SOBRE L ART POÉTIQUE DE BOILEAU / Antoine Albalat

Nicolas Boileau Despréaux (1636-1711). Crítico e poeta francês. Publicou seu primeiro livro, um volume de sátiras, em 1666. É considerado o fundador do Arcadismo, movimento literário surgido na França no século XVII que depois se espalhou por toda a Europa. Entre as obras de Boileau, encontra-se L’Art Poétique (A Arte Poética), de 1674, tema de estudo de Antoine Albalat publicado em 1929, ora apresentado ao público brasileiro por importação da cultura francesa naquele período e, agora, nesta tradução de Amadeu Cirilo.

NICOLAS BOILEAU DESPRÉAUX – eis aí um nome que fermentou toda a Europa e atingiu o nosso continente. Nasceu em Paris e viveu entre 1636 e 1711. Percorreu os caminhos do Direito, mas não se encontrou dentro dos tribunais. Também trilhou os conhecimentos da Teologia e não se realizou dentro deles. Ficou órfão de mãe ainda criança e de pai quando estava com 21 anos. Tal infortúnio lhe rendeu uma fortuna da qual desfrutou até o fim de sua existência. Amou uma mulher, no entanto não teve um desfecho feliz. Apaixonou-se pelos versos e a eles dedicou-se até à morte. Homem amado e odiado, irônico e bondoso, tinha na sátira o elemento básico de seu trabalho. Seu temperamento agressivo às vezes ultrapassava os limites da crítica e decência. Odiava os maus poetas e a má poesia. Foi crítico severo da Academia de Paris e da corte francesa, que premiava os maus poetas e não dava valor aos bons.

Teve como amigos as pessoas mais importantes e qualificadas no reino. Foi amicíssimo de Molière, de quem sofreu grande influência, um poeta libertino e perseguidor da Igreja Católica e dos jesuítas, e de Jean Racine, calcado em valores morais. A base cultural de Boileau foi fundamentada em pensadores antes de Cristo: Horácio, Homero, Platão, Aristóteles e outros, que registraram sua forma de pensar dentro de normas rígidas, objetivando demonstrar a beleza das palavras e os efeitos que iriam provocar e transformá-las numa obra de arte. Aristóteles definiu num trabalho incompleto as leis da poesia e do drama. Foi o primeiro filósofo a deixar um tratado sobre a arte poética. Com esse embasamento cultural e riqueza secular, Boileau desafiava os poetas da sua época, cujos escritos, segundo ele, eram de péssima qualidade. Faltava-lhes conhecimento, e essa era a chave da sua crítica. Segundo Nicolas, os versos deveriam ser trabalhados, escritos e reescritos! Foi considerado um “poeta da regra, de ajustagem de forma fria e perfeita”. Pairava sobre ele a crítica de que havia plagiado Horácio – Boileau afirmava ser ele mesmo o Horácio francês. 

Publicou em 1674 A Arte Poética, tornada padrão para a técnica da poesia francesa e mundial arcádica. Com essa obra alcançou popularidade e glória, sendo reconhecido na França e Europa. Recebeu o título de “O Poeta da Razão” no século XVII. Anos após a publicação, o Rei Luís XIV o designou historiador do reino, com Racine. Boileau foi o fundador do Arcadismo no final do século XVII. Isso foi possível porque a França não se curvou à contrarreforma católica, que possibilitou o desenvolvimento do Barroco, especialmente na Espanha, de tradição católica, e Itália, um pouco menos. Sob influência francesa, fiel aos padrões clássicos em pleno Barroco, e de Boileau, a Rainha Cristina da Suécia e Crescimbeni fundaram a Academia Arcádica Romana, em Roma, propiciando o aparecimento da filosofia racionalista, com Vico, e da poesia arcádica italiana, com Metastasio, Gravina e tantos outros. O Arcadismo, ou Neoclassicismo, influenciou toda a Europa, incluindo Portugal, onde no reinado de D. João V foi fundada a Academia Ulissiponense, e também poetas brasileiros, tendo como seguidor o fundador da Arcádia Ultramarina, Cláudio Manuel da Costa, em Ouro Preto (MG). Deste nome consagrado na literatura brasileira, Amadeu Cirilo tem a honra de ser descendente. Autor de 14 livros, oito já publicados, é formado em Letras Clássicas pela USP, por influência dos estudos na Escola Apostólica Santo Agostinho, em São José do Rio Preto (SP).

É apto a lecionar grego, latim e português, com suas respectivas literaturas, além de francês e tupi-guarani pelo MEC. Com graduação e pós-graduação em Direito pela USP, exerce atualmente a advocacia. Recebeu várias premiações, entre elas Diploma de Honra ao Mérito da Prefeitura Municipal de Congonhas (MG). Pesquisador e amante fiel do Arcadismo, da literatura clássica e dos versos puros e perfeitos, onde encontrou o hexavô Cláudio Manuel da Costa, só nos resta parabenizá-lo por mais um livro enriquecedor.
Santa Catarina Fernandes da Silva Costa - Poeta e escritora

Serviço:

Sobre L'Art Poétique de Boileau
Antoine Albalat
Tradução: Amadeu Cirilo

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-5100-2
Formato 14 x 21 cm 
140 páginas
1ª edição - 2017
Preço: R$ 40,00

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

Portal do Escritor 
Divulgação de Autores e Livros da Scortecci

FALE CONOSCO

 
Nipotech