Neves Pólvora

A autora procura transmitir, por meio das poesias, os sentimentos de amor, paixão e desejo latentes nos seres humanos, e também as decepções sofridas quando estes sentimentos sofrem uma ruptura. A obra permitirá ao leitor envolver-se nos sentimentos que despertam essas sensações: a busca por um grande amor, muitos sonhos, ilusões, desejos e sedução permeiam o imaginário de nossas mentes e corpos, e desnudar essas sensações numa linguagem simples e poética é o objetivo desta obra.

FRAGMENTOS DE PALAVRAS / José Rothadi

O autor José Rothadi vem através de sua obra expressar o seu cotidiano nos vários aspectos da interpretação das palavras. Manifestando a sua sensibilidade com a percepção de sua alma de menino, transformando os seus sentimentos em mensagens de poesias.

FRAGMENTOS DE UM LOBO SOLITÁRIO / Nazir Maron

Nazir Maron, poeta baiano de 1963, transcreve este livro de poemas que antecedem quadros e que, vez por outra, deles se resultam. Da solidão que mora em cada um, fluem sentimentos de filósofo, sociólogo ou empresário de vida feliz. A solidão a que se refere parece ser por conta de sua total entrega, de verdades e intimidades sem igual, tal qual somente a si mesmo, quando nos referimos só.

GARATUJAS / José Mauro de Oliveira

GARATUJAS é uma coletânea de poemas e prosa poética que abarca mais de quatro décadas de produção do poeta cearense Mauro Mendes. Todos os poemas são inéditos e abordam temas que vão do quotidiano ao mítico e ao religioso, sem falar na relação com a natureza, sobretudo o mar e a terra natal do poeta. GARATUJAS tem muito a ver com o sonho e o devaneio e o leitor também se deliciará com uma linguagem onde predominam a experimentação com as palavras e a forma lúdica e livre de dizer as coisas.  

 

GLITCH / Sebastião Ribeiro

"Glitch" é um mundo de esperança danificada, de gestos falhos, de sistemas e processos corrompidos de emoções a se compreender; alguém que se projeta em feridas e desvios a fim de identificar possíveis saídas. Aqui, a poesia de Sebastião Ribeiro conversa com a queda, a ânsia e o problema das expectativas de um meio já formatado a quem se vê como distante, diferente, outsider: um ‘erro’ aos olhos alheios.

GOTA SERENA - POEMAS PARA UM TEMPO DE PAZ / João Paulo Naves Fernandes

É preciso superar-se. Mergulhar nos segredos, aventuras e verdade. Questionar-se. Buscar crescer no essencial, sendo solidário e transformador, ansioso por amizades e revolucionário. Permanecer significa render-se à rotina, voltar à superfície. Gota Serena (João Paulo Naves Fernandes) traz este degrau pós-traumático, pós-quarentena, já refeito. Medita o que se foi e levanta âncoras de um mar sem profundidade, em direção ao inusitado, desconhecido e indecifrável.

GOTAS E RABISCOS / José Usberco

Gotas e Rabiscos é o primeiro livro de José Usberco. Composto por narrativas, trovas, cantigas e pensamento, traz textos gostosos de ler e ouvir, repletos de palavras espargidas neste mundo de meu Deus. Pretende que suas palavras sejam quais partículas douradas de luz para dissipar as sombras de pessimismo que tentam ofuscar o brilho da Ventura de Viver.

GRITO / Paulo Guerra

Alguns meses antes de escrever este poema para o livro GRITO, Paulo Guerra esteve, durante o verão, errante nas praias do litoral paulista, local onde ele diz ter encontrado a estrada que nos conduz ao nosso próprio Reino.

GURUPÁ E POEMAS DO VENTO / Júlio Cesar

O poema é imatematicável. A linguagem da poesia é anticategorial. Escrever poemas é o que não se pode esperar de um homem de cérebro algébrico, como eu. Mas o imponderável é portador da peculiaridade de brotar onde menos se espera, como uma nascente na pedra. Nestes cento e quatro poemas estão as palavras enrugadas e gastas que recolhi pelo chão da vida.

HAICAI - AQUI / José Herculano da Nóbrega

A felicidade de viver toda essa harmonia nesse continente amazônico enche-me de orgulho e singeleza do Haicai – na melhor expressão vivido do aqui e agora do ambiente. As formas mais apuradas da percepção e visão. São relatos do real da natureza. O captar imagem no tempo certo do instante e a sabedoria da transmissão por escrito para uma nova visão alegre do instante.

HAIKU / Márcio Brandão

“Perdidos numa ilha”. Foi assim que me encontrei com o Haiku. Só nós dois. Sem regras, sem conhecê-lo ou saber sua forma adequada. Sem orientação, iniciamos uma relação difícil que aos poucos foi se organizando. O tempo fez o seu papel e entre idas e vindas nos entendemos. De certo não foi fácil escrever um livro além de 13.000 palavras, levando em conta ainda mais que se trata de um texto sobre outra cultura, em que uma atenção maior é fundamental para não haver erro.

HARÉM DA SAUDADE / Cavaleiro da Paixão

Para fazer poesia é necessário sentir, apreciar, degustar, tatear, admirar, ouvir e amar, enfim... Se alimentar através das essências, deixando fluir os sentimentos, dissipando a tristeza e, colhendo com alegria, as sementes oriundas de cada nascer e pôr-do-sol.

HERDEIROS DO CÉU, FILHOS DA TERRA / Rafael Fernandes Francisco

Este presente trabalho é formado por uma miscelânea de poemas que o autor escreveu durante os anos de 2008 a 2011; eles são o remanescente de tudo que ele escreveu em toda a sua vida. O livro se compõem de poesias escritas com amigos em grupos de escrita, como de versos silenciosos; de sentimentos, pensamentos, confissões, certezas e incertezas, lágrimas e sorrisos, luz e sombras.

HOMEM POEMA / André Bartilotti

Homem poema é um livro sobre a catarse do sentimento humano. É a humanidade que sofre e flui beleza. É a procura intensa da felicidade. Nele, a felicidade e a tristeza se coadunam, tornando-o uma obra intimista. Os eu líricos estão a procura de si mesmo, buscando sentimentos inerente ao leitor para tornar-se universal. A felicidade é oca, diz a correnteza de todos nós.

HOMENS DE SAIA / Lucia Judice e Marcelo Salgado

As poesias de Lucia e Marcelo não têm diferenças sexistas: ambas mergulham no pensamento deste homem que utiliza um ícone feminino (a saia) para revelar uma face vulnerável aos apelos do amor. Até aqui, a poesia de Lucia corria em estrada oposta a da Internet. Marcelo já mantinha um popular blog de poemas na web.

HUMANIDADE / Raimundo Alves

Humanidade canta em versos líricos recheados de metáforas o ser humano nas mais variadas culturas e épocas, abordando prescrições para a aplicação de virtudes, descrições resgatando valores, e anseios humanos em âmbitos individuais e coletivos da Sociedade.

IDEOLOGIA, EROTISMO E OUTROS TEMAS / Alcindo Tenório Pereira

Alcindo Tenório Pereira é paulista e filho de pernambucanos. Nasceu na cidade de Bastos e foi criado em Rancharia, onde realizou os estudos de primeiro e segundo graus. Casado, reside na cidade de São Paulo. Bacharel em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo – USP e licenciado pela Faculdade de Ciências e Letras de Presidente Prudente – UNESP.

IGARAPAVA / Maria José Silva Adornato

A obra contém poemas com versos livres, beirando aos versos alexandrinos. Os temas referem-se aos lugares da cidade natal, com fotos ilustrativas, evidenciando os sentimentos e lembranças da infância da autora.

ILHABELLA DA PRINCEZA / D. Cardial

Para o autor, Ilhabela é uma poesia ecológica e compor versos sobre ela é quase impossível. Buscou o autor devaneios da infância, adormecidos em memórias indeléveis, surgindo: Um sonho em Versos. Essas poesias não são um registro geográfico ou histórico da bonita Ilhabela, mas emoção no tempo, paz e alegria de nela ter o autor vivido desde a infância ingênua. 

 

IMAGENS / W. F. Mello

A nossa respiração funciona sozinha, mas também podemos controlá-la. A autora transforma os sentimentos em palavras da mesma forma como respira; naturalmente. Durante a apreciação da obra, esquecemos que estamos lendo e passamos a respirar as imagens que as poesias nos transmitem.

IMPERFEITA DESARMONIA / Fernando Antônio Fonseca

IMPERFEITA DESARMONIA é um livro que aborda as tramas e os traumas da vida moderna, sob a ótica de um poeta existencialista.

INSANIDADE LÚCIDA / Anderson G. Hoch Martins

Este é seu primeiro livro, e vem sendo construído há algum tempo, mas agora teve a oportunidade de publicá-lo. Esse livro surgiu de uma necessidade de externar sentimentos, amorosidades, raivosidades, sonhos, devaneios, mentiras e verdades que aparecem e somem, mas principalmente, estão intrínsecas à trajetória do ser humano, especialmente a partir da adolescência.

INSPIRAÇÃO E SIMPLICIDADE / Sebastiana Santana Conceição de Oliveira

Vivemos cercados pela mídia, com o virtual substituindo o real. Os meios de comunicação de massa avançam pelo mundo e sobrecarregam diariamente de notícias e imagens nossas mentes. As imagens diárias do pôr do sol e do nascer do sol “viralizam”. A imagem da superlua “viraliza”.

INSPIRAÇÃO EM MIM / Marco Silva

Olho no rosto de cada pessoa e vejo uma grande tristeza. Olho nos olhos e encontro um semblante de pessoas anti-sentimentais, daí então penso: "Por que acontece isso?" Hoje em dia o romantismo no Brasil está muito esquecido e o que esse povo precisa é de mais amor, ter um pensamento mais criativo e amoroso e ser um pouco mais sentimental. Vamos lá, o romantismo no Brasil só está esquecido, mas pode ser lembrado e ir assim crescendo em cada coração.

INTERMEZZOS / Alejandro Arce Mejia

Intermezzos é obra poética muito interessante, onde o médico, músico e poeta Alejandro Arce Mejia nos introduz mais uma vez, como em seus livros anteriores, pelo mundo dos versos e dos sons, em pequenos poemas que celebram o ritmo, a melodia, enfim, a arte em seu aspecto mais altruístico, mas também arte como "soundtrack" dos dramas e elegias da vida. O prefácio tem a honra de ser do expert em crítica literária, o Prof. Dr. em Literatura pela UFRJ e ex-Presidente da Academia Goiana de Letras José Fernandes.

INVENTÁRIO DE MIM / João Luiz Muzinatti

O que é a nossa vida? Um enigma? Uma aventura? Quais as certezas que podemos ter ao longo desse caminho no qual nos percebemos viajantes com poucas possibilidades de escolher, de fato, nosso rumo? O que somos? Será que somos? Ou seria a nossa vida uma sucessão de acontecimentos que nos transformam a todo instante impedindo-nos, assim, de perceber uma essência?

ITINERÁRIO ENTERNECIDO / Francisco Moura Campos

Do Autor: O Sorriso do Drama. São Paulo, Massao Ohno / Roswitha Kempf, Editore -1980 -  Brejeiro. São Paulo, João Scortecci Editora - 1985 - Canção. São Paulo, Editora Metropólis - 1986 - Cavalo Azul nos. 11 e 12 (participação). São Paulo, Massao Ohno Editor - 1989 - Museu de Mariana. João Scortecci Editora, São Paulo - 1989.

JUNTOS... POESIA NOSSA DE CADA DIA / Gilmar Cardoso / José Eugênio Maciel

Juntos... Poesia nossa de cada dia reúne os sentimentos, os pensamentos e os desejos dos confrades Gilmar Cardoso e José Eugênio Maciel, em forma de poesias – alimentos d´alma e da vida.

JUVENTUDE, LUZES E SOMBRA / Lucas Araújo de Oliveira

Lucas tinha a sensibilidade exacerbada de um grande poeta. Deixou-nos seus versos, dos quais eu costurei um poema em homenagem a esse escritor que retornou à infância alaranjada, em terras de brancas nuvens, num mar azul celeste.

LABIRINTO / OMAR ELLAKKIS

Êxtase da Alma

Meu amor não depende,
não ascende de repente,
meu amor não nasce,
transcende.
 

LÁBREA - O TERRITÓRIO PURUENSE / Chaguinha do Biá

Este livro de contos intitulado de Lábrea - O território Puruense, foi escrito em versos, e faz parte integrante da obra do poeta Chaguinha do Biá. Nele foram escritos dez contos, elaborados com simplicidade, mas que contém pequenos episódios da realidade vivenciada na minha infância e adolescência na cidade de Lábrea.

LÁBREA MEU AMADO TORRÃO NATAL / Chaguinha do Biá

Esta obra denominada de LÁBREA – MEU AMADO TORRÃO NATAL é um livro de contos, voltado para as raízes da infância do poeta Chaguinha do Biá, que tem redobrado os seus pensamentos dia e noite, nas lembranças dos seus antepassados e trazido de volta a nossa atualidade, através de seus pequenos textos infantis, poéticos, contos, fábulas e crônicas, para a felicidade dos nossos leitores amazonenses.

LEMBRANÇAS POÉTICAS / Márcia Regina de Barros Paes

Em Lembranças Poéticas notei que mesmo com um amor mal resolvido, também vivi dias alegres. Assim, com esse meu dom divino, rimei contente descobrindo que poesia vai ser realmente a minha paixão eterna. Sou abençoada e realizada fazendo o que adoro. Qualquer ser humano tem dias felizes e tristes, porque ninguém tem uma vida perfeita aqui na terra.

LETRAS TARDIAS / Licínio da Costa André

Uma casa amarela de porão alto. Nela, todos os ingredientes de uma infância mágica: mãe, pai, irmãs e um enorme quintal com árvores, terra e recantos escondidos onde brincar e sonhar. Eis o substrato. O devaneio sempre foi o motor de minha vida: vivi e vivo no “mundo da lua”, diligente observador de formigas, basbaque de qualquer novidade das ruas.

LINDAS LENDAS BRASILEIRAS / REBRA

Há 15 anos, em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, um pequeno grupo de mulheres, liderado pela escritora Joyce Cavalccante, acendia a vela que iluminaria e daria vida a um sonho coletivo. Nascia, pioneira, a REBRA: Rede de Escritoras Brasileiras.

LINHAS PARES / Claudia Quintana

Eu, Claudia Quintana, o caminho do meio de Ana Claudia de Lima Quintana Arantes, sou mulher feita de poesia. Vivendo há 43 anos, nasci tem pouco tempo, depois de perceber que a vida só precisa fazer sentido do lado de dentro. E do lado de dentro, sou poema. Nas horas vagas sou médica, e muitas vezes chego a pôr em receituário as orientações de tratamento complementar de poesia para meus pacientes.

LIRA CAMONIANA / Luiz Roberto Judice

Luiz Roberto Judice, em dado momento de sua vasta produção literária, cometeu o atrevimento de escrever sonetos (exatamente setenta) ao estilo de Camões e enfeixá-los em volume com a denominação de Lira Camoniana. Tendo alcançado a maturidade poética, o escrever ao estilo de Camões foi mais uma demonstração de sua capacidade de absorver uma técnica que aos poucos vai sendo esquecida pelo grande público e, ao mesmo tempo, colocá-la ao alcance de uma nova geração de leitores. Lira Camoniana é, pois, um tributo ao maior poeta de nossa Língua Portuguesa.

LIRISMO POÉTICO / Antônio Galdino

A poesia tem uma linguagem poética das mais interessantes, ela mexe com os sentimentos e a sensibilidade do poeta e do leitor. Se o leitor for estimulado à leitura poética desde a sua juventude, seu mundo literário se tornará mágico e agradável. A relação entre o pensar e o sentir implica um jogo de palavras que seduz o leitor a fazer um contato mais aprofundado com a poesia, pois esse momento é fascinante e imprevisível.

LIVRO DAS TROVAS / Fernando Tanajura

Com o advento da internet, a facilidade de publicar trabalhos literários ficou acessível para qualquer um que esteja conectado. São muitos os sites dedicados às letras e à literatura. Em contrapartida, torna-se cada vez mais difícil a publicação em papel, devido ao custo, à mão de obra e ao tempo despendido. Isso não quer dizer que o livro desapareceu ou morreu. Pelo contrário, o livro continua vivo, e é sempre bom manusear o papel, sentir a textura, cheirar a tinta e ver a palavra brotar em sua plenitude efervecendo o imaginário do leitor.

LIVRO ÚLTIMO / Guilherme Pupo Falconi

Livro Último é o primeiro resultado de uma caminhada de vinte anos pela poesia – conhecer, escrever, e tornar-se poeta. Um envolvimento que se iniciou nas descobertas da adolescência e depurou-se sob a excelente orientação de alguns professores do tempo da escola, da leitura dos grandes poetas, da atenção carinhosa de meus pais e de alguns atenciosos amigos – entusiastas de minhas poesias – que insistiram que levássemos à frente esta publicação.

LUCIDEZ DE NAVALHA / Diulinda Garcia

Faço neste livro uma excursão pelas trilhas da vida, onde encontro sob as folhas secas do caminho, lembranças abandonadas ao longo do tempo, fatos, vivências, emoções... Constato que continuo à procura de fragmentos que esbarraram no solo da existência, expostos aos verões, à chuva e à ventania e com eles rabisco e dou forma a minha paisagem poética. O cuidado que dedico à contextura de cada palavra, de cada verso, sublinhados pela precisão do que descobre o olhar atento de um poeta, é como transformar a crueza do cotidiano em lirismo.

LUME / Rostan Martins

Os versos em Lume – Escritos do Instante apresentados foram construídos com a mesma simplicidade do ribeirinho que, depois de dessecar sua canoa/bote rema com a maior naturalidade em navegação por entre rios/igarapés/furos... Sempre sentindo a brisa do amanhecer ou entardecer e até mesmo a do anoitecer. Rostan Martins resolveu abrir a janela do seu sentimento, deixando dali escorrer versos poéticos.

MACHADO POR UMA MACHADO / Rossidê Rodrigues Machado

Desde pequena, antes mesmo de saber a ler e escrever, Rossidê Rodrigues Machado, aprendeu a admirar Machado de Assis, um brasileiro de origem humilde que, por sua inteligência ímpar, esforço e empenho, tornou-se um renomado escritor e fundador da primeira academia de letras do Brasil.

MAGNITOGORSK CÂMBIO! E OUTROS POEMAS / Adik Magalnik

Magnitogorsk é cidade de fim de mundo, prensada e quase empurrada para fora do planeta de tão recôndita e alheia às labaredas que consomem o mundo. Fora das telas de radares dos rastreadores homicidas, é um lugar propício para encruzilhadas e ponto de convergência para paixões nascentes que se acasalam silentemente sob o mais estrito anonimato. Ali, retirados, de costas para a cidade, todos são alienígenas em busca de suas mais remotas origens.

MANÁOS / Chaguinha do Biá

O livro Manáos – Os tribais das amazonas faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, que tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados contos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

MARESIA / Raimundo Palmeira

"Ler Maresia é como estar frente ao mar, cujas ondas nos presenteiam ora com a brisa de um soneto, ora com o marulhar de um poema dedicado a alguém especial, fazendo-nos confrontar nossos próprios valores, sentimentos e emoções. A temática variada aliada ao estilo marcante de Raimundo Palmeira, envolve-nos da primeira à última página numa leitura agradável e de muito bom gosto poético." Luiza Moreira

MARTAGARIDA / Marta Maria Lima Alves

Martagarida, misto de Marta e Margarida, é uma seleção de poemas em que a primeira parte do nome Marta são voltados para a alma, a família, o espírito, a religião. Esses poemas com a alma da Marta trazem em suas entrelinhas o desejo do homem e da mulher de buscar Deus, de buscar o Sagrado, como se pode perceber nos versos “Deus de amor cuida do meu coração; zela pela minha consciência para que eu não pereça...”

MAS LI POEMAS / Adolfo Marin

São cinquenta e um poemas com temática diversificada, introspectivos ou sobre aspectos do cotidiano. O nome é continuação do trocadilho contido no título do livro de contos do autor, publicado pela Scortecci, Contos: Nem VI (mais) Nem LI (menos), que visava baralhar VI e LI (não seriam, portanto, apenas flexões verbais) com os números 6 e 51.

MÁSCARA DE ÉBANO / Eduardo Frias

Máscara de Ébano, segunda coletânea de poemas de Eduardo Frias, reúne imagens sob o ritmo de uma poesia que, sucinta na forma e intensa nas emoções, desperta múltiplos sons e profundas ressonâncias na alma do leitor. Os poemas convidam ao ingresso no âmago do próprio ser em busca de tesouros e elos perdidos, escondidos sob máscaras de ébano.

MATTEMAS / Nílson José Machado

O livro reúne cerca de 8 dezenas de MATTEMAS, que são textos curtos, em linguagem poética, tendo como tema a Matemática. A brincadeira e o desafio é temperar a razão com uma pitada de emoção.
FINITO/INFINITO
O fim do que é finito
Não faz vilão, nem herói.
O infinito quando finda
Dói.

MEMÓRIAS D'ALMA / Gleide Bárbara

Gleide Bárbara é natural de Três Pontas (MG), e reside atualmente em São Paulo; é, portanto, mineira de alma e paulista de coração. Graduou-se em Psicologia pela Universidade São Francisco (SP). Memórias D'Alma é seu primeiro livro individual publicado, e traz poesias cuja temática se divide em dois movimentos.

MEMÓRIAS DE UM SANTANÃO 88 / Rafael Satelis

Memórias de um Santanão 88 apresenta onze crônicas engraçadas e inusitadas baseadas em acontecimentos incrivelmente reais. Todas as histórias deste livro aconteceram com o autor e seu Volkswagen modelo Santana 1988. O casamento durou nove anos, envolvendo muito amor e ódio entre o homem e o carro. Logo na primeira crônica, “Nascendo uma Paixão”, o autor revela como lutou com todas as forças ao completar 18 anos de idade para comprar aquele carro.

MESA DE BACH / Paulo Fernando Araújo

O livro é constituído de poemas que o autor compôs ao longo de sua vida. Aproveitou as inúmeras noites de boemia para produzi-los, na sua maioria, em mesas de bares da Cidade de Salvador, sobre os amores, as paixões, pontos de vista do cotidiano e uma exaltação às mulheres que fizeram parte do seu rico convívio.

METADES / Anderson Lobo / Paulo Marcos M. Santos

"Metades" é o resultado da parceria entre o cantor e compositor Anderson Lobo e o fotógrafo Paulo Marcos M. Santos. Amigos de versos, juntaram seus poemas, vinte e cinco cada um, para dar vida a essa obra repleta de palavras simples que falam tanto sobre a vida do interior como sobre os arranha-céus da cidade grande, com enorme potencial para agradar os leitores do gênero.

 

METÁFORAS DO ZÉ / José Fernando

"Quando eu tinha 12 anos, tentou me ensinar a tocar violão. Aos 15, achou que eu poderia dar bons chutes de Taekwondo. Mas o legado que realmente me transmitiu, ainda que sem perceber, foi a paixão pelas palavras. Hoje escrevo e parte de minha influência vem deste querido tio, o Zé Fernando. Para mim, o Zé. Sua sensibilidade, sua visão peculiar, sua risada dominadora, suas histórias espetaculares, suas garimpadas no sebo, suas palavras escolhidas cuidadosamente, suas lágrimas descontroladas.

MEU JARDIM DE TROVAS / Angela Guerra

Trovas que versam sobre temas variados, a maioria em português; algumas em espanhol e inglês. Momento de Amor, de Oração, de Humor. Outros Momentos. Poemas em quadras. A trova, com uma existência que supera séculos, possui em si a necessidade de uma inspiração divina, sutil, até nos momentos adversos, dando cor sempre renovada aos queixumes de um dia a dia soturno.

MEU SER, ASSIM / Lourdes De Vita

Eu era uma jovem senhora quando despertou em mim o dom da escrita. Foi como uma explosão, minha mente buscava ideias no subconsciente, formando estórias e poesias. Sou membro da Academia Popular de Letras de São Caetano do Sul e participo de vários grupos de escritores, onde o tema principal em todas as reuniões é a escrita. Participei de vários concursos literários, tendo sido premiada pela Academia de Letras de  São Paulo.

MEUS CORDÉIS E OUTRAS POESIAS / José Geraldo

Meus Cordéis e outras Poesias de José Geraldo, são poemas inspirados na infância e na vida adulta do autor dividida entre Pernambuco e São Paulo.

MEUS ESTADOS MEU PAÍS / Ari Lins Pedrosa

“Creio que se pode concluir, sem medo de erro, que, no caso de Ari Lins Pedrosa, estamos diante de um verdadeiro poeta, não se trata apenas do arrebatamento de um rapaz perdido (ou achado) numa província que possui incalculável tradição poética”.
Jorge Amado

MINHAS CONTRADIÇÕES / Heloísa Corrêa

"Se Platão, que era Platão considerou correta a argumentação de Heráclito, sobre a fluidez do mundo, onde nada permanece idêntico e tudo se transforma no seu contrário, eu, simples autora desse pequenino livro de contrários, fico à vontade para dizer e desdizer conceitos e fatos, que vivencio a cada etapa da minha vida. Que fique para a dialética, a discussão, se o pensamento e a linguagem passam, ou não, da contradição entre as aparências, à identidade de uma essência.

MINHAS ETERNAS POESIAS / Hugo Paz

O autor mescla ideias sobre diversos temas, tais como: preconceito racial, amor, crítica social, lirico e homenagens. Aqui vocês encontrarão de tudo um pouco, até frases inspiradas em grandes ícones da humanidade. Hugo Paz nasceu na cidade de São Paulo, no ano de 1987. É funcionário público e escreve desde os treze anos. Sua primeira letra foi de uma música, hoje transformada em poesia intitulada: grafiteiro.

MINHAS RAZÕES / Eloah Corrêa de Amorim Bairral

Em Minhas Razões, você  vai se encantar com as belas poesias que envolvem as minhas, as suas, as nossas malditas e benditas razões. Nasci na linda cidade de Patos de Minas, em Minas Gerais, no ano de 1961. Vivo uma linda história de aprendizado. É maravilhoso o privilégio de amar a vida e ser correspondida, minha principal razão de escrever. Hoje divido residência entre Minas Gerais e São Paulo, onde também trabalho na área administrativa de uma grande empresa.

MINUETOS / Alejandro Arce Mejia

Minuetos, nova obra de poesia de Alejandro Arce Mejia, é um livro que, no dizer feliz de Brasigóis Felício (membro da Academia Goiana de Letras), “remete a devaneios da alma, eleva o espírito, faz pensar que viver pertence ao reino imanente, mas também ao inefável, ao que transcende a percepção sensorial de que o ser humano é dotado (...).

MOMENTOS / José Eduardo Simões

Não há quem não registre na memória momentos importantes de sua vida. José Eduardo Simões resolveu ir além, registrando poeticamente vários deles em seu quinto livro de poesia. Aqui, o leitor ou leitora encontrará poemas reflexivos, apaixonados, arrependidos, alegres, tristes etc. Escritos com sensibilidade, são garantia de leitura agradável e emocionante para aqueles que, amantes de poesia ou não, também têm uma história para contar.

MON CORPS - UNE PENSÉE - MEU CORPO - UM AMOR PERFEITO / Lia-Rosa Reuse

Mon corps, la nuit, d'éclats est trempé et j'écris
versant mes lumineux transparents papillons
et mes abeilles d'or, la rosée des boutons
des fleurs de mes doux rêves qui coule sans bruit.

Meu corpo à noite molha-se de luz e escrevo
vertendo transparentes claras borboletas,
minhas abelhas de ouro, o orvalho dos botões
das flores de meus sonhos que rola sem ruído.

MOSAICO DE SENTIMENTOS / Daniel Maurício

Inserções poéticas no cotidiano, mergulhos existenciais e pitadas de erotismo são constantes na obra de Daniel Mauricio, poeta que vai dos poemas mais longos ao instante fixado nos haicais. Seus versos são impregnados de lirismo e de sugestões sinestésicas, com ritmo próprio e agradável. Algumas vezes, sua tessitura beira a magia das palavras, como na luta metalinguística encetada por Carlos Drummond de Andrade.

MUITA PROSA, POUCO VERSO / Amanda S. Fernandes

Primeiramente há que se dividi-la mesmo, como o titulo, tanto em prosa como em verso também na vida. A Amanda da prosa é e uma eximia esgrimista. Presenciá-la é assisti-la. Seus argumentos desprendem-se na direção do vento e o tomam as rédeas, indo para quem deseje. A beleza de seus movimentos, mentais e ainda sólidos, hipnotiza qualquer interlocutor desavisado.

MULHER DE ASAS / José Barbezani

José Barbezani está presente na história da literatura brasileira com duas obras publicadas, Martírio e As Mais Belas Poesias. Agora na Bienal Internacional do livro de 2012, ele lança seu terceiro livro de poesias com o título Mulher de Asas. Uma obra que mistura lirismo e com o simples dom de criar poemas com os mais variados temas, uns utópicos e outros tirados de sua vivência do cotidiano.

MUSEU DE MARIANA / Francisco Moura Campos

Os vinte primeiros são contas de um rosário perdido por nossa Senhora do Cimo da Serra. Os oitenta seguintes são Haicais, do Museu de Mariana, alusivos a terra, fogo, ar, água, amanhecer, anoitecer, luar e passarinhos.
O cotidiano.
O lado maior e mais belo do cotidiano.

NA ALMA SELVAGEM DE UM CAVALO ALADO / Carlos Humberto Pena

Desde Mallarmé a poesia é invenção e experimento, sempre flertando com hermetismo ou prosaísmo. Carlos Humberto Pena escapa dessa cilada nesta coletânea de poemas, um verdadeiro pequeno romance de formação. Encontramos aqui o fascinado olhar da criança diante da natureza animada, a curiosidade da meninice, as bruscas mudanças de humor da juventude, o infinito anseio de fusão do jovem adulto e os impulsos para viajar e conhecer o mundo.

NA DURAÇÃO DA MATÉRIA / Izacyl Guimarães Ferreira

Você abre este livro de Izacyl Guimarães Ferreira e o primeiro poema se intitula “Tempo”. Começa a se movimentar o leque poético a partir de uma imagem central. Este poeta enraizado no “tempo”, no segundo poema chamado “Passado” desdobra um segmento esclarecedor de nossa intrincada temporalidade: “o que ficou atrás mas nos alcança/ e de repente devora o presente”. O terceiro poema, já no título, nos diz mais claramente a direção que estamos seguindo: do “tempo” e  do “passado”, agora se aporta de vez na “Memória”.

NA MESMA VIELA DE SEMPRE / José Alves da Nóbrega

O livro Na mesma viela de sempre além de distinta sonoridade e estética, caracteriza-se pela simplicidade e variedade no seu processo criativo, que reúne desde verso livre à poesia concreta e, como não era pra menos, à poesia de cordel.

NA PORTEIRA DO TEMPO / Manoel Santana Câmara Alves

Na porteira do tempo o autor traduz todo o seu sentimento. É um grito de alerta e de esperança tentando acordar os homens para entoarem a canção do amor da liberdade da igualdade e da fraternidade.

NADA MAIS QUE ISTO / Mirian de Carvalho

Em Nada mais que isto, Mirian de Carvalho, tal como o fez em livros anteriores, define uma poética de cunho lírico, ao elaborar imagens do mundo captado através do intimismo.  Da leitura de seus intérpretes, aqui destacamos trechos registrados nos prefácios deste livro.
NADA MAIS QUE ISTO / Mirian de Carvalho

NÃO HOUVESSE TABACO E OUTROS POEMAS / Sérgio Lara

Uma quase anárquica coletânea de poemas que reune memórias, manifestos, confissões, histórias, música, quadrinhos, futebol, etc, em tons que agregam bom humor e ironia. Poemas cuja linha de construção é ilógica e - por vezes - cruelmente real.

NÃO SEI SE VOU TE AMAR / Mirian de Carvalho

Ideais. Fantasias. Descompassos e regozijo do corpo e do sentimento. Vertigem. Assim, na vida. E no amor. Das oscilações vivenciadas na pele e no ânimo, tudo já foi registrado por poetas e amantes. Sem nada mais a dizer sobre o tema, em Não sei se vou te amar, meus versos percorreram imagens dos amores dos outros.

NÃO SOU POETA, SOU FAZEDOR DE RIMAS / Affonso Renato Meira

A Academia é o templo magno da cultura, não há que saber quem está a sua altura. Não precisa ser constituída por doutores. Aos cientistas as dores, aos artistas as cores. Os imortais da memória mantenedores que da arte e da ciência sejam criadores. Desvendar a história, zelar pela cultura cuidar que a tradição seja a mais pura. A literatura, a música, a pintura, o passado, a pesquisa, o porvir não pode ser abandonado. Da complexidade da mistura encontrada, surge sublime a Academia para ser aclamada.

NAS ASAS DA ALVA / Elias Pescador

“Quão preciosa é, ó Deus, a tua benignidade, e por isso os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas... Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz.”
(Salmo 36: 7,9)

NAS MÃOS DA POESIA - UNIVERSO IMAGINÁRIO / Alice Luconi Nassif

Nas mãos da poesia – universo imaginário, é um livro de poemas, cujo principal objetivo é despertar as boas e necessárias emoções que regem a nossa vida. Aqui vai se falar de amor, de alegrias, de perdão, de temor, de esperanças, de desejos, de beijos, de absurdos e tudo mais que possa emocionar e tocar corações... Sua linguagem vem das Musas de Homero... divindades inspiradoras que de mãos dadas com esta poetisa, sussuravam ao seu ouvido as frases que escrevia...

NECIADE / Armando Graciano Junior

Existem mesmo textos que já nascem clássicos. Os poemas de Neciade são assim: uma viagem pelos mares encapelados do Existencialismo, do Surrealismo e do Xamanismo, junto a um guia que não deixa ninguém cair do barco. Escritos no final dos anos 90 e começo deste século pelo paulistano Armando Graciano Jr., os ritos do aprendizado versam numa dicção original, que dota de autenticidade única este livro belo e misterioso.

NO ÍNTIMO DO SILÊNCIO / Eritânia Brunoro

O poeta habita a clausura de si mesmo, onde alimenta-se das mais intensas palavras, dos mais requintados versos. Suas emoções e sentimentos transcendem a barreira do simples existir e materializam-se em poemas extraídos de sua enfraquecida alma. Vive o poeta do inquietar de sua própria dor ou da dor de outrem, das sombras que perseguem seu sono à noite, das linhas que seguem o seu destino acompanhando o lamentar das angústias. No Íntimo do Silêncio, afloram todas as percepções humanas.

NO PÉ DO ARCO ÍRIS / Ricardo Carneiro Leão

A vida, o mundo, quase tudo muda, sofre transformações, mas os sentimentos continuam, o amor, a dor, a solidão, o nascimento e a morte estão presentes e com eles a poesia. Sim temos necessidade de poesia como algo essencial para exaltar a alegria, amenizar a dor ou sonhar. E dando continuidade aos sonhos do poeta temos: “No Pé do Arco Íris”. Em seu segundo livro de poemas e poesias, Ricardo Carneiro Leão mais uma vez nos brinda com uma viagem agradável e que nos leva à reflexão sobre a vida, a sociedade e também a morte.

NO TEMPO DA POESIA / Pedro Marcos Pereira Lima

Um livro de poemas é uma oficina de reconstrução de olhares, onde as palavras correm pelo papel em revoada de crianças de todas as raças, seja da cor que for são todas coloridas. (Que esse livro tenha a idade dos sonhos das crianças longe de guerras e de escravidões.) A poesia aqui quer a palavra da humana criança que fale em Deus e que o Deus-Verbo fale em nós.

NOITE NA PRAÇA DOS AMORES / Pedro Leite Júnior

Noite na praça dos amores é uma aclamação ao sentimento amoroso. Propõe o resgate do romantismo, bem como um olhar langoroso sobre o passado. Como retrata o poema que dá nome ao livro Noite na praça dos amores, a expressão do amor manifesto em festas e paqueras inocentes, quase pueris, está afeita a um passado longínquo, no qual as pessoas amavam com uma capacidade fremente, igual à agitação festiva e à vivacidade que um dia habitou a Praça dos Amores.

NOSSO ENDEREÇO ELETRÔNICO / Chaguinha do Biá

Neste pequeno e aconchegante Livro de Poesia, intitulado de NOSSO ENDEREÇO ELETRÔNICO, que fazem parte integrante do poeta Chaguinha do Biá, nele foi escrito cinquenta textos poéticos, divididos em cada um deles dez poesias, que falam com exclusividade dessa grande e Arrojada Floresta Equatorial chamada de PULMÃO VERDE.

NOVIDADE / Leão Moyses Zagury

A poesia amapaense carrega uma singularidade: seus artífices têm mais que lápis e papel para escrevê-la, eles escrevem-na com os raios do Sol equatorial e com a chuva de prata que a Lua provoca no barro seco dos lagos e no leito do Rio Amazonas, que portentoso mata a sede e banha os poetas. E assim, eles, os poetas, marcam seus poemas com ações políticas, desconforto com o preestabelecido, sem perder a ternura, a sensibilidade e o arrojo da pororoca.

NOVOS POEMAS DE AMOR / Pedro Albino

O livro Novos Poemas de Amor retrata de maneira simples, mas com profundo sentimentalismo poético, o amor externado pelo poeta ao longo de sua vida, em especial após o ano de 1995, quando lançou seu terceiro livro de poesias intitulado 69 Poemas de Amor. É o amor às coisas boas da vida, às mulheres, ao próximo e à natureza, sem deixar de denunciar a maldade, o ódio e a guerra entre as pessoas.

NUVENZINHA BRANCA -HISTORIOGRAFIA / Lauro Martinelli

Em Nuvenzinha Branca (Historiografia), o leitor, vai encontrar poemas, poesia, crônicas autobiográficas, crônicas mórdicas, biologia, química mineral, química orgânica etc. Lauro Martinelli, pretende com isso, agradar seus leitores, sejam crianças, adolescentes ou adultos. Lauro Martinelli nasceu em Amparo (SP) em 5 de março de 1926. Mudou-se para a capital em 1935, onde reside até hoje.

O ABRAÇO DA ESPERANÇA / Audelina Macieira

O abraço da esperança, escrito pela poeta baiana Audelina Macieira. É um livro de textos poéticos e pretende levar o leitor a refletir o seu cotidiano. O livro trás uma crônica sobre a Esperança e em seguida letras invadem a alma do leitor que mergulha na sensibilidade de Poemas como: Não tenho, " Breve é a vida não tenho a eternidade tenho o dia de hoje". O abraço da esperança fala ao coração e o toma em versos que o expõe e que sugere ao leitor uma viagem longa a poesia do movimento que é a própria vida.

O ABRAÇO DO PAI / Ataíde Lemos

Ser discípulo de Jesus é ser anunciador da Boa Nova, agir com misericórdia e promover a justiça, fazendo da vida terrena a experiência da vida eterna.
Ataíde Lemos

O AMOR POETIZADO / Chaguinha do Biá

O livro intitulado O amor poetizado, aqui apresentado aos amigos leitores, é uma obra que faz parte do poeta amazônida Chaguinha do Biá, que pretende não só contribuir para os eternos apaixonados, mas também criar leitores cada vez mais engajados com a causa do bem-estar da pessoa amada.

O AMOR VERSIFICADO / Chaguinha do Biá

O livro intitulado O amor versificado, aqui apresentado aos amigos leitores, é uma obra que faz parte do poeta amazônida Chaguinha do Biá, que pretende não só contribuir para os eternos apaixonados, mas também criar leitores cada vez mais engajados com a causa do bem-estar da pessoa amada.

O ARRANJADOR DE PALAVRAS / J. Cordeirovich

Neste livro, seu autor J. Cordeirovich, reabre seu baú (também autor de Baú de Qualquer Coisa, desta mesma editora) de invenções e oferta ao leitor sua fragmentação prosódica fugindo da escrita convencional, da organização das palavras a partir do seu sentido lógico. E se torna, como ele mesmo diz, um atravessador de paisagens. Como um Narciso afro descente que abre sua janela holográfica para mostrar poemas ensopados de mentiras, como ele mesmo assim abre um de seus capítulos.

O AVESSO DO ESPANTALHO / Luiz Jorge Ferreira

Este é o sexto livro de poesia do autor Luiz Jorge. Antes dele, foram publicados: Berro Verde, Tempos do Meu Tempo, Cão Vadio, Beco das Araras e Thybum. Suas tecelagem literária tem variadas nuances; a forma de dizê-las é a digital de cada autor. O Avesso do Espantalho mostra a sua poesia evoluindo consigo e em si. Espelhada com o que lhe cerca, incomoda, soma e subtrai.

O AVESSO DO POEMA / Miriam Silvia Schuartz

Este é um importante estudo sobre a grande poeta Cecília Meireles. Traz cuidadosas análises textuais que vão revelando, pela análise detida das imagens, da arquitetura formal e do diálogo que esses textos estabelecem com outros textos da obra da escritora, elementos significativos para a compreensão da poética ceciliana, em grande parte ligados ao tema da metamorfose.

O BRASIL ATÉ BRASÍLIA / Benedito Paes

É assim a contextura do poema: Vi, como uma visão, Dante descer duma estrela e chegar a mim e dizer-me que o anjo Ismael, a mandado de Jesus, voou a um planeta da Capela e pediu-lhe para vir à Terra e lembrar-me de que eu tinha uma grande missão a cumprir: compor um poema da nossa pátria, de Brasília e, por isso, tinha que assistir à sua inauguração.

O CANGURU REPÓRTER / Chaguinha do Biá

O livro O Canguru Repórter faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

O CANTO DO URUTAU / Ricardo Lacava (Vencedor do XV Prêmio Literário Asabeça 2015)

O canto do urutau – a lenda do mãe-da-lua representa a negligência multissetorial das entidades governamentais e não governamentais perante problemas sociais que persistem ainda no século XXI. Uma comparação modesta e singela à grande obra de João Cabral de Melo Neto Morte e Vida Severina pode ser repassada aos moldes contemporâneos deste novo século, em tempos e espaços diferentes, onde muito se fala em questões ambientais e direitos humanos.

O CÃO / Celso Godoi Neto

A obra "o cão" retrata de forma despojada várias facetas do cotidiano através de poemas, ora curtos ora longos, carregados de ironia e bom humor. Seus versos acabam por proporcionar um legítimos farejo às mazelas do homem e sua condição humana.

 

O CÉU DAS COISAS / Ivan Dias

O céu das coisas é o terceiro livro de poesias do autor. E, de modo semelhante aos dois primeiros, os poemas são um caleidoscópio de temas abrangendo situações e personagens que compõem um quadro que vai das lembranças de sua infância e adolescência às dúvidas (e certezas) de sua maturidade.

O DESPERTAR DA AMAZÔNIA / Chaguinha do Biá

Os poemas apresentados nesta pequena obra O Despertar da Amazônia, pretendem estimular o leitor a descobrir, na leitura, as belezas que nos rodeiam e permitem que a vida no planeta Terra seja cada vez mais humanitária. E entendam que, neste planeta, cada ser vivente desempenha um papel de muita importância na sociedade.

O ENCALHO DA EMBARCAÇÃO / Chaguinha do Biá

Chaguinha do Biá dedica grande parte de seu tempo às lembranças dos seus antepassados e, através de seus pequenos textos infantis, poéticos, fábulas e crônicas, consegue trazê-los de volta à nossa atualidade. Este livro, recheado de contos, aborda a temática da nossa educação ambiental como um dos verdadeiros pilares do aprendizado para compreender e preservar o meio ambiente.

O INFILTRADO / Alam Borges

Este livro de poemas é um relatório d'o infiltrado sobre o ser humano e seu agir na vida, o seu viver na natureza e no seu metamorfosear junto a ela diante da "realidade". Seus poemas são uma transfiguração em palavras da experiência humana no mundo, palavras que iluminam o silêncio e somem por detrás das coisas que elas iluminam.

O INVERNO CHEGOU / Francisco Epifânio Ferreira

Pássaros enfileirados
Meu nome: quem sou eu
Sou aquele ser cristão
Sou aquele abençoado cidadão
Uma história alguém contou
Tudo em nome do que brotou

O INVISÍVEL PARDIEIRO DE PÉTALAS / Alberto de Godoy Azeredo

Surpreendeu-me o jovem amante das melodias, aprendiz de violão (e bom violonista) que aos poucos foi abandonando a música, como se dela tivesse desgostado. Mas descubro, ao ler seus poemas, que não desgostou e nem dela se esqueceu. Essa paixão hoje se manifesta na sua obsessão em imprimir ritmo ao verso e na busca da rima correta. Eu sei que para o Beto (forma como nós, seus íntimos, o tratamos) essas qualidades, além de fazerem da poesia ainda mais poesia, permitem ao poema soar como canção.

O IPÊ À MINHA JANELA / Salette Granato

O IPÊ A MINHA JANELA é o carro chefe dessa edição emocionante e carismática. Poema inspirado por um ipê-rosa que a autora viu ser plantado e crescer diante de sua janela na Câmara Municipal de Jacareí, onde trabalha, virou marca registrada de seu estilo romântico e cativante.

O JARDIM DOS SONHOS / Elisabete Baena Sitnikas

Por que escrever Poesia? Para me lembrar ser humano sensível aos fatos e sentimentos, comuns ou não, porém universais. Para compartilhar o exercício mental numa reflexão sonora, suave e envolvente. Um convite ao outro e seus pensares. Porque ler Poesia é reconfortante, é saber-se não sozinho. Repensar ideias e agregar sensações, ou vice-versa, e num processo intimista entender melhor nosso mundo, externo e interno, de maneira que as ideias registradas nos causem reações e façam florescer ideais.

O JARDINEIRO DAS NUVENS / Ari Lins Pedrosa

Livro de poesia. Voltado para poesia moderna.

O MACACO MADE IN CHINA / Chaguinha do Biá

O livro O Macaco Made in China faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

O MELÃO DE SÃO CAETANO / Chaguinha do Biá

Chaguinha do Biá dedica grande tempo de seus pensamentos às lembranças dos seus antepassados e, através de seus pequenos textos infantis, poéticos, fábulas e crônicas consegue trazê-los de volta à nossa atualidade. Este livro, recheado de contos.

O MESMO OUTRO / Josemar Martins Pinzoh

O livro O mesmo outro reúne textos com idades muito diferentes. Estão nele reunidos poemas como A Mão, oficialmente o primeiro poema do autor, classificado em 3º lugar no Concurso de Poesias da I Semana Cultural de Curaçá - BA, ocorrida no já distante ano de 1984.

O MESMO OUTRO / Josemar Martins Pinzoh

O livro O Mesmo Outro reúne textos poéticos com formatos variados, ora se aproximando da rima não ortodoxa, ora se afastando dela. Também são poemas com idades muito diferentes, tendo em vista que não se trata de uma obra que decorre de um trabalho contínuo e sistemático de escrita, orientado por um tema ou coisa que o valha.

O MUNDO AQUALOUCO / Chaguinha do Biá

Do começo ao final desta laboriosa obra intitulada O mundo aqualouco, composta de pensamentos voltados ao mundo encantado da nossa Amazônia, dos nossos rios, lagos e pequenos vilarejos, escritos com objetivo de seguir caminho com o leitor, pelo diverso e extraordinário mundo encantado da nossa floresta amazônica; como se fosse uma verdadeira companheira nas horas mais interessantes e divertidas desses nossos amigos leitores.

O NÃO EU E OUTRAS POESIAS / Leonel Ferreira da Silva

O livro está dividido em duas partes: a primeira, intitulada “O não eu”, contém poesias de cunho mais espiritual, que focam as atitudes que não são protagonizadas pelo ego, e sim pelo espírito, daí este título: Não eu”. A segunda parte, intitulada “Outras poesias”, são poesias comuns, iguais às que são encontradas em qualquer livro de poesias, abordando os assuntos mais variados que se possa imaginar.

O NOSSO AMAZONAS / Chaguinha do Biá

O livro O nosso Amazonas faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

O OBSERVADOR / Leandro Zermiane / Marcelo Lambert

Nosso projeto foi elaborado com fotografias em preto e branco intencionalmente para levar aos leitores a busca do simples. Entendemos que, com essa técnica, o observador irá extrair da imagem aquilo que há de mais profundo, significativo e sagrado. Esse projeto uniu um homem da tecnologia com um homem das ciências humanas.

O PAQUIDERME / Edobardo Lyra

"O paquiderme" é um livro de poesia em que o poeta transborda sua inspiração em poemas de amor e sexo com pitadas de ódio e paixão. Como nenhuma editora se interessou em editá-lo o autor teve a duras penas de bancar do próprio bolso a publicação em quantidade limitada para poder ver sua vaidade realizada.

O PEQUENO SÍTIO MAMORIAZINHO / Chaguinha do Biá

Chaguinha do Biá durante a elaboração de seus livros, cria os próprios textos poéticos e ilustrações. Usa fotografias que tira das paisagens amazônicas para tornar cada página do livro inovadora. Com isso, espera instigar a curiosidade e o divertimento dos leitores de todas as partes desse nosso imenso e belíssimo planeta chamado Terra.

 

O PEZINHO DE MARIMARI / Chaguinha do Biá

O livro O pezinho de Marimari faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

O POETA JOVEM / Carlos Kessner

Livro escrito nos anos de adolescência do poeta, retrata seu encontro com a descoberta dos primeiros amores, as incertezas e perplexidades diante do mundo adulto que se decortinava a sua frente e a percepção das preocupações ecológicas que em breve tomariam de preocupação o mundo.

O PROTAGONISTA / Carlos Maia

O que existe entre o céu e a terra que a nossa vã filosofia não é capaz de imaginar? Neste livro de sete contos e 58 poemas, Carlos Maia fala sobre a vida e seus mistérios, que muitos de nós – seja lá por fraqueza ou limitação humana acreditamos ser apenas sonho ou imaginação.

O QUE MAIS VALE NA VIDA / Lourenço Pinto Coelho

Uma coletânea de poemas à volta de questões variadas, onde se mesclam elucubrações sobre temas que vão desde ecologia, passando por família, culturas, saudade, religião e envelhecimento, com reflexões amargas, mas ao mesmo tempo cheias de sentimento e coragem.

O QUE OS OUVIDOS CANTAM / Nádia Rockenback

Um livro de poesias... Com imagens refletidas da minha infância. Na juventude, vejo a poesia do descobrir, do reinventar, do brincar com a criatividade dos sonhos.
Nadia Rockenback

O SÍTIO DO PASSARINHO CAPITÃO DA MATA / Chaguinha do Biá

Este pequeno livro intitulado O Sítio do Passarinho Capitão da Mata, conta com dez fábulas destinadas aos nossos irmãos dos mais longínquos cantos da gloriosa Floresta Amazônica. E trazem no seu conteúdo uma maneira adequada de ensinar e educar o leitor à linguagem necessária ao seu aprendizado sobre o meio ambiente.

O SONHO DA ÁGUIA / Leonides Simões

O Sonho da Águia é um livro muito especial, pois é a concretização de um trabalho gerado ao longo do tempo. Concebido em minha juventude, tornou-se o embrião e uma obra que viria marcar o meu ingresso no campo literário. Apesar de já haver lançado o meu primeiro livro, Páginas da Minha Vida, foi este que trouxe a expressão de contentamento, porque mostrou a certeza de que o sonho cultivado pode se tornar realidade.

O TOM DE MEUS CANTARES / Guy Werneck

A obra de poemas inéditos O Tom de Meus Cantares traz um conteúdo recheado com uma multiplicidade de temas de cunho social, de anseios de uma sociedade e contrastes da vida, em contextos globais, que caminham constantemente em transformação e estagnação. Entre versos ásperos, Guy Werneck, que se considera um poeta romântico e contemporâneo, retrata o caos urbano, a solidão, o preconceito, o amor, a esperança de dias melhores, as desilusões presentes nas sociedades e culturas que por vezes, se estagnam no âmbito e contextos da desigualdade social.

O VERDADEIRO HABITAT NATURAL / Chaguinha do Biá
O livro O verdadeiro habitat natural faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, o qual tem como finalidade não só contribuir para uma nova visão, mas também criar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados textos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.
O VERSO E O POEMA / Neuza Maria Spínola

O livro O Verso e o Poema, é uma seleção, de poesias, feita pela autora, Neuza Maria Spínola, dos mais de 400 poemas escritos e publicados na internet. Neuza Maria Spínola, nasceu em Presidente Prudente (SP), em 11 de outubro de 1952. Viveu toda a sua infância e adolescência entre os livros de poesia e romances, das estantes de sua casa, pois seu pai era poeta e professor de Português, na cidade de Paraguaçu Paulista (SP).

OÁSIS DE EXPRESSÃO - 2ª EDIÇÃO / Rossidê Rodrigues Machado

Sou professora, poetisa, escritora, artista plástica e desenhista. Curiosidade, ânimo e não deixar as oportunidades por conta do acaso: é o que me faz conquistar meus objetivos. Sempre tomada por uma força, um desígnio, avanço. Mais uma obra literária. No computador armazeno o meu pensamento: o imaginário e o real. Um cotidiano que sempre me leva a crer: não nasci para morrer, nem sou uma simples folha solta ao vento.

OBSCENAS / João Carlos Marcon

Aventuro-me pelos caminhos da poesia procurando demonstrar aspectos das relações humanas que em nenhum outro gênero narrativo seria mais eficaz. São as metáforas poéticas instigando pensamentos, absorvendo sentimentos e externando ideias. Obscenas não é um livro que vem para chocar, mas também não tem intenção de seguir regras de decoro.

OFERENDAS: DÁDIVAS DE AMIGO / Rute Raposeiro

Oferendas: dádivas de amigo, segunda obra publicada de Rute Raposeiro, começa com algumas trovas recriadas do tempo da infância e da adolescência. Em seguida apresenta algumas poesias de 1974, época em que Rute “inventou” que seria escritora, e outras de quando estava concluindo a faculdade, período que começou a distribuir poesias entre as amigas e colegas de classe.

OFERTA / Alexandra Vieira de Almeida

Neste livro de poemas de Alexandra Vieira de Almeida, Oferta, a poeta consegue a difícil proeza de aliar vários temas: o amor, o erotismo, a poesia reflexiva e filosófica, dentre outros. Beira o limite entre poesia e prosa, acertando em cheio a medida certa do tempo para cada texto apresentado. Com versos predominantemente longos, utiliza-se de imagens originais, encantando o leitor.

OLHAR E OLHARES / Anna Ribeiro

No olhar do Cotidiano, poesias de todos os dias, como sonhos, amores e desamores que vivi, ouvi, ou simplesmente inspirações poéticas. Deste perpetuar, ofereço um ramalhete de sentimentos amarrados em laços de saudades. Das poesias que viveu, ouviu ou que inventou, poetisou. Do cotidiano em linhas de metáforas enfatisa o lirico em amores, desmores, sonhos e ilusões, fazendo destes um buquê amarrando em laços de saudade.

OLHARES / Pedro Resende

Em Olhares, o autor espelha descrições, sentimentos e percepções sobre experiências e fenômenos cotidianos a partir de diversos pontos de vista, num intenso e ininterrupto exercício de se colocar em lugar de outrem a fim de captar uma holística compreensão de mundo e mais próxima do real.

OLHARES DO INTERIOR / Ivan Dias

Olhares do Interior traz à palavra escrita os olhares de seu autor a partir de uma visão construída no interior das Minas Gerais, seu estado natal, com as peculiariedades que a mineirice parece proporcionar aos seus (assim diz a lenda) ou olhares a partir de um interior, íntimo, pessoal que se traduz na observação dos fatos sob um ângulo próprio, único, intransferível, nem melhor, nem pior que qualquer outro, mas original.

OS BATIMENTOS DAS PALAVRAS / Fernanda Mori

Entregue-se a passar um tempo junto aos seus próprios sentimentos. Vá descobrir tudo o que seu coração pode sentir, fazer você se entregar de peito aberto a um real significado das palavras amor e paixão. A cada verso um sentido, a cada frase um encanto e a cada texto um encontro com si mesmo. Jogue-se de cabeça a algo real e se maravilhe com o incrível mundo fantasioso de sua mente, encontre-se em meio a expressões e se surpreenda.

OS BOIS-BUMBÁS DA AMAZÔNIA / Chaguinha do Biá

O Festival Folclórico da cidade de Parintins, o espetáculo mais esperado da floresta Amazônica, acontece todos os anos sempre nos dias 28, 29  e 30 de junho. Os preparativos dos ensaios, da confecção das alegorias, fantasias e coreografias têm início antes mesmo do Festival. O grande evento é celebrado no Bumbódromo, considerado o templo sagrado dos Bumbás da Amazônica, com capacidade para receber até trinta mil admiradores dos Bois Garantido e Caprichoso.

OS CINCO TALENTOS / Maria Augusta Silva Dal Fabbro

Uma metamorfose. É isso. Ela transcendeu daquilo que já fazia, que era a poesia solta, pequena, intimista, para fazer Contos, Trovas, Sonetos, e fez um ensaio em Hai kais, e Literatura de Cordel. Começou com as rimas depois que seu pai, Antônio Ângelo da Silva, poeta e trovador, reclamou com certo pesar, que ela não fazia rimas. É membro efetivo do Grupo Literário do Clube Pinheiros.

OS DIREITOS ESPECIAIS DA FLORA AMAZÔNICA / Chaguinha do Biá

Chaguinha do Biá nas suas elaborações de livros cria os textos poéticos e as devidas ilustrações. Usa fotografias tiradas das paisagens amazônicas. E pede aos órgãos de proteção do nosso BRASILEIRÃO que fiquem de olhos bem abertos, dia e noite, na nossa floresta para ninguém fazer a festa com a madeira que ainda resta.

 

OS ENCANTOS DA AMAZÔNIA / Chaguinha do Biá

A importância deste livro de poesia é muito grande para o meio escolar, pois cada um dos poemas escritos aqui, tem o seu devido valor poético podendo, com exclusividade, falar diretamente com nossos amigos leitores através do mundo encantado das histórias amazônicas, apreciadas hoje nos quatro cantos do planeta.

OS FRACOS SÃO FORTES / Moisés Oliveira

Os fracos são fortes é uma obra fascinante, que revela o ser frágil que somos e ao mesmo tempo nos ensina a descobrirmos a fortaleza que temos dentro de cada um, uma fortaleza interna que além de nos proteger nos fortifica e nos adestra para enfrentarmos os desafios do mundo moderno. Um livro de poucas páginas, simples, inovador, inspirador e bastante reflexivo.

OS FUNERAIS DE APOLO / Oidualc Atsoc

Se você se vê como um penetra no banquete da vida, achando literatura um pé no saco e sentindo náuseas ao entrar em livrarias... então pode ser que esse livro lhe seja indicado. Oidualc Atsoc é o alter-ego literário de Claudio Ferreira Costa, professor universitário e pesquisador, que trabalhou em Konstanz, Munique, Berkeley e Oxford, e que é melhor conhecido por seu trabalho inovador em filosofia analítica contemporânea.

OS GUERREIROS AMAZÔNIDAS / Chaguinha do Biá

Esta pequenina e nova obra, intitulada Os Guerreiros Amazônidas, apresenta, no seu enfoque principal, lindas e belíssimas histórias que refletem sobre os nossos antepassados e a proteção que eles merecem no destaque internacional. Elas trazem um imediato apelo pela sobrevivência da população de todas as partes da nossa região, desse imenso Brasil, e pela preservação do meio em que vivemos que, hoje, é consideravelmente o maior patrimônio humanitário de todos os tempos.

OS HOMENS E OUTRAS MENTIRAS / Cristina Ferreira-Pinto Bailey

Carioca da gema, brasiliense de coração, cidadã do mundo… Escritora, tradutora literária e professora universitária, Cristina Ferreira-Pinto Bailey mora há mais de vinte e cinco anos nos Estados Unidos. Sua vida se desdobra em um movimento constante, deslocamento, percepções transculturais da realidade. Lost in translation? Não exatamente, mas sim sujeito híbrido, sonhando, pensando, vivendo na justaposição de línguas várias e de vários cenários que escreve e inscreve em sua poesia.

OUTDOOR / Francisco Moura Campos

Francisco Moura Campos nasceu em Botucatu (SP), cidade que lhe propicia as melhores fontes de inspiração poética.
É engenheiro formado pela Escola de Engenharia de São Carlos.Foi editor e promoveu o lançamento de vários poetas do selo Metrópolis (Chico Moura e João Scortecci).

OUTRA TROIA / Jamesson Buarque

Outra troia, publicado pela Editora Arte Paubrasil, é uma antiga perseguição à poesia, no que ela pode configurar e dizer em relação ao que sente e pensa o poeta Jamesson Buarque. Segundo o autor, outra troia será sempre uma intuição de rosas a fabricar a calma contra o armazém de gente daquela que distribui pomo de ouro e vírus com dentro uma criança que erguida de haver um dia se dado a cavalgar apenas pela guerra descobriu o canto que lhe entoa das vértebras. Outra troia, este seu poema-livro mais recente, foi incentivado pela bolsa de criação artística 2008/2009 da Fundação Nacional de Artes Funarte, por meio do Ministério da Cultura.

PAINEL DO TEMPO / Manoel Ianzer / Danielle Ianzer

Danielle Alves Ianzer, natural de São Paulo (SP), nasceu em 1975. É a filha mais nova de Luzinete Alves Ianzer (pernambucana) e de Manoel Francisco Madeira Ianzer (gaúcho). Casada com Carlos Xavier (mineiro). Estudou no Externato Casa Pia São Vicente de Paulo (1980-1992). Graduada em Ciências com Habilitação em Química (Bacharelado) pela Faculdade Oswaldo Cruz - SP (1996).

PAISAGEM ANTIGA / Alcinéa Cavalcante

Alcinéa Cavalcante nasceu em 19 de fevereiro de 1956 em Macapá, no Amapá, onde vive até hoje. Filha do poeta Alcy Araújo Cavalcante com a professora Delzuite Cavalcante, começou a escrever aos 10 anos de idade. Aos 11 anos seus poemas já eram publicados em jornais e revistas do Amapá.

PAIXÃO VIA INTERNET E OUTROS DELÍRIOS IMPROVÁVEIS / Betty Vidigal

Betty Vidigal teve seus poemas publicados pela primeira vez aos dezessete anos, no livro Eu e a Vela. Vinha apresentada por Lygia Fagundes Telles, que num belo prefácio declarou sua “tranquila e profunda satisfação de topar com uma vocação autêntica, marcadamente original, impregnada de forte sopro lírico”. O livro foi recebido com entusiasmo pela crítica brasileira, do Ceará ao Rio Grande do Sul. Tempo de Mensagem chegou dois anos depois. Assim como o primeiro livro, foi uma edição do Clube de Poesia, em conjunto com a Livraria Martins Editora

PALAVRA ENCANTADA - PEQUENOS POEMAS PARA PEQUENAS E GRANDES CRIANÇAS / Simone Santos Guimarães

No livro Palavra Encantada você encontrará fantasia e alegria em forma de poesia, as quais foram inspiradas no quintal onde a autora foi criada, no seu vestido preferido, no seu cão e gato que nunca ficavam separados, na primeira receita de bolo, na saudade das férias de verão, nos castelos de areia, na sua casa sempre em festa e entre outras fontes de inspiração da sua infância.

PALAVRAS NA AREIA / Marcos Tavares

Poemas inéditos que abordam diversos temas, tais como as questões em estar no mundo, o amor, a sensualidade, a busca de si mesmo, as dores e sofrimentos causados pelas relações humanas e o questionar sobre Deus e a morte.

 

PAPEL EM BRANCO / Francinete Braga Santos

O Papel em branco apresenta-se como uma coletânea de textos que transitam entre o real e o imaginário, a espiritualidade e a materialidade. Seus poemas resultam duma totalidade de sentimentos femininos traduzidos em pequenos textos, como partículas. Cria-se uma representação de ideias materializadas em texto escrito, em especial, Nordestina, Eu sou Essência, Lápide, Profecia, Póstumo, Mulher, Corpo Velho, entre outros.

PARA QUEM AMO / Antônio Galdino

A poesia, como gênero literário, sempre chamou a atenção do leitor e, como arte ela provoca curiosidade e encanta por si só, e a sua magia vai além da expressão metafórica, pois é a riqueza de linguagem figurada que faz com que o leitor busque nas entrelinhas o que não está explícito no texto superficialmente, há de se fazer uma leitura mais apurada da poesia, tal como se faz ao lapidar o diamante para que se tenha um brilhante de alto quilate.

PASSADO A LIMPO - ODE A MEU PAI / Mônica Franco Montoro

André Franco Montoro foi um político excepcional (e, considerando os tempos atuais, bota excepcional nisso!) que pautou a vida por uma dedicação absoluta ao bem comum, numa ação cujo traço mais marcante talvez tenha sido a coerência. Esta é, certamente, a imagem pública que nos legou um dos poucos genuínos estadistas  brasileiros. O Montoro que surge das páginas deste pequeno e belíssimo livro, uma jóia de prosa poética,  é o mesmo, visto de um ângulo distinto.

PASSOS TRÔPEGOS / Daniel Gomes Corrêa

Publicação póstuma, organizada por Isabelle Palma. Coletânea de poemas e prosas poéticas do poeta, falecido em 2013. Lamentar a ausência do Daniel seria legítimo se não fosse a força da sua poesia. Tive o privilégio de conhecê-lo em vida e na sua presença ler alguns manuscritos que mantinha reclusos na estante da sala. “Enquanto tu dormes, enquanto não durmo...” é um trecho do primeiro texto que li de sua autoria.

PÁTRIA / Celina Lucas

A PÁTRIA DE CELINA LUCAS - Celina Lucas escreve em momentos breves e quando isso acontece, parece que ela está apenas respirando. Respirando de maneira acelerada. Parece querer alcançar um prazer inatingível. Ela apenas obedece e, ao mesmo tempo, transgride. Ler os poemas de Celina exige coragem. Cuidado, você pode se perder no meio das palavras. Ela pode amarrar-lhe nas cordas azuis de seus versos.

PAUPERRIMIA / Gerson Lourenço

Os amantes da poesia, que aguardavam ansiosos o livro Poetas Inocentes, agora serão presenteados com a obra Pauperrimia, de Gerson Lourenço, o organizador e idealizador das antologias poéticas Poetas Inocentes e Poetas Inocentes Master. O leitor o receberá com gratas surpresas, uma vez que o livro traz um instigante manifesto denominado Cauilinismo e finaliza com um enigmático poema concreto que presentificam a vida e a poesia em tempo de uma democracia fragilizada.

PEDAÇOS DE MIM / Marcia Ribeiro Pitta

Você encontrará uma nova corrente estética. É um livro com uma revolucionária prática literária que mescla a poesia com narrativas, realismo mágico e uma pequena influência na sensibilidade humana. Este livro leva você Leitor a sentir e refletir sobre a vida e o próximo impulsionando-o a sensibilizar-se com a vida e seus acontecimentos.

PEDRAS E NUVENS / Maurílio Machi

O que é preciso para ler este livro? Nada além de saber ler e conhecer um pouco do mundo. Não precisa ser mestre nem doutor pelas universidades, mas pelas universidades da vida ter aprendido a usar, razoavelmente, os cinco sentidos e do agir em conjunto desses sentidos usufruir de sentidos extras oriundos dessas ações conjuntas.

PEG & PAG / Kaio Bruno Dias

Entre, fique à vontade, vá às prateleiras, encha a cestinha. Temos poemas fresquinhos, poemas em conserva, enlatados e poemas em ponta de estoque, tudo quase de graça. Peg & Pag, servindo bem para servir sempre.

PELAS FRESTAS / Fernando Maioni

Pelas frestas, primeiro livro de Fernando Maioni, apresenta uma coletânea de mais de cem poemas, com estilos e temas diversificados e um elemento comum: seu olhar de estranhamento. É com este olhar, misto de surpresa e questionamento, que nos deixa entrever pelas janelas de sua alma, rica de sensibilidade.

PELO RALO / Ítalo Anderson

Um livro de poemas, de histórias escondidas em seus versos, um livro de amor entre a escrita e a leitura, o autor e o leitor, a vida e a alegria. Em tom jocoso, Ítalo Anderson convida-nos a um passeio por nós mesmos, para explorarmos nossos amores antigos e recentes, viagens, dúvidas, receios, o vir-a-ser.

PENSAMENTO EM POESIAS / Lilia Iasi

Neste livro de poesias, a autora intercala as mais românticas com outras filosóficas e de pensamento revelando o seu lado artístico e de muita inspiração. Trata-se de uma coletânea  da Literatura Poética, tão esquecida, nos tempos modernos. Lilia Iasi já tem publicado alguns livros, como Personalidade, Em Busca do Equilíbrio, Ser Mulher. Ultimamente, tem se dedicado a escrever poesias e livros infantis. Sendo pianista e compositora, também musicaliza suas letras e cria novas melodias.

PENSAMENTOS EM VERSOS, POESIAS EM CANTOS - VOLUME 1 / Délcio Araujo do Valle

Sempre amei as poesias. Desde muito novo eu queria ser poeta, mas faltava algo para que isso acontecesse. Uma necessidade, uma fonte de inspiração. Busquei várias fontes. Falar da natureza, de um amor perdido, de uma paixão não correspondida... Ser retórico como um poeta nordestino, enciclopédico como Chico Buarque, lírico como Vinicius de Moraes, irônico como Quintara, nacionalista como Mário de Andrade, erótico e modernista como Drummond.

PENSANDO EM NÓS / Márcia Clarindo

Márcia transporta suas características pessoais para o seu livro. É objetiva, realista, clara, verdadeira e amiga. De sensibilidade e gosto apurados, utiliza em seu discurso o belo e o simples – como estilo pessoal, em contraste ao estilo complexo e simbólico. Inclina-se, assim, a trocar o romântico pelo prático, a fantasia pela realidade e mantém a beleza, acompanhada de segurança e firmeza.

PEQUENICES / Victor Pereira (Região Sul)

Pequenices é um livro onde a poesia caracteriza-se pela importância dada à palavra, muito no seu valor imagético. São poemas geralmente curtos e aparentemente simples, mas de grande densidade, que privilegiam a plenitude dos sentidos e da vida através daquilo que muitas vezes tratamos como insignificante. Pequenices traz uma poesia portadora de uma inquietante modernidade.

PERAMBULANDOANDO / L. Fernando

Perambulandoando vem a ser o segundo livro de poesias do autor, que retornou à São Paulo em 2006, após viver seis anos no Rio de Janeiro e pretende  no escuro do futuro rumar para o Nordeste. Esta obra registra a presença do flâneur nas questões e feridas do viver urbano,sob um olhar que enxerga e vê um ambiente antropofágico, a preocupar pela crescente ausência da percepção do outro.

PIÃO RONCADOR / Lourdes De Vita

Roda roda meu pião, roda aqui na minha mão, se você cair no chão, vou lhe dar um beliscão, você ronca forte, ronca mais que o Seu Mané, que dorme de boca aberta e assusta sua mulher.

POEMA DEITADO NO SEU PEITO, UM JOGO DE AMARELINHA / Ana Cristina Costa Siqueira

Poema deitado no seu peito, é uma coletânea de três décadas de poemas que não se fecham como uma trilogia, mas com certo encadeamento ou plexo entre suas “nervuras” certamente desdobráveis, sendo poema e crônica, velozes e multiplicadoras, como são as ideias neste terceiro milênio.

POEMAS / Elias Kallás

Poesia é a forma literária que melhor expressa as nossas emoções. Quando lemos cada poema esvaziamos sua autoria para assumirmos o papel do autor, e assim o que lhe vai no íntimo, projetando os nossos próprios sentimentos. Neste contexto a leitura age como verdadeira terapia para solução das nossas ansiedades, ao mesmo tempo em que o sentido lírico das trovas e dos versos nos proporciona momentos de conforto, alegria e paz. Ao folhear estas breves páginas o leitor se encontrará.

POEMAS / Maria Eduarda Caetano Vargas

Sentimentos de menina, divagando em emoções. Pensamentos espontâneos, inspirados em canções. Este livro é fruto das vivências juvenis de Maria Eduarda. Sem compromisso com formas poéticas preestabelecidas, ela brinca com as palavras e com os significados, e expressa os seus pensamentos e a sua leitura de mundo em versos.

POEMAS DE GAIA / Denise Martins

Poemas sobre temas diversos. Denise Martins, formada em Biologia pela Universidade São Judas Tadeu (USJT), pós-graduou-se em Educação Científica pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP) com extensões nas áreas da saúde, química e astronomia. Fez artes plásticas em ateliê livre e é professora da rede pública de ensino. Participou de exposições de artistas plásticos da subprefeitura do bairro Cidade Adhemar, em São Paulo (SP). Seus desenhos estão disponíveis no Facebook (Denise Martins & Desenhos).

POEMAS DIVERSOS II / Lenir de Andrade

A literatura, segundo Antonio Candido, com todo o respeito, tem três funções importantes a considerar: psicológica, educativa e social. E esta obra procura abranger todas elas, como também uma função religiosa baseada no nosso cotidiano. Seu conteúdo é inteiramente a poesia fundamentada numa vida simples, sertaneja, que a autora vivera em grande parte da sua vida, no interior.

POEMAS DO AMOR A PAZ / Marizia Cezar

Transdisciplinaridade representa para mim TRANS SÍNTESE nesta apresentação holopraxis: A Palavra no cotidiano como energia interior e exterior, através de POESIA E CABALA, a permear e ultrapassar os conteúdos de cada síntese sob a experiência do mergulho no espaço cosmo oceânico de sinais simbólicos do alfabeto à composição da capa do livro com as folhas de Aroeira para o desejo ser realizado.

POEMAS E FORMAS / Carlos Alberto Fiore

No livro Poemas e Formas, Carlos Alberto Fiore expõe seu trabalho de maneira diversificada para que o leitor tenha contato com as mais variadas possibilidades de se compor um texto poético. Quem nunca tentou escrever um poema, seja para a pessoa amada ou apenas como um trabalho de escola? Muitos, talvez pela falta de conhecimento técnico, certamente esbarraram na dificuldade de definir a forma, o que é algo normal para quem nunca estudou poesia ou versificação.

POEMAS EM ORAÇÃO / Fernanda Duarte Gonçalves

POEMAS EM ORAÇÂO - o livro é um conjunto de poemas de tema religioso. Fala de fé, confiança, paz, buscando e estabelecendo um contato com Deus para nEle encontrar força e esperança.

POEMAS INSIGNIFICANTES / Rubens Bonatelli Moni

Em Poemas inSignificantes, “que de insignificantes não têm nada”, Rubens Bonatelli Moni “desvendou aqueles seus sentimentos que dão valor à sua vida. Explorou aspectos e perspectivas do seu mundo”, os quais apresenta nesta segunda edição da obra, publicada inicialmente em 2009 e já há algum tempo esgotada.

POEMAS NA NOITE / Eliana Calixto

O livro de poemas “Poemas na Noite” de Eliana Calixto, trabalha com a poesia de forma leve, com temas variados, tais como: Mar, Flores, Lua, Morte, Natal, A chegada da cegonha, etc. Apresenta estilos diversos como: Soneto, Rondel, Indriso, Cordel e Versos livres. Cada parte do livro aborda um tema e traz um pensamento de personalidades ilustres e imortais, como Mario Quintana, Sócrates, Voltaire, Shakespeare, entre outros.

POEMAS REUNIDOS / L. C. BIDO

Reunião de poemas do autor, anteriormente publicados em midia eletrônica. Este livro é uma comemoração dos meus 50 anos e reúne poemas escritos nesse período. Logo se vê que, se eu mantiver essa periodicidade, será uma obra única... Não que me falte poesia na vida, não é isso. Nem que seja minha escrita bissexta. Mas tenho usado meu tempo também a escrever outros gêneros.

POESIA COMBINA COM TUDO / Zélia Guardiano

Em Poesia Combina Com Tudo, a autora captura fragmentos do cotidiano e faz delas matéria-prima para uma obra rica em detalhes, com referencias literárias, cinematográficas, musicais, entre outras, criando uma atmosfera de permanente dinamismo. O sentido do tempo guarda um profundo apelo à memória, tratando dum passado que se reconstrói e dum presente que se esvai enquanto vivido.

POESIA DE UMA MULHER COMUM / Neuzi Barbarini

Temos aqui um livro feito de cotidiano, dessas coisas corriqueiras e aparentemente irrelevantes da vida que constituem o passar dos dias. São poemas das ruas, das feiras, das dores e alegrias, dos dias de sol e sem sol, do gosto do café, das miudezas do mundo. Se apropriam do monótono cotidiano para estranhá-lo, brincando com seus sentidos aparentemente banais.

POESIA EM TRÊS TEMPOS / Fernando B. S. Vieira / Guilherme Makoto Miyazono / Yoko Miyazono

Livro de poemas escrito a seis mãos. Uma mulher madura, seu jovem filho e o amigo do filho. Três momentos. Três visões sobre os mesmos temas: Amor e Saudade. Da mesma forma, quando ouço uma música, quando leio uma frase, quando vejo uma foto que me atingem certeiramente, pergunto-me: como não fui eu que fiz? Não recebi o dom de Milton nem de outros que lidam com a paixão pela palavra, pelos sons e cores e ângulos para expressar a emoção...

POESIA ENTRE GOLES / Alfredo Assumpção

Poesia Entre Goles” é o 5º livro de poesia do executivo Alfredo Assumpção. Através de versos delicados, o autor transmite as diferentes fases da sua vida através de versos quase musicados. São poemas escritos ao longo dos 62 anos de vida do Lé, como é conhecido por seus amigos, e é dedicado a todos os boêmios, escritores, poetas, seresteiros, músicos, compositores e à mulher, sua maior fonte de inspiração.

 

POESIA, PROSA E VERSOS / Donato Rispoli Borges

Escrevi certa vez que a literatura poética brasileira estava enriquecida com a série contida no livro "poemas da adolescência", do augusto portugal. Agora, tenho satisfação de afirmar que o mesmo enriquecimento, ocorre com o lançamento de “Poesia, Prosa e Versos”, coletânea perpetrada pelo poeta e prosador Donato Rispoli Borges. Todas as peças poéticas que compõem o magnífico livro são impecáveis e dignas de louvor, principalmente as dedicadas a seu progenitor e a Ana Braga.

POESIAS APAIXONADAS PARA UM MUNDO SUTIL / Luamor

A obra que constitui este livro é amorosa e comovente. São poemas onde a emoção e o lirismo falam em união. Com teor requintados à flor da pele, dos seus significados. Seus versos nos enlaçam, adentrando nas almas amantes da poesia. Neste  trabalho Luamor nos diz, que todas as forças Divinas deste mundo como: Céu, mar, estrela, lua... Quando juntas, geram a paixão aos corações das pessoas.

POESIAS DE NATAL TRADUZIDAS / Ana Paula Lemos Pinheiro

Livro bilíngue nos idiomas Português e Inglês. Todas as poesias tanto em Português quanto em Inglês foram criadas, escritas e traduzidas (para o inglês) pela própria autora. O tema é Natalino. O conteúdo do livro (exceto Préfácio da Autora em ambos idiomas ) foi dividido em três partes.

POESIAS E CONTOS DE MINHA TERRA / Benedito Paes

Caros leitores: Após sete anos de haver publicado aquele livrinho de poesias românticas – Depois serei feliz – volto ao público com mais este de poesias e contos. Este livro poderia ter sido publicado há mais de trinta anos, mas, por causa da minha pobreza e do descaso do governo de nosso país, só agora ele está sendo editado.

POESIAS EPIFÂNICAS / Francisco Epifânio Ferreira

Conheci o Epifânio em um dia de muito calor! [...] Laços de amizade estabelecidos, começamos a conversar com mais frequência sobre seus poemas. Como ele se inspirava, quando escrevia, onde registrava e quantos eram os poemas, se havia incentivo por parte da família, amigos, etc. Em uma destas conversas descobri que seu maior sonho era publicar um livro, mas ele não tinha a menor noção do processo e dos custos envolvidos e achava que seria difícil realizar esse sonho.

POESIAS QUÂNTICAS E OUTRAS / Péricles Alves de Almeida

Ao coletar os poemas quânticos e outros que veio a escrever, Péricles Alves tenta contrapor corpo e alma – em seus amores, paixões, desilusões e inseguranças de uma breve existência. Alguns dos poemas são surreais, na tentativa de exprimir os anseios ou a tresloucura  de quem vê o mundo como uma brevidade, buscando contemplar, embora aprisionado no invólucro carnal, o vasto de infinitas possibilidades quânticas. O corpo possui a alma, ou a alma possui o corpo?

POESIAS SIMPLESMENTE / Lourdes De Vita

Eu era uma jovem senhora quando despertou em mim o dom da escrita. Foi como uma explosão, minha mente buscava ideias no subconsciente, formando estórias e poesias. Sou membro da Academia Popular de Letras de São Caetano do Sul e participo de vários grupos de escritores, onde o tema principal em todas as reuniões é a escrita. Participei de vários concursos literários, tendo sido premiada pela Academia de Letras de  São Paulo.

POETAR É PRECISO / Márcia Cristina Lio Magalhães

Márcia Cristina Lio Magalhães começou a escrever o livro em meados de julho de 2009, após inaugurar um blog na internet. Como várias pessoas acessavam o blog e perguntavam se possuía alguma obra já publicada - e a resposta era não - Márcia ponderou a possibilidade - na época, remota - de vir a publicar um livro. O sonho é antigo: desde a infância queria ser escritora. Fez teatro amador em MG, curso de teatro em SP, embora nunca tenha estudado nada relativo à escrita da língua portuguesa.

POETICALMAMENTE / Helenice Priedols

A intenção deste livro é repartir essas sensações com os leitores e trazer o virtual para o concreto do papel. Uma nova experiência, uma nova fase. Se com palavras puder contribuir para que este mundo tenha mais paz e os homens tenham mais luz, terei sido de alguma valia para o universo. Tenho guardado em mim o sentimento profundo de que somente a poesia pode salvar o mundo. Helenice Priedols e Souza nasceu em São Paulo, em 1957. Vive atualmente em Vinhedo, no interior paulista, com a família.

POETIZANDO AOS 70 / Lúcia Vasconcelos

Trata-se de poemas com vários temas e significados. São versos simples e repletos de emoção. A autora fala de amor, amizade, família, saudade. Em diversas formas a natureza também está presente em sua obra. Gosto de poesia, de me sentir alegre, feliz! Ah, quem não gosta desse sentimento, dessa sensação de felicidade? Sei de pessoas que só se sentem felizes se acontece algo muito importante, grandioso!

POLIFONIA DO SILÊNCIO / Neurivan Sousa

Polifonia do silêncio é um desses livros que logo na primeira página faz o leitor cativo do prazer de lê-lo. É um verdadeiro leque de variedades poéticas que aguçam os sentidos, dando a quem o lê a sensação de que ele próprio é o poeta. Como na vida, o tema amor tem seu lugar de destaque, vai e vem é reverenciado com a grandeza que lhe é imanente.

POR AQUI SE VAI PARA LÁ / Pilar Conde

Indagar sobre o sentido da vida é a reflexão que Pilar Conde nos apresenta em suas primeiras manifestações poéticas aqui reunidas. Produzidas no período de quatro anos, entre 1965 e 1969, correspondem à sensibilidade dos seus quinze anos. Escritos com a liberdade da experimentação, seus versos livres ou rimados, outrora dispersos em papéis e guardados, mantêm o frescor da iniciação.

PORTAS, ANJOS, BALAIOS E AMOR SEM FIM / Airton Baptista

Airton Baptista nasceu na cidade de São Paulo, em 1953. Passou a melhor infância no Alto do Ipiranga, entre amigos inesquecíveis. Desde muito cedo percebeu que a leitura seria sempre um prazer. Descobriu que através dela poderia melhorar não só a própria vida, mas também a de sua irmã, para a qual lia compulsivamente as histórias fantásticas de uma coleção de livros infantis.

PORTOS, OLHARES E AUSÊNCIAS.../ Mário Massari

Com identidade literária própria, sempre associada ao peculiar lirismo, Mário Massari lança seu olhar atento e crítico,  de poeta que conhece o ofício, sobre temas distintos e faz jorrar, em abumdância, poemas de genuína inspiração e labor criativo. O resultado é um livro agradável e belissímo, que nos faz sentir e refletir, e que não pode faltar na biblioteca dos amantes da boa poesia.

PRENÚNCIO DE PAZ / Marcos Antonio Gonzales

A poesia é na verdade, como um calmante emocional, um anestésico para a alma, ou um sedativo aos efeitos das crueldades do mundo. O certo é que se as pessoas admirassem mais a poesia, certamente haveria menos violência... Pois um poema tem sempre sintomas de ternura e paz, tanto para quem o escreve, como para quem sabe apreciar uma boa poesia falada ou escrita.

PRIMEIRO LIVRO DO TABACO / Tabaco

Prezado leitor amigo. Este livro é resultado de anos de reflexão e pensamentos de André "Tabaco" Lisboa. Não me recordo de quando iniciei, nem tenho planos de parar de escrever, logo, este material é falho, como toda obra humana. O meu objetivo é apenas retratar e registrar um pouco do que sinto, penso, vivo...

PRISIONEIRO / Nêodo Ambrósio de Castro

Inúmeros mestres da literatura tentam definir o poeta em suas obras. Para este grande intérprete, acho que ainda não encontraram uma definição que fosse perfeita. O poeta é aquele ser que finge tão bem que empresta seus sentimentos às suas poesias. Fazendo isso, o poeta tem a propriedade de sofrer e viver a sua personagem. Os poetas escrevem verdades, é claro, mas as escrevem como se estivessem observando e descrevendo, não sentindo de fato tudo o que conseguem escrever.

PROFISSÃO DE FÉ / Dr. Rufino

O título do livro é simbólico: “Profissão de Fé”. Estão entrecruzadas as dimensões do autor: profissional da medicina, homem de crença e devoto da poesia. O cuidado com o corpo, o cuidado com a alma, o cuidado com a sensibilidade. Uma profissão de fé em três estados. A tríplice aliança que faz a razão de ser de sua dimensão pessoal. O livro que aqui se oferece à leitura contém a reunião de 24 poemas. Cada poema traz como título e sentido uma frase da oração do “Credo”, do catecismo católico.

PSYCHE EM VERSOS / Renata Crivelaro

Psyche em versos é um conjunto de poesias que refletem os sentimentos humanos mais profundos. Aborda temas como o amor, a morte, o arrependimento, um novo olhar para a vida, padrões sociais e morais. Expõe nossos desejos mais íntimos, conflitos e dualidades presentes em todos os seres humanos. Mais do que uma obra poética, é um convite a uma reflexão diferenciada sobre os aspectos da vida.

QUADRA DO QUADRADO QUADRICULADO / Rui Sève de Samarcos Lora

“Da quadra da vida espero somente alegria e como Rigoletto que sou às vezes penso se eu sou você, mas sei que você sou eu. Então, eu queria... ah, vamos ver? Pura agonia essa mania de ser e sentir-se metade. Vidas, verdadeiras carroças sem cavalos, faz desta a melhor das épocas onde este pode ser um dos muitos poemas de uma letra só.

QUADRO NA PAREDE / Kolemar Rios

Quadro na parede, livro de estreia de Kolemar Rios, revela o olhar inquietante de alguém que busca retratar a felicidade em diferentes ângulos, ora com imagens perturbadoras do inalcançável, ora como se ela fosse um brinquedo permitido em um mundo de faz de conta.

QUANDO O AMOR ACONTECE I / Paulo Barbosa

Os antigos e mais experientes sempre diziam que em nossa passagem por esta vida teríamos que escrever um livro, plantar uma árvore e fazer um filho – e isso eu fiz bem: tenho três filhos, sendo duas gêmeas, e Deus me deu também uma neta, que é a filha mais nova e talvez a mais querida de todas (sem ciúme, hein gente?!).

RACIONALIZANDO / Jorge Barbosa

O amor é assim, invisível, e com o tempo numa janela à noite, mostra que esperança há. Só assim com um sorriso especial que numa tarde de uma noite estrelada acontece à luz da poesia, com luzes de todos, nos sonhos da incerteza que vimos a construção de um mundo novo na terra prometida.

RALI DA VIDA / Cid Tomanik

As poesias reunidas nesta obra podem ser consideradas como "crônicas poéticas", pois trato do cotidiano vivido por mim e por outrem "o dia a dia"em diversas circunstâncias e ocasiões. É uma narrativa poética, utilizando-se versos heterométricos pós-modernista ou contemporânea.

RASCUNHO DE UMA VIDA / Jorge Davim

Rascunho de uma vida é o primeiro livro de poesias de Jorge Davim, que estreou na literatura em 2010 com o romance Escutei na Feira. Falando de temas diversos, como família, reminiscências, amor e paixão, morte e perda, injustiça social e reflexões filosóficas. Ao contrário do que o título faz crer, esta obra de Davim nada tem de esboço, muito menos reflete qualquer insegurança própria como aqueles que se aventuram pela primeira vez em terreno desconhecido.

REALIDADES INCONCILIÁVEIS / Isadora Kohatsu

A realidade que vivemos pode não ser aquela que almejamos ou por qual esperávamos. Ainda assim, nossas múltiplas realidades se entrelaçam todos os dias, tecendo um emaranhado de experiências e emoções entre todos. O homem carrega seus instintos e se empenha para mudar constantemente sua realidade e ser melhor. Porém, tornar-se melhor nem sempre significa, para o  homem, ser mais humano. Em meio ao caos, altruístas se esforçam para mudar o mundo. Sabem que não é tarde, que ainda se pode fazer muito.

RECADOS RIMADOS / Maria Francisca C. Motta

Recados Rimados - Para ti, ser Amor, mira a pessoa que quer ser enxergada e cuidada, ao mesmo tempo em que quer reconhecer em si a força que tem. Num mundo onde as pessoas, de modo geral, têm andado ocupadas com mil coisas ao redor de si, acreditando que os recursos de que necessitam para bem viver são encontrados no mundo exterior, é válido e muito importante analisar as próprias concepções e experiências.

REFLEXÕES E PENSAMENTOS POÉTICOS / Newton Nazareth

Numa frase se exprime um pensamento... Num parágrafo se faz uma comunicação formal... Numa página se narra um fato... Num livro se mostra o ego e tudo que está latente no seu interior. E foi assim, aos poucos fui construindo este simples projeto, colocando cada dia uma ideia no papel, como se fosse o assentamento de um tijolinho numa construção.

REFLEXOS DA VIDA / Francisco Dourival Pereira

Ao percorrer as linhas das poesias deste livro, veremos que o autor nos relata os sentimentos humanos dentro do contexto da relação familiar, da natureza, do trabalho e da sociedade. Não se trata apenas de colocação das palavras na forma de arte, de poesias soltas, mas do retrato de sentimentos, expectativas, alegrias, agradecimentos e, acima de tudo, de uma profunda relação entre o ontem, o hoje e o amanhã, o ser individual e o social, a origem e o fim.

REFRATÁRIO / Maraíza Labanca (Região Sudeste)

Refratário às sínteses e às explicações, o primeiro livro de poemas de Maraíza Labanca, feito já de poucas palavras, assedia alguns pontos em especial: as modulações dos nomes, o risco e o fascínio da palavra não-comunicante. Circunscreve um campo capaz de soldar precariamente tudo aquilo que se rasga sendo ainda o que era antes.

RELATOS, EXTRATOS, POESIAS / Pedro Resende

A obra concatena passagens e leituras sobre as relações humanas, na mais abrangente dimensão. Com um olhar subjetivo, o autor discorre sobre o aprendizado do homem, seja no contexto individual ou coletivo, a partir de sua co-dependência interacionista junto aos fenômenos sociais.

 

RES / Herbert Emanuel

Benedito Nunes, em introdução ao excelente Poesia-Experiência de Mário Faustino, afirma que “linguagem eficaz é a que não distrai do significado”, a que é “precisa ainda quando nos fala do impreciso”. Nestes 12 poemas-escultura do poeta-filósofo Herbert Emanuel, cada palavra eleita para significar o real é meticulosamente escolhida, arduamente trabalhada para tirar dos versos a possibilidade de com pouco dizer muito.

RESÍDUOS DA ALMA / Simei Natércia

LULU
Logo ao te ver
Uma princesa amei
Interpretei mil histórias
Sobre o teu ser
A cada hora

RESILIÊNCIA / C. T. Yossi

Resiliência, em Yossi, é loucura, vida, morte, ressurreição, o amor, a espiritualidade, o social e uma pitada de humor.

RESPEITE A SOLIDÃO ALHEIA / Kaio Bruno Dias

Respeite a solidão alheia, e todo o silêncio, da mesma forma respeite; o excesso, o motivo, o momento, o outro. Respeite os calafrios, a sua ansiedade, respeite as partidas, as tensões, distrações, a vida acumulada. Respeite a distância, os afagos, a brisa, o final não esperado.

RETALHOS AO RELENTO / Érico Marin

Desde que Érico é Marin e escreve poesia, sua caneta rasga o verbo e seu verso revela as vísceras de uma alma pra lá de sensível. O conteúdo de sua arte é contundente e as palavras plasticamente afiadas. Lembro dos seus rascunhos púberes e da professora de literatura do cursinho boquiaberta com sua precocidade. Para Érico, o verbo e o verso são velhos amigos mágicos que transformam a ferida em flor e a navalha em pincel.

RETALHOS DA VIDA / Regina Celi Simões Angelo

A vida de cada um e de todos nós é como colcha de retalhos; como veste de palhaços mesmo roupa de espantalhos! Retalhos multicoloridos, multifacetados até estampados. Nenhuma vida só de branco se veste nem de puro ébano se tece num fio feito de aço, que nunca se interrompa... Assim, os retalhos de nossos sentimentos. Ora vermelhos, ora cinzentos; azuis, alguns julgamentos; outros, densos retalhos de lã... Somos revestidos desses retalhos, novos ou velhos, alegres ou tristes. Bem ou mal costurada, sua vida em versos vai aqui representada, nesses retalhos de poesia.

RETALHOS DE UMA VIDA / Veraiz Souza

Livro de poesias onde a autora relata em versos seus sonhos: realizados, vividos e ou imaginários. Onde relata parte de sua vida entre sonhos e realidade. Levando o leitor a se emocionar e sonhar com a leitura agradável dos textos.

 

REVERSO DOS MEUS VERSOS / Guaracy de Souza Sampaio

Quando nossos olhares certo dia se cruzaram no ar como raios faiscantes em plena escuridão... Imaginei que pudesse ser o amor... Quando lhe perguntei se estava sozinha, timidamente você me respondeu: “Quem anda com Deus, nunca está sozinha”. Nessa hora tive certeza da pureza de sua alma. Quando falei com você durante nosso primeiro encontro, minha alma parecia ouvir sua voz responder como alguém falando ao interfone: — “É o amor. Tem alguém em casa?” Fingindo não ter entendido direito, solicitei que você repetisse... Diversas vezes.

RITO PARA RESSUSCITAR UM ELEFANTE / Marcílio Farias

Rito Para Ressuscitar um Elefante é como se fosse sua própria ressurreição como poeta imenso que é, paquidérmico em qualidade, mas escondido na humildade de quem, por não vestir mantos de vaidade, hesita em mostrar ao mundo o que tem. Finalmente, depois de insistentes apelos de amigos, Marcílio Farias, esse gigante das palavras manipuláveis, traz ao público brasileiro um pouco do que tem escrito. Um começo que espero se mostre paulatino na inteireza que merece e faz merecer o prazer de quem o lê.

ROSA-DOS-VENTOS / Iná Brasílio de Siqueira

"Rosa-dos-Ventos... A Poesia que o Tempo traz" é uma coletânea de poesias cuja temática é universal e humana. Repleto de emoções, pode ser traduzido para quaiquer idiomas e interpretado, porque trata de sensibilidade. É um olhar lançado sobre o Tempo, a Sociedade, o País, os dias em que vivemos.

ROTINAS E SURPRESAS / Mirian Menezes de Oliveira

Rotinas e Surpresas: espirais de vida foi concebido em Kairós... nas rotinas surpreendentes oferecidas pela vida... nos momentos reflexivos, proporcionados pelo “ócio criativo”. O ambiente fértil para as inspirações, em versos e imagens, foi o litoral norte de São Paulo (local simples e belo... repleto de encantos). Embora não seja fotógrafa profissional, tenho me aventurado com as lentes, observando cenas do cotidiano e preciosidades da natureza, coexistentes com a urbanidade.

RUA ALFAZEMA / Chaguinha do Biá

O livro Rua Alfazema João Paulo II faz parte da coletânea do poeta Chaguinha do Biá, que tem como finalidade não só contribuir para uma nova experiência literária, mas também cultivar leitores engajados com o meio ambiente. Assim, foram selecionados contos de assuntos semelhantes para refletir em uma leitura mais agradável e entusiasmada.

RUA QUATRO JORGE TEIXEIRA IV / Chaguinha do Biá

Neste novo livro, Rua Quatro Jorge Teixeira IV, o poeta Chaguinha do Biá apresenta, a seus leitores, textos que valorizam a nossa querida Floresta Equatorial, também chamada de “Pulmão Verde”, para que, através destas novas aventuras literárias, descubram na poesia uma forma de se expressar livremente e, ao mesmo tempo, fazer um grito de alerta contra a destruição do meio em que vivemos.

S.O.S. PÁRA O MUNDO QUE EU QUERO DESCER / Moacyr Medeiros Alves

Diz a sabedoria popular: “De poeta e de louco todos nós temos um pouco". E este desprentensioso opúsculo é produto das duas anomalias salientadas nesse pequeno adágio que, desde tempos imemoriais, acometem o ser humano.

SANTARÉM - A PÉROLA DO RIO TAPAJÓS / Chaguinha do Biá

Este livro de poesia, intitulado Santarém – A pérola do rio Tapajós, foi escrito em versos e faz parte da obra do poeta Chaguinha do Biá. Apresenta cinquenta poesias elaboradas com simplicidade, mas contendo pequenos episódios da realidade que vivenciamos em viagens feitas a cidade de Santarém. Por isso, ele é dedicado com muito carinho a vocês, amigos leitores de todo o estado do Pará que estão engajados na preservação do nosso meio-ambiente.

 

SAUDADE DA LIRA ANTIGA / Marcos Satoru Kawanami

Vencedor da Categoria Poesias do VIII Prêmio Literário Livraria Asabeça 2009 - Por Que o Mundo Existe? Se Deus permite o mal, há um motivo, que é transformá-lo em bem - só pode ser -; eis a razão do nosso padecer nas garras do pecado assim cativos. Vivia o pai Adão como um nativo silvícola tupi, a bem dizer; e o pranto lhe foi dado conhecer, a fim de o júbilo sentir mais vivo.

SAUDADE SERTANEJA / Maurício Pereira da Silva

DE POETA PARA POETA - Palavras não me faltam ao falar do Poeta Maurício Pereira da Silva. Uma pessoa humilde de coração e imenso de concepção. Tudo isso, percebe-se em suas obras. Saudade Sertaneja é única: Poesia vinda d'alma. Exposta de uma forma simples e com bastante coerência. Outra qualidade do autor. Lendo Saudade Sertaneja, viajei pelo passado, presente e futuro.

SAUDADES DE NÍSIA - UM CADERNO DE MÚSICA E POESIA / Eduardo Torres Cordeiro
Anauê, Papary! Xe a-aussuba nde porangaba – assim diria o Abaeté se ainda por ali vivesse. Mas, tudo isso são detalhes que a tudo enfeitavam. Mais lindos são os momentos de amor que, ainda hoje, guardo e vivo no meu coração – banho de bica, violão na praça, estudar e, tempos depois, lecionar no Yayá. Minha terra tem lagoa pra danado – vender pastel; meu pai e meus irmãos pescar; fazer xixi no chão pra não queimar os pés – são vinte e sete recantos tropicais.
SAUDADES DE VOCÊ / Antônio Galdino

O trabalho literário aqui apresentado foi estruturado de forma que o leitor, ao tomar parte na sua leitura, possa adentrar na intimidade da sensibilidade do autor, pois a modalidade escolhida pelo escritor foi o verso, e em especial o gênero lírico, em que os seus sentimentos de poeta são verbalizados e escritos para causar emoção no leitor. Mesmo que as mensagens não estejam tão claras em seus versos, o leitor tem total liberdade para fazer uso do seu eu poético e, assim, descobrir nas entrelinhas as evidências do texto.

SEGREDOS DE MENINA / Cristiane Tiemi Tomizuka

Segredos de menina é um livro de poesias que possui como inspiração os fatos do cotidiano, os romances da adolescência, o amor platônico, as amizades do dia a dia e as indagações sobre a vida.

SEM A SOMBRA DE UM GUARDA-CHUVA / João Augusto

Volto a me encontrar com a poesia do João Augusto, neste Sem a sombra de um guarda-chuva, e é um reencontro prazeroso. Suas metáforas continuam insólitas, chegando em muitos poemas a beirar o Surrealismo de forma natural, como uma necessidade de sua poesia. Caso, por exemplo, do verso “É reduzir o tempo e redobrar as roupas”, de seu poema Realinhamento. Não se deve esquecer que literatura não é comunicação, mas expressão.

SEM FILTRO NA VEIA / Ludmila Clio / Natássya Carvalho

A definição de Sem Filtro na Veia confunde-se entre ser um livro de poesias com fotografias ou em ser um álbum de fotografias com poesias. É a fusão das paixões de suas autoras: Ludmila Clio com a poesia e Natássya Carvalho com a fotografia.

SEM PONTO / Manoel Ianzer

Gramaticamente falando, um ponto é algo que determina o que devemos sentir: entusiasmo, espanto, dúvida, questionamento, certeza, fim. Metaforizando, na vida nos deparamos com vários pontos. Exclamamos como reação ao encontrar um velho amigo, ao realizar algum sonho material, com a vitória do nosso time de futebol ou ao ver o rosto de nosso filho pela primeira vez. Interrogamos muitas vezes quando nos percebemos com problemas de saúde em familiares ou amigos;

SEM TÍTULO / Catharina França

“Não teme a solidão, ao contrário, com ela convive, dela se nutre em mergulhos profundos expressos em belos versos. Não se rende ao pecado, palavra de conteúdo proibitivo, punitivo, oriunda das cavernas do Superego. Sua poesia é solta, autônoma e autêntica, não se subordina aos ditames das regras. De quando em vez é ancestral, desnudando véus do inconsciente.

SEMBLINDAGEM / Orlando Pimentel

O livro reúne alguns poemas do” blog” do autor intitulado “semblindagemblogspot.com.br”. Está dividido em três partes. A primeira, denominada BARRA, trata das coisas da  cidade Barra do Piraí-RJ. Coisas da infância, da adolescência, da juventude e da maturidade do autor. Da segunda parte, “MISCELÂNEA”, constam poemas diversos, e o autor, em alguns textos, se traveste, pois foi a maneira mais apropriada encontrada para falar das coisas da alma feminina.

SEMEADURAS / Hildette Rangel Enger

A poeta Hildette Rangel Enger é daquelas pessoas cúmplices com as coisas. Cúmplice com a vida, com os amigos, com a família, com a sua poesia. A poesia veio consigo desde a Bahia, tendo por inspiração o mar de Caymmi e a eloquência dos filmes baianos Multimundi de Glauber. Por fim, alimenta-se também da ligação que criou entre Europa e Brasil (São Paulo, Bahia e Suécia, em particular).

SEMPRE COM DEUS / Sandro Aparecido Nunes

O livro é composto por quatro capítulos onipresença, onipotência, oniciência e inspirações, as três primeiras partes tem a intenção de trazer segurança aos leitores em assegurar que Deus está conosco em todos os momentos de nossa eterna existência. Já em inspirações as preces e poesias procuram agradecer e louvar nosso Pai de bondade e que sempre estará a nos proteger, quando acertarmos e errarmos. Sempre, sempre estaremos sob as asas de nosso Pai Maior, Deus.

 

SENTIDOS POÉTICOS E ALGUMAS HISTÓRIAS / Marcelo Canto

Sentidos Poéticos e Algumas Histórias é um livro carregado de emoção. Coisas do coração, a retratação do humano, puros sentimentos, enfim, temáticas psicológicas são abordadas nas páginas lidas. Do início ao fim da obra, nota-se o desejo e a preocupação do autor em transmitir mensagens baseadas em determinadas crenças e filosofias de vida. A construção do poema é, muitas vezes, em versos livres, mas o autor também prima pela elaboração poética formal.

SENTIMENTOS AO VENTO / Jorge Alexandre Machado

A poesia é uma forma de expressão que, por sua natureza, busca nos sentimentos a maneira de se manifestar e tudo isso no ritmo compatível com as emoções experimentadas. Este livro reúne poesias que buscam capturar os diversos estados de espírito que as pessoas invariavelmente vivenciam como a angústia, o amor, a indignação, a alegria, a tristeza, a raiva, a felicidade, o encantamento, a desilusão, além de revelar conflitos interiores, de identidade ou de realidade.

SENTIMENTOS AO VENTO / Regina Roppa

Sentimentos ao Vento, segundo livro publicado de Regina Roppa, o primeiro de poesia, reúne alguns de seus textos que partilha com o desejo de que a cada dia todos nós renovemos nossas vidas em busca da leveza e da beleza do viver. “São sentimentos, emoções, sonhos traduzidos, ousadamente, em palavras que fluem no desvelamento do viver.”

SENTIMENTOS MEUS / Lena Fortunato

O livro "Sentimentos Meus", da autora Lena Fortunato, é uma obra que aproxima poesia e vida, pelo tom de conversa íntima e de quase confissão pessoal,  que se torna perceptível através da magia que emana no decorrer da leitura.

SENTINELA DO NADA / WF Morales

Foi em 1995 que aprendi o gosto pela poesia, pelas mãos e as palavras de minha professora de português da oitava série, Maria Terezinha de Vasconcellos Longo. Os primeiros versos, ainda lembro, eram sobre a minha primeira decepção amorosa, coisa de adolescente de 13 para 14 anos. Nessas descobertas e redescobertas da vida a poesia se mostrou fundamental para expressar meus sentimentos.

SILÊNCIO! ALGUÉM QUER FALAR / Paulo Sérgio Marques (Folha De Papel)

Tudo começa aos 16 anos de idade. Como de costume chegava sempre mais cedo ao colégio, e nessa espera até que os portões se abrissem eu ficava ao lado de outro portão; gostava de ver aquelas flores e cruzes. Enfim estava de frente de um dos portões do Cemitério da Quarta Parada localizada no bairro do Belém em São Paulo. Pois um certo dia de tardezinha passou dois coveiros perto de mim e me disseram: "é garoto amanhã bem cedo iremos cobrir mais um boneco de terra!!!"

SIMPLES ASSIM / Chagal

Simples Assim é um livro construído verso a verso, estrófe a estrófe ao longo últimos 35 anos de estrada do poeta Chagal; com certeza este livro contém o melhor que Chagal escreveu durante sua trajetoria poética. Chagal é dono de um estilo enxuto, visão direta e palpitante da realidade. Leva-nos através de uma linguagem fluente e técnica requintada a viajar pelo universo de sua inteligência e sensibilidade.

SIMPLESMENTE NAMORADA / Maurício Apolinário

Poemas de amor existem muitos. Folheando as páginas da literatura brasileira, encontramos poetas e poetisas a declarar seu amor a alguém, mesmo não sendo correspondidos. Mas aqui, neste livro, o leitor e a leitora encontrarão 51 poemas escritos e dedicados à mesma pessoa, que vão do primeiro encontro virtual – quando teve início o sonho de uma noite de inverno – ao casamento, no aprendizado do viver a dois.

SOB MEDIDA / Nilceu Francisco de Lima

Este livro destina-se especialmente a você que pretende ampliar seus conhecimentos literários e a todos que fazem da leitura o hábito mais prodigioso de um ser.  A obra foi escrita por um admirador da vida e da fertilidade amorosa, que consegue absorver uma gota de orvalho como se fosse uma fonte de água potável para saciar a sede e alimentar o amor.

SOLIDÃO / Maria de Fátima Sobral

Maria de Fátima concentra neste livro suas experiências de vida mais intensas, seus sentimentos mais secretos. Amante das artes literárias, fez do simples ato de escrever palco para expressar os sentimentos que colheu durante seus atuais 78 anos de vida. Isolou-se com seus pensamentos e os liberta agora em forma de poesia, simples e direta. Fez da rima companhia, fez da vida poesia, fez da prosa solidão.

SOMBRAS / José Márcio Pereira

Sombras conta o envolvimento de um jovem universitário, inexperiente no amor, com uma mulher casada, mãe de dois filhos, estudante concluinte de psicologia.  Carente de afeto, em decorrência do relacionamento amoroso frustrante com o marido, a mulher seduz o jovem, atraindo-o com suas armas femininas. A relação apaixonada, neurótica, trouxe sérios transtornos para o rapaz, desestruturando-o a tal ponto que este tem de submeter-se a tratamento e internação num hospital psiquiátrico.

SOMBRAS NO HORIZONTE / Neilde Alves

A beleza da vida resume-se em vivê-la sem maiores complicações. Os poemas deste livro procuram retratar o cotidiano de pessoas comuns, fatos que poderiam ter acontecido com qualquer um, na labuta para sobreviver em um mundo muitas vezes cruel e desumano.

SONETOS / Geraldo Altoé

Reuni neste livro alguns dos meus sonetos que nortearam meu amadurecimento como poeta sonetista nos últimos vinte e seis anos. Optei nessa fase pela fluência rítmica, ao invés do rigor clássico, coisa de modernista. Algumas vezes combino versos de métricas diferentes na tentativa de criar uma modalidade própria de soneto, não obstante, não ignoro a beleza dos alexandrinos e decassílabos.

SONETOS / Luciano Oliveira

Luciano Oliveira é consultor do Senado Federal, bacharel em Ciências Navais pela Escola Naval e bacharelando em Direito pela Universidade de Brasília. É professor de Direito Administrativo em cursos preparatórios para concursos públicos e possui livros publicados na área. Sonetos é a sua primeira obra do gênero literário.

SONHADEZ / Caroline Kalil

Sonhadez: estado de alma de quem sonha, e sonha bastante. São os sonhos que nos alimentam a alma e a esperança, que nos motivam na jornada inconstante e por vezes insegura que é viver e buscar felicidade. Essa é a temática que permeia os versos desta coletânea de poemas, tão delineados de amor, esperança, vontade de vencer, vontade do sonho, o sonho de amar, de colorir de aventura nosso universo particular, e também o medo, a insegurança e a frustração daquilo que não se pode alcançar senão através dos sonhos e da imaginação.

SONHO E ESPERANÇA / Antonio Izidorio

Sonho e Esperança é o segundo livro publicado de Antonio Izidorio. Com poemas de extrema sensibilidade e muita força expressiva (não é à toa que tem um blog chamado Sensíveis e Fortes), o autor faz uma minuciosa viagem sentimental, ora usando experiências e vivências próprias, ora usando as das pessoas que de alguma forma lhe serviram de fonte de inspiração, para ao final mostrar que o que nos move são o sonho e a esperança.

SOSSEGO / Viviane Anetti

Encaderno as percepções, os desenhos vívidos que se movimentam, corridos, nas folhas dos pensamentos. Mais uns capítulos, e acho que sou sábia... Um pequeno e profundo livro em prosa poética. Declaro meu amor às palavras.

SUAVE DELÍRIO / Conceição Esch

Ceiça convida você, a mergulhar no universo da poesia através dos seus delírios suaves retratados em textos fortes no resgate de um sonho adolescente. Conceição Esch, professora, decoradora, florista, escritora, poetisa. Através da poesia expressa seus sentimentos de uma forma leve em "Suave Delírio".

SUBSISTÊNCIA / Ailton Teodoro

Subsistência é um livro que reúne textos em que a crítica social é abordada de uma forma inflamada e ácida. O livro busca a cidadania plena, os direitos e deveres dos cidadãos, o respeito, a integridade, a conscientização política, a dignidade e, acima de tudo, atitude e ação dos mesmos.

SURPREENDER-SE / Sansone Pereira

As poesias de Surpreender-se... estão dispostas nas seguintes seções temáticas: Viver, Tempo, Amores, Mulheres, Imaginando e Autoria. A escolha dos temas e os poemas neles contidos não seguem lógica objetiva específica que possa, deva ou seja conveniente/pertinente revelar.

TÁ TUDO DE PERNAS PRO AR / Fábio Pimentel Coelho

Deus dentro de mim
Antes de eu morrer,
Deus pediu que eu escrevesse
E ao seu pedido eu atendi.
Hoje minhas palavras viram pedras
Pedras que choram, que sentem e que riem.

TEATRO DO ABSURDO / Robson Miguez

Dezembro de 1997. Entrava em cena o Teatro do Absurdo, livro de estreia de Robson Miguez. O poeta tanto fez que conseguiu: articulou parcerias, selou apoios culturais e arrecadou doações até tornar possível a publicação dos manuscritos. Foi uma típica edição de autor, de tiragem reduzida, vendida, pessoalmente, cada exemplar.

TECENDO AS MANHÃS / Augusto Cesar Ribeiro Rocha

Augusto Cesar Ribeiro Rocha, após publicar alguns livros e participar de antologias expressivas, dentro e fora do país, em que se sobressai nos gêneros conto e poesia, nos apresenta neste seu Tecendo as manhãs certas incursões vocabulares que justificam uma base específica com a qual elabora o seu mundo poético, ora voltado para a temática lírico-intimista, ora para os temas eróticos.

TEMPESTADE INTERIOR / Gina Barros

É um livro onde dúvidas e medos existenciais nos apresentam poesias que oscilam entre o extremismo romântico e a dramaticidade de ser. Nascem através da inquietude da autora, ao observar o mundo e sua fragilidade diante dele. Escrito com extrema sensibilidade, busca o entendimento, a superação do vazio existencial e principalmente, a superação de si mesma. Analíticos, já trazem as respostas dentro de si.

TEMPO E MEMÓRIA / Heloisa Melo Tavares

Heloisa Melo Tavares descobriu seu interesse na leitura de poemas na infância, especialmente naqueles de rimas engraçadas. Na adolescência, começou a produzir seus próprios textos, alguns deles autobiográficos, onde apresentava sentimentos e sensações de um período cercado de incertezas, medos, superações e alegrias de sua vida.

TEU PRESENTE / Lucia Judice

Este livro de poesias com reproduções de litografias exclusivas de Darel Lins (um dos maiores e mais conceituados ilustradores do país), faz uma coletânea de poemas que falam do cotidiano das relações amorosas. O livro, com o sugestivo título "Teu Presente" tem um formato gracioso que fez desta publicação, seu conteúdo e embalagem opcional, motivo de matérias destacadas na mídia. RESENHA DE Affonso Romano de Sant´Anna: "Enxuta que pegou-me pelos pés, invadiu-me os olhos, felina-femininamente foi aninhar-se no coração."

TEXTOS E POEMAS / Graça Aquino

Graça anuncia em sua escrita... Versos e anversos do caos. Tuas letras pungentes, belas, arrebatam-nos do lugar comum, inscrevendo em nós o mundo das palavras ditas, não ditas, pensadas, sentidas, escritas, pontuadas em reticências. Quando o verso parece óbvio, (des)organizando o caos e o mundo das letras, eis que irrompe em inusitada ironia.

TIMIDEZ POÉTICA / Rose Carreira

TIMIDEZ POÉTICA foi elaborado em homenagem à dádiva dos encontros humanos, traz à baila a poesia escondida (por isso tímida) de sua autora. É um livro sem imposições métricas ou temáticas e, ao mesmo tempo, multifacetado e banhado pelo ofício poético.

TODAS AS MANHÃS DE MARÇO / Esmeraldo Reis

"Quando conheci o Ricardo ele era apenas um aluno, depois o descobri poeta e amigo. Quando li sua primeira poesia fiquei encantado com seus versos e com seu estilo. Numa definição apressada poderia considerá-lo com esperança para nossa literatura, mas isso só o tempo há de dizer. A verdade é que o seu livro Todas as Manhãs de Março merece nossa atenção.

TOSCANA - PAISAGEM DE AUTOR / Ana Lamanna

O que mais encanta um poeta não é a intangibilidade das palavras ou o impacto desvelado pelo sentimento. Nem é a solidão da completude, voz inacessível da espera. O que mais encanta um poeta é também, às vezes, render-se ao inefável...

TRANSITANDO ENTRE MUNDOS / Ronaib Moreira

Transitando entre mundos poéticos, posso dizer que é o ajuntamento dos escritos de quem ama e protesta, saindo um pouco do lirismo acometido em primeira hora e nas poesias iniciais essencialmente de amor. Não que isso seja um problema, é bom demais, amar é bom demais, mas acho que tinha de me permitir ir um pouco além disso e falar (escrever) de tudo um pouco, e assim, de forma simples e direta, chegar aos corações, refletindo também um pouco sobre o meio ambiente, o ser, o ter e a simplicidade da vida.

TRANSPARÊNCIAS / FatinhaMussato

FatinhaMussato muito fala de si, na sua já vasta obra poética, e muito pouco nos dá a saber da sua riquíssima personalidade de mulher apaixonada. Ingredientes que conferem especial sabor e insuspeitada profundidade à sua poesia. Seu discurso poético é corrente e fluído, repleto de sonoridades harmoniosas e de modelos metafóricos de grande originalidade.

TRAVESSIA / Alba Christina

Alba Christina não escreve apenas por escrever. Escreve porque "entende do riscado". É excelente poeta, transita por vários gêneros literários, e faz tudo com muita habilidade. É brilhante sonetista, trovadora, haicaista, cronista e contista. A sua verve é abundante e muito criativa. Aqui e acolá a natureza ganha as cores da emoção, e é entremeada nas páginas de sua poesia. Seus versos livres são encantadores. Os seus sonetos são impecáveis. A técnica é perfeita.

TUBARÕES NUNCA DORMEM / Maria de Fátima Rosa Lourenço

O título deste livro não resume apenas o seu conteúdo, mas, especialmente, o perfil da autora. Incansável como os tubarões, Maria de Fatima Rosa Lourenço carrega deles a força, a garra, a gana; carrega por vezes a ira e a solidão. Carrega, principalmente, a inquietação. Nos tubarões, a inquietação pode ser a consequência do não dormir, “quase” cientificamente comprovado.

TURBILHÕES / Cristiane Mota Viviane

Turbilhões - poesias da alma reúne as reflexões sobre  a vida, as pessoas e suas complexidades na visão de uma jovem nos anos 80 e 90. Você está convidado a mergulhar nessa fascinante aventura através da poesia.

UM HOMEM... UMA MULHER E SUAS POESIAS / Cesar Alvarenga / Vera Alvarenga

Um homem, uma mulher... um momento. Duas vidas que há 40 anos decidiram unir-se para caminharem juntos por uma mesma estrada, embora soubessem que haveria tantas outras que cada um teria de seguir sozinho. Um homem, uma mulher... um momento. Duas vidas que neste instante decidiram marcar um encontro num mágico espaço – um livro de poesia. Um homem, uma mulher... um momento.

UM JOVEM OLHAR / Ane Gonçalves

O que é um livro, se não a tentativa de registrar uma das infinitas possibilidades que cada vida humana tem? Este pequeno livro de poesias é apenas isto! Todos os dias, a vida nos presenteia com novas experiências, novos sentimentos e novas possibilidades, novas formas de interpretá-la e de reinventá-la, mas estamos tão ocupados em viver a vida, que pouco tempo nos resta para contemplá-la.

UM LUGAR PARA O SOL AQUI NA MINHA JANELA! Carlota Pires

Um lugar para o sol, aqui na minha janela! reúne 63 poemas inéditos de Carlota Pires, na confluência de imagens entre o lúdico e o denso, e também na divergência de imagens das “urbanidades” caóticas do Rio de Janeiro, desbloqueando os seus lugares íntimos, que buscam um meio de vida mais musical.

UM MINUTO SÓ MEU / Sidnei de Oliveira Morgado

Nos poemas que seguem, palavras e sentimentos espelham momentos íntimos da consciência. O conhecer e reconhecer em nosso universo, pessoas e coisas que nos rodeiam levam à velocidade do decidir entre um sim ou um não. Um minuto só meu colocará nossa realidade frente a frente com nossas verdades.

 

UM POUCO DE MIM PARA VOCÊ / Fernando Furuya

Em Um pouco de Mim para Você, obra de estreia de Fernando Furuya, a palavra-chave é compartilhar. Com seus textos repletos de emoção, o escritor divide sentimentos e inquietações com aqueles que se juntam na incrível jornada que pode ser a leitura de um livro. E o que inicialmente pertence somente a si mesmo torna-se meu, seu e de todos os outros que ouvem seu chamado e acolhem seu coração.

UM POUCO DE MIM, DE TI, DE NÓS / Luiz Carlos de Oliveira

Trata-se de um livro de poesias, de título: "Um pouco de mim, de ti, de nós...", onde o autor procura interagir com o leitor, na medida em que enfoca temas pertinentes a ambos, e a qualquer pessoa, tais como felicidade, fé, decepção, inveja, solidão, virtude e outros objetivando render loas à poesia, numa época em que a automação avança... 

UM RASTRO DE POESIA / Rothadi

José da Silva Santos (ROTHADI). Brasileiro, nascido em 15 de abril de 1961 no estado de São Paulo (SP). Funcionário público, divorciado. Em 21/03/1987, casou-se com a professora Rosana Lopes, pedagoga graduada pela Unisa – Universidade de Santo Amaro. Em 19 de fevereiro de 2001 separou-se, e divorciou-se em 20/08/2003. Nesse mesmo ano, iniciou seu curso de graduação em Administração de Empresas pela Faculdade Magister (Estácio), unidade São Paulo (SP).

UM RIO... UMA PONTE / Sílvio Benedito

O livro retrata temas diversos em forma de poesia e narrativas poéticas. Sílvio Benedito nasceu em Osasco (SP). É professor de Educação Física da Rede Municipal de Ensino da Prefeitura de São Paulo, pós-Graduado em Gestão Escolar e em docência do ensino superior.

UM SEGUNDO / Guilherme Pupo Falconni

Um Segundo: Poesias admirativas de mirações casuais – é a continuidade da apresentação da poesia de Guilherme Pupo Falconni. Nessa obra a possibilidade dos sentidos e o jogo de palavras são experimentados ao limite em poesias ousadas e rebeldes ao mesmo tempo que lúdicas e brincalhonas. As poesias aqui reunidas correspondem ao momento anterior aquele apresentado em o Livro Último (2003 – 2013).

UMA LUZ QUE BRILHA / Sinval Guedes

Os frutos aqui apresentados são trabalhos iniciados no ano especial de 94, estão organizados em ordem alfabética, por isso fora da sua ordem de criação. Ao ler a obra Constelação de Ideias de Daniel Péricles (Vulgo Elemento), identifiquei-me com a frase em que ele diz “Quando faço poesia sou dono de mim.” Logo então tive a certeza de que na poesia sou o que faço com o que fiz e faço de mim mesmo, morando onde me encontro, sendo o mundo meu lar.

UMA ROSA COM AMOR / Fernando Anthony Brandão

Uma rosa com amor é uma obra que apresenta o sentimento do homem em relação a ele mesmo. Escrito em versos modernos traz uma mensagem de reflexão interior, que poderá contribuir para aliviar tensões e ansiedades neste mundo contemporâneo.

UMA VIDA QUE SEGUE / Manoel Ianzer

Uma vida que segue é o décimo livro publicado por Manoel Ianzer e traz poesias de sua autoria, com participação especial de outros escritores, inclusive em textos escritos a várias mãos, transformando o livro num verdadeiro sarau poético. O autor assim explica - muito bem, por sinal - o conteúdo e o espírito da obra: “Todos nós temos uma vida a seguir e nela estão contidas as alegrias, tristezas, vitórias, derrotas, o progresso, o crescimento, o bem e o mal.

UNS E OUTROS VERSOS / João Luis dos Santos

Poesia comprometida com a poesia e com as pessoas. A arte da palavra dialogando com os temas do cotidiano e com o próprio fazer poético. "Uns e outros Versos" navegam nas veredas da vida e da arte. A parte Uns Versos, com poemas mais densos e temáticos da vida e do cotidiano do poeta. Já a parte Outros Versos vincula-se ao experimentalismo e jogo de palavras, com inspiração na poesia concreta.

VACAS NO CÉU DO INTERIOR / Ari Marinho Bueno

Em tempos em que não há lugar na vida comezinha nem para os atarantados devaneios de “poetas” que se deixam levar pelos caminhos gastos da “poesia” dita beletrista  (estamos ainda amarrados ao século XX!), Ari M. Bueno vem nos apresentar através de seu Vacas no céu do interior uma tentativa de restituir aos crédulos as vísceras ainda pulsantes do poema.

VAGA DIVINA / Gabriel Nanuk Reple

Sonhos em branco e preto,
Numa vida de cão.
O pássaro bateu no teto,
Meu amor é vão.
Oh dor que não vê alento,
Que não tem com quem trocar.
Da prisão, sair eu tento,
Mas hoje é tempo de esperar. 
(trecho de “O Pássaro”)

VAGALUME - FAROL / Fabio Daflon

Vagalume-Farol é um livro de poemas dividido em quatro partes: Conchas de papel; sobre odorantes e perfumes; fome, guerra e vazio-luz; futuro estreito-largo. Essencialmente, fala sobre vaga-lumes e cupins. Ulysses Guimarães disse certa vez que “A corrupção é o cupim da República”, vaga-lumes são os predadores naturais dos cupins; trata-se então de um livro que versa sobre a difícil sobrevivência dos vaga-lumes, seja pela alteração do seu ecossistema ou pela corrupção.

VALE DA INSPIRAÇÃO / Evaní Alves Moreira

Talvez este livro não seja a solução para os seus problemas, mas certamente lhe dará a iluminação para que você saiba lidar com eles e nunca desistir de seus sonhos, mesmo que pareçam impossíveis. Para qualquer dor, indico a leitura da Bíblia. Nela você encontrará a resposta que tanto procura.

VALE DE LÁGRIMAS / Carlos Maia

Um vale de lágrimas, em oposição ao mundo ideal da vida eterna, é um mundo transitório de provação, onde as lágrimas que correm pela face atestam a dor ou o contentamento. As lágrimas de tristeza fazem a pessoa evoluir, visto que a incitam à superação, enquanto as lágrimas de alegria recompensam a perseverança do seu esforço renovador, quando sobe um degrau na escada da sua evolução.

VALE ILUMINADO / Lourdes De Vita

Eu era uma jovem senhora quando despertou em mim o dom da escrita. Foi como uma explosão, minha mente buscava ideias no subconsciente, formando estórias e poesias. Sou membro da Academia Popular de Letras de São Caetano do Sul e participo de vários grupos de escritores, onde o tema principal em todas as reuniões é a escrita. Participei de vários concursos literários, tendo sido premiada pela Academia de Letras de São Paulo.

VÁRIO POEMA / Márcio Vidigal

Márcio Vidigal nasceu em 1949 na cidade de Nova Lima, Minas Gerais, passando a viver, ainda criança, em Belo Horizonte. Cursou o então denominado ensino primário nos Grupos Escolares João Pessoa e Pandiá Calógeras. Concluiu os cursos ginasial e clássico no Colégio Marconi, ingressando, posteriormente, mediante vestibular, na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, onde colou grau em 1973.

VELHOS TEMAS / Luna Castro

Luna Castro nasceu na Bahia e, ainda adolescente, mudou-se com a família para São Paulo, onde seu pai, advogado, passou a trabalhar. Introspectiva, sentia muita falta das amigas que deixou em sua terra natal. Encontrava refúgio nas poesias que criava e enviava para elas. Muitas foram  criadas, poucas ficaram registradas.

VENTOS DE CHUVA / Rosana Banharoli

Este livro é produto da participação da autora em oficinas de criação literária, na Casa da Palavra, em Santo André desde o ano de 2007, com nomes expressivos na Literatura Nacional e Internacional, como os  premiados escritores, João Silvério Trevisan, Marcelino Freire, Luiz Ruffato, Fábio Weintraub, José Geraldo Neres e Vanessa Molnar. O livro é composto por poesias inéditas e por poesias premiadas em Concursos Literários, em todo o país, entre os anos de 2008 e 2011.

VERDADES TEMPERADAS / Ricardo Carneiro Leão

Verdades temperadas são poemas verdadeiros extraídos da rotina da vida de pessoas reais ou quase reais que o poeta conheceu e teve a sensibilidade poética de escrever versos com poesia que em algum momento nasceram no seu coração.

VERSO SAMURAI / Hernando Feitosa Bezerra Chagal

Verso Samurai é um livro para ser lido ao cair da tarde com tranquilidade curtindo cada verso como quem bebe um bom vinho olhando um maravilhoso pôr do sol.

VERSO-UNI-VERSÁTIL-DI-VERSO / Maria Aparecida de Rezende Gaiofatto - Gaiô

Minha poesia emerge da expressão nascida em contemplação da poética do viver: Tudo junto! Me atrai, me encanta, me emociona e me assusta. A poética da Arte Visual, sempre traduzo aliada à palavra, versando o pictórico pelo traço e cor, pela escrita junto ao desenho, à foto-montagem, à escultura, pintura, em linguagem de sentimentos, reveladores delicados de luz e sombra compactadas.

VERSOS DE AREIA / Amorim

Este livro espelha a experiência prazerosa do último ano, em que vivi junto ao mar, seu título Versos de areia se deve a isto, pois, todos os poemas nele presente foram escritos neste período. As questões do coração são uma constante em quase que toda sua totalidade, questões estas, bem ou mal resolvidas, mas que sempre ensejam versos.

VERSOS DIVERSOS NAS IDAS E VINDAS DA VIDA / Maria Assunção Silva Medeiros

Este livro de poesias contém em suas páginas expressões, construções linguísticas que podem ser exploradas em sala de aula, através de análises e estudos sintáticos, estilísticos, semânticos e pragmáticos. Além da riqueza das figuras de linguagem, criação de novos vocábulos e novas formas do “dito / interdito”, o estudioso da Língua(gem) Portuguesa identificará processos de composição e derivação, de versificação que vão da métrica à elaboração de rimas “ricas”, de versos livres etc.

VERSOS E RIMAS DA NOITE / Márcia Tatiane Coimbra Santos

A cidade dorme enquanto outros despertam seu eu. A noite dá um ar de liberdade aos pensamentos e atitudes prazerosas como a de escrever. Quem não quer ser o que é, simples assim! Ouvir, aguçar seus sentidos e misturá-los aos seus sonhos, na verdade de ser quem se é. Deixar vir as ideias e colocá-las em formas dançantes, como a de uma poesia ou de uma rima que te deixe aflita.

VERSOS ÍNCUBOS / Igor Buys

O poeta e artista plástico inglês William Blake (1757 – 1827) tem o seu estilo, muito peculiar, definido como — arte fantástica. Diria que os textos predominantes na obra em questão merecem ser chamados também, como os de Blake, de poesia fantástica. São poesias de tema amoroso que têm como tônica a tentativa do eu-lírico de sugestionar a bem-amada a perceber a sua presença sensorialmente através dos versos e, assim, envolvê-la.

VERSOS INVERSOS / Gilcéa Rosa de Souza

Qualquer que seja a forma de expressão escolhida, criar é penetrar no nosso próprio interior, trazendo à tona tudo que de melhor possuímos, para comover e emocionar o outro. Criar é sair de dentro da própria casca e voar em direção ao infinito. Antes do ato de criação, somos ostras: plenos de possibilidades, que poderão realizar-se ou não; após ele, somos pássaros, libertários e libertos, inclusive de nós mesmos. Assim pensando, Gilcéa Rosa de Souza nos apresenta um retrato de sensibilidade em Versos Inversos.

VERSOS TRANSEUNTES VERBOS AUSENTES / Larissa Daiane Pujol Corsino dos Santos

Em verdade, tenho a noção de que muitas coisas são indescritíveis, pois quem as vivenciou por mim foram os versos, os quais eu denomino como uma vida branca. Versos andarilhos, transeuntes, atropelados, sobrevividos. Verbos ausentes, ordens interpretadas, liberdade compreendida...
Larissa Daiane Pujol Corsino dos Santos

VERSOS, RIMAS, POESIAS E POEMAS / Sandro Aparecido Nunes

O livro possui poesias e sonetos feitos pelo autor durante sua adolescência, retrata a visão do amor de quem  tinha pouca experiência de vida e muito amor no coração. Seu olhar inocente e romântico do amor tem uma beleza incomum, vinda de inspirações amorosas. No livro temos algumas composições que mostram situações vistas com sensibilidade de um poeta as injustiças sofridas por pessoas pobres da periferia.

VÉSPERA DE MIM / Elane Tomich

Livro de poesias, com poemas sobre temas variados em linguagem moderna, nova e altamente lírica. De natureza intimista, os temas abordados convidam a reflexões recorrentes sobre a natureza do homem e das coisas.

VIA LÁCTEA / Davi Bezerra de Souza

O livro trata de temas diversos, como a preocupação sobre o tempo, a desigualdade social e expressões pessoais do autor. São poemas compostos sob céus diversos, daí a sua diversidade. Ora quebro a métrica, ora a abandono de todo. No mais, caberá ao leitor descobrir as virtudes e defeitos numa obra de um autor novo.

VIAJANTE / Nêodo Ambrosio de Castro

Poemas de amor VIAJANTE, o poeta Nêodo Ambrosio de Castro fala de amor em toda a diversidade das formas que se manifesta, nos parecendo tarefa fácil, pela universalidade do tema e por ser o amor um sentimento inspirador, em toda a sua grandeza. Nesta obra o autor confere a alguns de  seus poemas, características românticas das cartas de amor.

VIDA EM POEMAS / Maria Loreci da Rocha Lemes

Este trabalho visa a preservar as memórias outrora quase corroídas pelo tempo, mas sempre intactas na essência de alguém que, inspirada desde a sua adolescência, arriscou-se a traduzir em versos os seus sentimentos mais profundos. A maioria dos poemas foram escritos há mais de cinquenta anos e registrados em um livro amarelado pelo tempo e pelas lembranças, mas que sempre esteve ali, ao lado da autora, guardado, mas não esquecido.

VIDA, ROSAS DO TEMPO / Vinicius Arnom

Trazendo a intensa fragrância poética das rosas do tempo, este livro instiga em suas páginas uma simplista necessidade de submergir nos significados implícitos ao âmago da vida. Estranhamento que pode ser transcrito no verso, não na contracapa. Vida, Rosas do Tempo é a semente cultivada na infância do verão, florida na adolescente primavera ao apreciar o versar.

VIDAS: VIVIDAS, SONHADAS E PASSADAS / Silvana Lemes de Souza

Os temas abordados pela autora no livro Vidas: Vividas, sonhadas e passadas perpassam os sentimentos reprimidos pela dor da ausência, que por sua vez traz a tona toda a tristeza que muitas vezes parece não mais sair de dentro do peito, também carrega as marcas dos amores vividos e dos ainda por viver.

VINTE E CINCO / Luciana Mion

Muitos entregaram os pontos refugiando-se no passado, cultivando paisagens imaginárias ou fazendo pesquisas formais, o mundo não está para principiantes. Luciana não, resolveu enfrentar a cacofonia contemporânea com olhos abertos e versos afiados.

VINTÉM / José Huguenin

Duas coisas me chamaram a atenção quando comecei a ler os poemas de José Huguenin: a musicalidade suave, que nos conduz durante a leitura, e a expressividade desconcertante, que mexe com os sentimentos, aqueles mesmo que, para sobreviver, escondemos dentro de nós.

VIOLINOS DE BARRO / Mirian de Carvalho

O universo poético de Mirian de Carvalho se sustenta na sua própria invenção. Isso se patenteia em publicações como Cantos do Visitante, Teia dos Labirintos, O Camaleão no Jardim e, ainda, Travessias. Obviamente, esse seu acervo nos conduz a um registro no qual se transfunde, com propriedade, a poesia. Agora, temos o privilégio deste seu novo trabalho, Violinos de barro (Escrituras Editora), no qual observamos a linguagem fantástica constituindo-se no movimento principal da significação e da exposição do encantamento.

VOZ DO CORAÇÃO / M. Veloso

Há Pedras no Caminho, este livro busca promover o nosso encontro com um universo de instantes vividos e a viver em cada um de nós. Uma aula de vida compactada em um livro repleto de momentos mágicos e reais e que agora também poderá ser e que, agora descoberto por nós, em um encontro de energias e muita fé, em um novo despertar.

Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

Portal do Escritor 
Divulgação de Autores e Livros da Scortecci

FALE CONOSCO

 
Nipotech