ABERTA PARA BALANÇO / Zodja Pereira

Aberta para Balanço é uma coletânea de poemas escritos em diversos momentos tendo como inspiração o AMOR!

Zodja, minha querida amiga e irmã de alma, foi com imenso orgulho e prazer que aceitei a oportunidade de juntar suas “folhas soltas”, preenchidas com poemas belíssimos expressando sentimentos vividos, às vezes “golpes duros da vida”, e torná-las em livro, eternizando seus sentimentos! Tantos adjetivos podem defini-la: atriz, poeta, amiga, solidária, amante, companheira, amorosa, lutadora, sofredora, mãe ou, simplesmente, mulher! Profundo agradecimento por nos proporcionar tão bela leitura em Aberta para balanço. Parabéns, Zodja Pereira!
Ana Maria Guimarães

ZODJA PEREIRA – Em 1964, estreia sua carreira profissional no Teatro da Associação de Imprensa de Pernambuco com as montagens de “A HORA MARCADA”, de Isaac Gondim Filho, e “O BEIJO NO ASFALTO”, de Nelson Rodrigues. Incorpora-se ao elenco da TV Jornal do Comércio. Ganha fama no cenário local com suas aparições em shows, teleteatros e novelas, como “SENHORA DE ENGENHO” e “A VINGANÇA DO JUDEU”. Em São Paulo estreia no Teatro Ruth Escobar em “SE CORRER O BICHO PEGA, SE FICAR O BICHO COME” (Opinião, 1966), de Oduvaldo Vianna Filho e Ferreira Gullar. No Teatro de Arena, faz “ESCOLA DE MULHERES” (1967), de Molière. Na mesma época, assina contrato com a TV Bandeirante e participa das novelas “OS MISERÁVEIS” (1967) e “O BOLHA” (1969). Empreende novo sucesso com a boneca de pano Emília na série “SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO”. Protagoniza o primeiro espetáculo infantil produzido pelo SESI: “O APRENDIZ DE FEITICEIRO” (1969), de Maria Clara Machado. Teatro Maria Della Costa, musical “O DIVERTIDO CASAMENTO DO GUAXO ZACARIAS” (1969), de Barbosa Lessa. Teatro das Artes, “ÁLBUM DE FAMÍLIA” (1970), de Nelson Rodrigues. Na TV Record, participa das novelas “O TEMPO NÃO APAGA” (1972), “QUERO VIVER” (1972) e “VIDAS MARCADAS” (1973). Na TV Tupi, atua nas novelas “ÍDOLO DE PANO” (1974), “UM DIA, O AMOR” (1975), “PAPAI CORAÇÃO” (1976) e “UM SOL MAIOR” (1977). No SBT atua em “UMA ESPERANÇA NO AR” (1985) e “SANGUE DO MEU SANGUE” (1995). Desde 1978 realiza importantes trabalhos como diretora-dubladora. Em 2005, como proprietária, cria a empresa DUBRASIL CENTRAL DE DUBLAGEM E TREINAMENTO, que além de formar novos talentos para o mercado de dublagem se torna um dos estúdios de dublagem mais renomados de São Paulo.

"Se a gente chora com os golpes duros da vida, também podemos crescer com toques suaves na alma”
(Cora Coralina).

Serviço:

Aberta Para Balanço
Zodja Pereira
Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5438-6
Formato 14 x 21 cm 
76 páginas
1ª edição - 2018
Preço: R$ 30,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home