DITADURA NO GATILHO / J. Burato

Baseado na teoria da ideologia de Louis Althusser e nos princípios da institucionalização de comportamentos, o autor busca refletir acerca das causas da violência policial militar no Brasil e em possíveis soluções. Atualmente a desmilitarização da polícia tem sido apresentada como medida necessária para se resolver o problema da violência policial, o que é questionado pelo autor, que julga que esta é uma das providências necessárias para adequar o sistema de segurança pública ao Estado Democrático de Direito, mas insuficiente para conter a violência policial.

Há muito tempo se questiona a violência policial no Brasil, principalmente a violência policial militar. Podemos dizer que mesmo durante a ditadura militar já havia um movimento a partir das críticas de parte da sociedade brasileira, de órgãos nacionais e internacionais ligados aos direitos humanos, dentre outros, contra o modus operandi policial militar, tido como violento e muitas vezes criminoso – violento na repressão de uma forma geral e criminoso quando eram comprovadas que inúmeras execuções sumárias foram registradas como resistências seguidas de morte, ou seja, mortes em consequência de tiroteio com a polícia. [...] Portanto, por representar um obstáculo ao desenvolvimento social brasileiro e pelo irremediável sofrimento humano que a violência provoca, este tema tem sido estudado, desenvolvido e amplamente discutido por políticos, por especialistas, pela maioria dos movimentos sociais e por pesquisadores diversos, objetivando sua superação. Essas são as razões, também, que tornam a transformação do sistema de segurança pública no Brasil uma necessidade, não uma opção.

Baseado na teoria da ideologia de Louis Althusser e nos princípios da institucionalização de comportamentos, o autor busca repetir acerca das causas da violência policial militar no Brasil e em possíveis soluções. Atualmente a desmilitarização da polícia tem sido apresentada como medida necessária para se resolver o problema da violência policial, o que é questionado pelo autor, que julga que esta é uma das providências necessárias para adequar o sistema de segurança pública ao Estado Democrático de Direito, mas insuficiente para conter a violência policial.

José Antonio Burato é graduado em Filosofia pela Universidade Metodista de São Paulo – UMESP e Mestre em Gestão de Políticas e Organizações Públicas pela Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo – EPPEN-UNIFESP. Ex-Sargento da Polícia Militar do Estado de São Paulo, participou da formação da Guarda Civil Municipal de São Bernardo do Campo, onde foi um dos responsáveis pelo início do movimento por melhores condições de trabalho e contra o assédio moral na instituição, em meados de 2004. Tem questionado e denunciado o caráter militar instituído não apenas naquela corporação, mas em quase todas as Guardas Municipais do país. Como palestrante, aborda temas como a violência policial e a municipalização da segurança pública.

Serviço:

Ditadura no Gatilho
A Institucionalização da Violência Policial
J. Burato

Scortecci Editora
História
ISBN 978-85-366-5131-6
Formato 14 x 21 cm 
172 páginas
1ª edição - 2017
Preço: R$ 30,00

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 

Portal do Escritor 
Divulgação de Autores e Livros da Scortecci

FALE CONOSCO

 
Nipotech